De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE), a determinação tem como objetivo não dar tratamento privilegiado a nenhum pré-candidato, candidato, partido ou coligação e estabelecer um cenário político com participação proporcional a todos.

Se os pré-candidatos continuassem com suas funções nos veículos de comunicação, isso não aconteceria, segundo o TRE-PE, já que, por terem a imagem exposta, poderiam obter vantagens em relação aos seus concorrentes. Esses profissionais, entretanto, podem continuar exercendo outras atividades nas redações e nos bastidores.

Caso os prazos não sejam cumpridos pelas emissoras, elas terão que pagar multa prevista no § 2º do artigo 45 da lei nº 9.504/97, que pode variar entre R$ 20 mil a R$ 100 mil, podendo ser duplicada se houver permanência. Já os pré-candidatos, de acordo com a lei nº 9.504/97, artigo 45, § 1º, terão o registro de candidatura cancelado