maio
11

O QUE FREUD PENSARIA SOBRE A LOUCURA DA POLÍTICA BRASILEIRA?

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    Category Em: Artigos     Tags ,

Claudio Carneiro

Tivesse nascido cem anos depois – e de preferência no Brasil – Sigmund Freud teria esta semana o mais vasto material para estudar a loucura e todas as psicopatologias. A sucessão de devaneios que assolou o país começou com a irresponsabilidade do presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), alçado à presidência pelo desatino que dita os atos da Câmara Federal.

freud

O ato impensado do veterinário maranhense desequilibrou o mercado financeiro, fez subir o dólar, derrubou a Bolsa de Valores e provocou uma revoada de tucanos e urubus da política também no Senado. Não bastasse isso, a presidente da República – que já fez saudações à mandioca e propôs a estocagem de ventos – permitiu que manifestantes da Cut, da Une, do PT, do PCdoB, da Ubes, da Contag pendurassem suas bandeiras e mensagens nas janelas de vidro do Palácio do Planalto – transformando o símbolo do Poder no país em escritório partidário. Uma total demonstração de insanidade.

À tarde, as sandices continuaram com discussões e gritos histéricos no plenário do Senado diante do cenário de caos que o país conheceu a partir da transformação de um político do baixo clero em fantoche do ministro José Eduardo Cardozo (da Advocacia-Geral da União).

Em meio a este delírio, o senador Delcídio Amaral – aquele que passou meses preso – pediu desculpas e para não ser cassado – afinal, não roubou um centavo e apenas tentou obstruir a Justiça. Ora, foi só isso? O Senado se apressou para votar o impeachment nessa quarta-feira (10), sem a presença de Delcídio. Nesse aspecto, as próximas horas prometem mais desatinos.

Ao final do dia, talvez ao se dar conta do estrago que havia feito, Maranhão fez o pior: desfez o que havia feito horas antes. Seus delírios deverão custar caro. A Mesa Diretora da Câmara estuda a destituição dele da presidência interina da Casa enquanto o PP quer a expulsão de alguém considerado “fora de controle”.

Como se nada disso estivesse acontecendo, um grupo corre o país com uma tocha acesa na mão na tentativa de validar um evento de âmbito mundial cuja realização não temos a menor condição política e organizacional de garantir.

Diante deste cenário, o “Pai da Psicanálise” teria o mais farto material para desenvolver seus estudos e descobrir por que certos seres humanos degeneram de forma tão degradante sem se importar com as consequências.

Fonte: Opinião&Notícia

Envie um comentário

Redes Sociais:

senai-dez

sesi-dez

Anuncio-gif OH

pernambucont


Olinda Hoje no Facebook:

Previsão do Tempo:

Favoritos

Categorias do Blog:

Mapa do Site:

Arquivos do Blog: