fev
26

BRASIL É MAIS PERIGOSO PARA A IMPRENSA DO QUE PAÍSES EM GUERRA

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    Category Em: Denuncias     Tags ,

mordaçaEntre as nações mais perigosas do mundo para o exercício profissional do Jornalismo, o Brasil ocupa posição de destaque. Em 2015, o país alcançou números assustadores: 8 mortes e 64 agressões, tendo apresentado situação pior do que em países em guerra. No total, foram 116 registros de violações à liberdade de expressão, com casos de ameaças, intimidações e ataques.

Os dados estão no relatório sobre Liberdade de Imprensa, da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), lançado na última segunda-feira (22), em Brasília (DF).

“Foi um ano cruel para o Jornalismo brasileiro. Está ocorrendo uma inversão de valores, onde o profissional da Imprensa devidamente identificado tem se tornado alvo das agressões, seja pelos próprios manifestantes ou, ainda mais grave, pelos policiais que têm a obrigação constitucional de garantir a segurança desses profissionais”, declarou o presidente da Abert, Daniel Slaviero.

Para a entidade, o ano de 2016 é preocupante por conta das eleições municipais, visto que os veículos de comunicação desempenham papel investigativo forte, envolvendo casos de corrupção relacionados a agentes públicos ou empresários. “Precisa haver uma ampla investigação, apuração e punição rigorosa nesses casos para que outras pessoas que queiram ter esse tipo de atitude contra profissionais da Imprensa sejam inibidas”, explicou Slavieiro.

A partir desta edição, o levantamento da Abert passa a verificar casos que aconteceram durante todo o ano, de janeiro a dezembro. Antes, os dados eram compilados de outubro a outubro e apresentados durante a Conferência da Associação Internacional de Radiodifusão (AIR). Acesse o relatório completo aqui.

Envie um comentário

Redes Sociais:

senai-dez

sesi-dez

Paixão de Cristo 2018

pernambucont


Olinda Hoje no Facebook:

Previsão do Tempo:

Favoritos

Categorias do Blog:

Mapa do Site:

Arquivos do Blog: