jun
29

CHUVAS REABASTECEM BARRAGENS DA REGIÃO METROPOLITANA

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    Category Em: Serviços     Tags

Os  principais mananciais que abastecem a Região Metropolitana do Recife (RMR) conseguiram  acumular água com as chuvas dos últimos sete dias. De 23 a 29 de junho, as barragens de  Pirapama, Botafogo, Tapacurá e Duas Unas, as mais  representativas da RMR conseguiram  armazenar água.

A barragem de Duas Unas, localizada em Jaboatão dos Guararapes, foi a que obteve a melhor performance. Subiu  29,35%  e está hoje com 76.10%, um acúmulo de mais de sete milhões de metros cúbicos de água. Essa região foi  a que recebeu a maior pluviometria: choveu 219,2 mm neste período.

A segunda barragem que mais acumulou água foi a de Pirapama, localizada no Cabo de Santo Agostinho, que registrou um acréscimo de 8,76%. Choveu 157.5 mm  e o manancial conseguiu elevar a sua capacidade para 102,89% e  está vertendo. Pirapama  tem a capacidade para armazenar  60.880.246 metros cúbicos de água. “Esta barragem consegue acumular água com facilidade. Nos últimos três anos o desempenho da barragem é o mesmo, apesar do quadro de seca em Pernambuco”, afirmou o diretor de Mercado e Atendimento, Rômulo Aurélio Souza.

Já a barragem de Botafogo, a que detém a situação mais crítica da RMR,  situada  em Igarassu,  conseguiu  aumentar em 4,43% a sua capacidade, elevando o nível da barragem de  14.80 %  para 19.23%. Choveu  114 mm no entorno da barragem, o que representou um acúmulo de 1 milhão, 222906  mil metros cúbicos de água.

Segundo Rômulo Aurélio, essa melhoria do manancial é importante, mas que ainda não permite qualquer mudança no calendário de distribuição nas cidades de Olinda, Paulista,  Igarassu e Abre e Lima, ampliado no final de 2014 para preservar a barragem, que estava com 22% da sua capacidade. “Estamos praticamente no fim do inverno e não podemos comprometer  o desempenho da barragem para  o verão. Estamos torcendo para que o manancial consiga acumular mais água e por isso precisamos aguardar mais um pouco para uma nova  avaliação técnica”, explicou Rômulo Aurélio. A última vez que a barragem de Botafogo verteu foi em 2011, quando conseguiu atingir a sua capacidade máxima, de 27.595.036 metros cúbicos de água.

Choveu 128,5 mm no entorno da  barragem de Tapacurá, em São Lourenço da Mata, o que permitiu um aumento do nível do manancial. Foram  acumulados  2 milhões e 750 mil metros cúbicos de água, um acréscimo de  4,43%, estando o manancial hoje com 45,02% da sua capacidade. A esperança da Compesa é que chova o suficiente para  recuperar  todas as barragens da RMR. 

“Nós estamos entrando no quinto ano consecutivo de seca, com chuvas espalhadas de forma irregular. Nos locais onde está precisando chover, não tem chovido. Estamos precisando de chuva pra recompor  também nossas barragens no interior, em especial , a barragem de Jucazinho, em Surubim, que está apenas com 4,34% da sua capacidade e atende  15  localidades  do Agreste, região que tem o pior balanço hídrico do Estado”, comentou o presidente da estatal, Roberto Tavares.

Envie um comentário

Redes Sociais:

senai-dez

sesi-dez

Paixão de Cristo 2018

pernambucont


Olinda Hoje no Facebook:

Previsão do Tempo:

Favoritos

Categorias do Blog:

Mapa do Site:

Arquivos do Blog: