jun
6

Outro ex-presidente da Câmara dos Deputados é preso pela PF

AuthorPostado por: Maraba Soares    Category Em: Brasil     Tags , , , , ,

O ex-presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), foi preso nesta terça-feira (6) pela Polícia Federal. Ele é o segundo ex-presidente da Câmara Federal a ser preso em menos de um ano.

Henrique-Eduardo-Alves-e-Eduardo-Cunha

Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que também foi presidente da Câmara dos Deputados, está preso desde outubro de 2016 e foi condenado a 15 anos de prisão. Os dois agora são investigados na Operação Manus, deflagrada nesta manhã. O nome da operação faz referência à frase em latim cuja ideia significa “uma mão lava a outra”. 

A PF desvendou um mistério que se arrastava desde o mês de março. Na ocasião, os investigações revelaram que Henrique Eduardo Alves havia recebido mais de R$ 2 milhões numa conta da Suíça. Ele chegou a afirmar que não sabia como todo esse dinheiro tinha parado ali. Mas os investigadores descobriram que o dinheiro tinha outro destinatário: Eduardo Cunha, seu colega no PMDB. A conclusão é de que o Alves emprestou a conta para que Cunha pudesse receber a propina proveniente de contratos em obras públicas.

Operação Manus também pediu a prisão de Eduardo Cunha, que está preso no Complexo Médico-Penal (CMP) em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, Paraná; por crime de corrupção passiva e ativa e lavagem de dinheiro na construção da Arena das Dunas, no Rio Grande do Norte. Segundo a PF, o sobrepreço chega ao valor de R$ 77 milhões, com favorecimento de duas grandes construtoras. 

Cunha responde a outras duas ações penais, uma em trâmite na 10ª Vara Criminal Federal de Brasília, relativa à Operação Sépsis, e outra encaminhada a Moro pelo Supremo Tribunal Federal, que investiga se ele recebeu propina de US$ 5 milhões em contratos de construção de navios-sonda da Petrobras. O ex-presidente da Câmara ainda é alvo em outros cinco inquéritos ligados à Lava Jato. 

Compondo o núcleo de confiança de Michel Temer, Henrique Eduardo Alves foi o terceiro ministro a deixar o governo após ser citado em delações. Antes dele foram demitidos Romero Jucá e Fabiano Silveira, devido ao vazamento de gravações em que discutiam as ações da Lava-Jato. Detentor de onze mandatos consecutivos de deputado federal, Alves já foi considerado um dos mais influentes e poderosos políticos da República, mas atualmente estava sem mandato e sem ocupar cargo público
 
Ainda nesta terça-feira, a PF cumpre 33 mandados, sendo cinco de prisão preventiva, seis de condução coercitiva e 22 de busca e apreensão no Rio Grande do Norte e Paraná. 
 
Imagem: Fabio Rodrigues/Agência-Brasil
 

Envie um comentário

Redes Sociais:

senai-dez

sesi-dez

Anuncio-gif OH

pernambucont


Olinda Hoje no Facebook:

Previsão do Tempo:

Favoritos

Categorias do Blog:

Mapa do Site:

Arquivos do Blog: