ago
16

A CRISE POLÍTICA DA CASA BERNARDO VIEIRA DE MELO

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    Category Em: Artigos     Tags

Igor Belchior – Professor de História

O Brasil passa por uma enorme crise política, tendo em vista o sistema politico eleitoral ainda predominantemente de caráter tradicional, viciado na troca de favores, pelo julgo do capital empresarial que contamina administrações públicas e quem paga a conta é a população, sobretudo os mais pobres.

camaraOlinda tem, hoje, talvez, a pior legislatura da Câmara Municipal da sua história. A Câmara Municipal de Olinda (foto) é uma das mais antigas do Brasil e cumpre um papel de grande importância desde o período Colonial, época em que o Recife era apenas ancoradouro do grande centro urbano da Marim dos Caetés.

Hoje, na Casa Bernado Veira de Melo, são poucos os que de fato desempenham o papel legislativo, que tem como suas principais atribuições a fiscalização do poder executivo e a criação de leis em favorecimento da população. Ao contrário disso, o que se observa é que algumas figuras da legislatura tão somente se comportam como eminências pardas da prefeitura da cidade, aprovando contas do poder executivo sem o escrutínio necessário, ou funcionando como meros cerimonialistas de comendas, insígnias e títulos para indivíduos da sua predileção.

O Poder Legislativo, entre os três Poderes, talvez seja o mais próximo da população numa democracia republicana. Infelizmente na cidade de Olinda, o que se verifica é um grande distanciamento dos cidadãos. A maioria da população desconhece os nomes dos vereadores do município, as sessões da Câmara são esvaziadas, as audiências públicas não têm envolvimento nem participação dos moradores da cidade, o site da Câmara desatualizado e a falta de transparência no acesso às contas da Casa são só alguns exemplos da incapacidade que a Câmara apresenta de se conectar com as demandas da população.

A sociedade olindense exige do Poder Legislativo uma atuação proativa que traga pautas que possam ir além das entregas de medalhas de honrarias e títulos de cidadão olindense e que promovam debates e busquem soluções efetivas para os problemas cotidianos, garantindo o acesso do povo às politicas públicas de mobilidade urbana, geração de emprego e renda, cultura popular, saúde pública, esporte, lazer, educação, moradia, meio ambiente, sustentabilidade, entre outras.

Nesta terça-feira (16), inicia-se uma corrida às 17 vagas na Câmara Municipal. Uma renovação é esperada no Poder Legislativo, porém essa mudança não pode ser de seis por meia-dúzia. É necessário eleger vereadores que tenham compromisso com a população, que conheçam de perto a realidade do Sítio Histórico da cidade e, principalmente, das periferias. Candidatos ficha limpa e que não tenham histórico de corrupção; candidatos que conheçam a Lei Orgânica do Município.

Olinda precisa de um farol de esperança e de justiça social.

1 Comentário to “A CRISE POLÍTICA DA CASA BERNARDO VIEIRA DE MELO”

  • Pedro Moura 16 de agosto de 2016 às 01:26

    É isso ai Igor, sabias palavras, refletem muito o atual cenário da Câmara dos vereadores. Força na luta. Igor Belchior pra renovar a câmara de vereadores de Olinda. #OlindaParaTodos, #40101.

Envie um comentário

Redes Sociais:

senai-dez

sesi-dez

an3

pernambucont


Olinda Hoje no Facebook:

Previsão do Tempo:

Favoritos

Categorias do Blog:

Mapa do Site:

Arquivos do Blog: