jul
12

MERCADO DE PNEUS ESTÁ NO CENTRO DA LAVAGEM DE DINHEIRO

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    Category Em: Política     Tags , ,

pneuA queda da aeronave Cessna Citation, que vitimou o então candidato à presidência da República e ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), traz à tona um esquema muito maior e mais antigo do que se imagina. Na verdade, foi criado para lavar dinheiro e o avião é só um detalhe de um esquema internacional que reúne diversas pessoas e empresas irregulares, com atuação desde o início dos anos 2000.

O esquema de lavagem de dinheiro atendia a vários clientes interessados em branqueamento de capital e se alimentava de recursos vindos de várias fontes, inclusive empreiteiras, e, principalmente, da importação de pneus.

O relatório elaborado pela Delegacia de Combate à Corrupção e Crimes Financeiros da Superintendência Regional da Polícia Federal (PF) em Pernambuco, que deu origem à Operação Turbulência, ao qual a Folha teve acesso, aponta que a aeronave encontrava-se arrendada à AF Andrade e Participações Ltda. e teve como avalista do financiamento Apolo Santana Vieira, atualmente preso no Centro de Triagem (Cotel), no município de Abreu e Lima (PE), e dono das empresas Bandeirantes Pneus Ltda. e BR Par Participações Ltda.

SubmundoPelo relatório da PF, é possível notar o papel relevante de pessoas e empresas ligadas ao submundo dos pneus no esquema. O relatório cita várias vezes a Bandeirantes Pneus e a BR Par. Mas outras também aparecem, como a West Pneus Ltda., AM de Pontes Pneus, TS Comercio Importação e Exportação Ltda.–ME, Tonimar de Araújo Ribeiro ME, todos operando neste ramo.

Chama atenção o caso da West Pneus Ltda., com sede em Goiânia (GO) e filiais no Mato Grosso e em São Paulo. Apontada como empresa de fachada, ela tem no seu quadro societário a empresa uruguaia Coralfink S/, que é uma SAFI (Sociedad Anónima Financeira de Inversión), ou seja, uma offshore. No Uruguai, as offshore são conhecidas como SAFI e estão sempre prontas para serem compradas. Como se sabe, off­­shore é uma empresa constituída geralmente em paraísos fiscais, sujeita a um regime legal diferenciado, que permite a seus donos gozarem de privilégios tributários.

O curioso é que o endereço declarado pela Coralfink no Uruguai é o mesmo da de outras empresas, entre elas a “Estudio Algorta & Asociados”, escritório pertencente a Oscar Algorta, especializado em assuntos jurídicos e investimentos. Oscar Algorta Rachetti já foi denunciado e condenado no bojo da Operação Lava Jato como operador que criou a Jolmey S/A, outra SAFI, também localizada no mesmo endereço da Coralfink, a qual, segundo o relatório da PF, “teria lavado dinheiro para encobrir as vantagens indevidas adquiridas” por ninguém menos que Nestor Cerveró, ex-diretor da área internacional da Petrobras. Cerveró foi condenado a 12 anos e três meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro na operação Lava Jato.

A West Pneus foi citada pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) por emissão de títulos que totalizam R$ 361.330,15 para a Bandeirantes Comercio e Renovação de Pneus Ltda.; R$ 768.700,00 para Lagoa Indústria e Comercio Ltda.; e R$ 41.318,00 para Matteo Bologna, sócio de Apolo Santana Vieira. As movimentações ressaltam como a figura de Apolo Vieira é relevante no esquema. A Lagoa pertencia a Paulo Cesar de Barros Morato, encontrado morto no Motel Ti-Ti-Ti, em Olinda, no dia 22 de junho passado.

Em 2009, o Ministério Público Federal (MPF), em Pernambuco, denunciou à Justiça Federal 15 pessoas envolvidas com fraudes em importação de pneus novos de países asiáticos. O grupo montou uma estrutura para forjar documentos que eram apresentados à Secretaria da Receita Federal e, com isso, reduzir a incidência de tributos de importação. A prática possibilitou que, pe­lo menos, R$ 100 milhões deixassem de ser recolhidos aos cofres públicos. A pena poderia chegar a 55 anos de prisão para cada denunciado.

Foi verificado que a organização criminosa tinha seu núcleo no Recife e ramificações em Brasília (DF), Salvador (BA) e Fortaleza (CE), além de Miami (EUA). Entre as empresas envolvidas na fraude estavam a Alpha Trading Comércio, Importação e Exportação Ltda. e a D’Marcas Comércio Ltda. A primeira pertence a Apolo Vieira, e a segunda é uma sociedade entre ele e Matteo Bologna.

Fonte/Foto: Folhape

1 Comentário to “MERCADO DE PNEUS ESTÁ NO CENTRO DA LAVAGEM DE DINHEIRO”

Envie um comentário

Redes Sociais:

senai-dez

sesi-dez

Paixão de Cristo 2018

pernambucont


Olinda Hoje no Facebook:

Previsão do Tempo:

Favoritos

Categorias do Blog:

Mapa do Site:

Arquivos do Blog: