jul
31

TFR5 ACATA PEDIDO DA OAB-PE E PRÉDIO DA SUDENE REABRE

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    Category Em: Serviços     Tags

sd

O desembargador Marcelo Navaro, do Tribunal Regional Federal da 5a Região (TRF5), acata pedido da OAB-PE e determina a reabertura do prédio da Sudene, que abriga, dentre outras instituições, 23 varas do Trabalho da Capital. O presidente da OAB-PE, Pedro Henrique Reynaldo Alves, tratou do assunto diretamente com o desembargador Navarro, e comemora a decisão. A manutenção da Justiça do Trabalho e demais instituições no prédio fica condicionada a uma vistoria, segundo o desembargador.

O prédio da Sudene foi fechado na última terça-feira (28), atendendo liminar do juiz Roberto Wanderley Nogueira, da 1ª Vara da Justiça Federal de Pernambuco (JFPE). Ele determinou a desocupação imediata de todo o prédio, tendo como base os problemas estruturais do local. No mesmo dia, a OAB-PE entrou com pedido de suspensão da liminar junto ao TRF5.

O que se observa é que o magistrado não velou pelo atendimento aos princípios básicos da eficiência e da continuidade do serviço público essencial, tendo em vista que, sem a devida cautela, determinou a suspensão imediata das atividades de todos os órgãos e entidades, em especial as Varas do Trabalho, não fixando prazo razoável para que fosse designado novo local para o funcionamento da Justiça do Trabalho, bem como para a retirada dos bens móveis”, esclareceu o presidente da OAB-PE, Pedro Henrique, que considera razoável o prazo de, pelo menos, 180 dias para que as Varas sejam desinstaladas e realocadas de maneira adequada.

A OAB-PE reconhece os problemas estruturais do prédio da Sudene. Ainda assim, como observa o presidente Pedro Henrique, na sua decisão, o magistrado “deixou de observar a logística mínima necessária para que se pudessem realizar eventuais mudanças das Varas para outro imóvel, tendo em vista a determinação de desocupação imediata”, declarou. Hoje, as 23 Varas do Trabalho da Capital funcionam no prédio, além de instituições como o IBGE e o Ministério da Saúde. “A descontinuidade da prestação do serviço público vem causar um prejuízo incalculável aos advogados trabalhistas e à sociedade, de um modo geral”, concluiu Pedro Henrique.

 

 

Envie um comentário

Redes Sociais:

senai-dez

sesi-dez

Paixão de Cristo 2018

pernambucont


Olinda Hoje no Facebook:

Previsão do Tempo:

Favoritos

Categorias do Blog:

Mapa do Site:

Arquivos do Blog: