Navegando todos os artigos Brasil
jan
24

Direita também quer o impeachment do presidente Jair Bolsonaro

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Brasil     Tags , , ,

Durante o impeachment de Dilma Rousseff (PT), esquerda e direita estavam em lados opostos. Agora, ambas pedem a saída do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), embora sigam separadas, pelo menos na hora de protestar. Depois da carreata de sábado (23), da Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo – que apoiaram a petista em 2016 – hoje (24) foi a vez do Movimento Brasil Livre (MBL) e o Vem Pra Rua organizarem suas manifestações.

O formato de protesto em carreatas foi escolhido para reduzir o risco de contágio do covid-19. Segundo o MBL, o grupo preferiu protestar no domingo porque o movimento é forte em São Paulo. Muitos comerciantes trabalham sábado e preferem protestar aos domingos.

“Estelionato eleitoral, entregou o governo ao Centrão, fez aliança com Toffoli, Aras e Kassio; abandonou pautas econômicas e o combate à corrupção; e sabota o combate à pandemia”, escreveu o MBL em uma rede social ao publicar um vídeo do protesto na avenida Paulista. O protesto também ocorreu em outras cidades de São Paulo.

No Rio de Janeiro, o ato começou por volta das 10h30, na Avenida as Américas e, às 10h, em frente ao Monumento Zumbi dos Palmares, no centro. Os carros foram até à Praça da Bandeira antes de fazerem o caminho de volta.

Em Belo Horizonte (MG), o ato foi marcado na Praça do Papa às 15h. Mais cedo, Poços de Caldas também protestou. Em Cuiabá (MT), a manifestação começou às 9h próximo à Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). No mesmo horário, os carros saíram da Avenida da Doca de Souza Franco, em Belém (PA).

Fonte/Foto: UOL

 

jan
23

Aprovação a Bolsonaro: somente 26%

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Brasil     Tags , ,

A crise de saúde pública, o avanço da pandemia e desencontros sobre o cronograma de vacinação, provocaram a queda da aprovação à gestão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Antes, ele tinha de 37%. Agora, somente 26% – a maior queda semanal desde o início do seu Governo.

Agora, ele está no mesmo nível de junho de 2020, um dos momentos mais críticos da pandemia do covid-19. A queda acentuada fez com que a desaprovação ao Governo saltasse para 45%.

É o que mostram os novos resultados de uma pesquisa exclusiva de Exame/Ideia, projeto que une a Exame Research, braço de análise de investimentos da Exame, e o Ideia, instituto de pesquisa especializado em opinião pública. O levantamento foi realizado por telefone, em todas as regiões do país, entre os dias 18 e 21 de janeiro. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

A desaprovação do presidente é maior nos estratos de maior renda e de maior escolaridade: entre os que ganham mais de cinco salários-mínimos, 58% não aprovam a gestão do presidente. No grupo dos que têm ensino superior, 64% desaprovam o Governo Federal.

Já em relação à aprovação do presidente, ela segue maior entre os que moram no Centro-Oeste e os evangélicos. Entre os que moram no Centro-Oeste, 36% aprovam o governo Bolsonaro – nas outras regiões do Brasil, esse índice varia de 22% a 27%. Entre os evangélicos, 38% apoiam o governo, ante 20% dos católicos e 23% dos que declaram seguir outras religiões.

Foto: Vermelho

 

jan
12

Pandemia aumenta o tesão e faz a venda de vibradores crescer 50%

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Brasil     Tags , ,

O ano de 2020 entra para a história como um período difícil e que exigiu bastante paciência e criatividade para conseguir se manter e se reinventar. E, para conseguir manter o prazer sexual de forma segura, muitas pessoas decidiram recorrer ao vibrador; outras investiram em cosméticos sensuais e fantasias para apimentar o relacionamento. 

De acordo com o portal Mercado Erótico, entre março e agosto de 2020, a venda de vibradores teve um crescimento de 50%. Em cerca de três meses, aproximadamente 1 milhão de unidades foram vendidas no Brasil. O setor em geral teve um crescimento de 12% segundo dados da Associação Brasileira de Empresas do Mercado Erótico. As vendas através de aplicativos de mensagens e redes sociais foram responsáveis por 90% das compras e o faturamento do setor chegou a R$ 2 bilhões.

Segundo a diretora da INTT Cosméticos, Stephanie Seitz, antigamente as pessoas tinham receio de comprar em sex shop, tinham vergonha, achavam que estavam fazendo algo errado. Para surpresa da empresa, o Dia dos Namorados de 2020 foi o que a empresa mais faturou, em comparação a anos anteriores.

A INTT registrou crescimento de 49% em comparação ao ano de 2019. O produto mais vendido em 2020 foi o Satisfyer Pro 2, um estimulador clitoriano recarregável, com 11 níveis de sucção. Foram vendidas 50 mil unidades do produto só nesse ano. “Queremos que cada vez mais as pessoas descubram novas formas de prazer, conheçam melhor o próprio corpo e consigam melhorar o relacionamento entre casais utilizando produtos sensuais no momento de intimidade”, finaliza Stephanie.

 

jan
12

Dinheiro do FPM já está nos cofres das prefeituras

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Brasil     Tags

O primeiro repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) de 2021 foi feito na última sexta-feira (08). Foram repassados aos cofres municipais R$ 5.400.014.834,63, valor nunca antes visto, desde de 2003, quando a Confederação Nacional de Municípios (CNM) lançou a série de levantamentos mensais do fundo.

Mesmo com a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), a transferência de R$ 4.320.011.867,70 representa um crescimento de 53,83% em relação ao mesmo período de 2020.

Os números são divulgados pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e são influenciados pela arrecadação do final do ano. Geralmente, o primeiro decênio representa quase a metade do valor total repassado. Dados da CNM mostram que, em janeiro de 2020, as prefeituras receberam R$ 8,9 bilhões, sendo R$ 3,5 bilhões na primeira transferência do mês.

 

jan
8

Governo assina contrato para a compra de 100 milhões de doses da CoronaVac

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Brasil     Tags , ,

O Ministério da Saúde anunciou nessa quinta-feira (07)m que assinou o contrato com o Instituto Butantan para a compra de 100 milhões de doses da vacina CoronaVac, produzida pelo instituto paulista em parceria com a empresa chinesa Sinovac. O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante coletiva de Imprensa.

O ministro lembrou que, desde outubro, a pasta já havia assinado um memorando de entendimento, mas que só poderia assinar um contrato após a publicação da Medida Provisória 1.026, em edição extra do Diário Oficial da União na última quarta-feira (06).

“Eu só podia fechar o contrato e empenhar com a MP, que dá essa autorização, senão eu tenho que esperar (a vacina) ficar pronta e registrada, e incluir no SUS e depois pagar. São as leis do nosso país. Aliás, muito boas, que protegem o cidadão e o erário público”, disse Pazuello.

Durante a coletiva, o secretário-executivo da pasta, Élcio Franco, reforçou a necessidade da MP para a compra da vacina. “Estávamos em tratativas, memorandos de entendimento, mas não podíamos contratar”, enfatizou ao citar a lei 6.360, de 1976, que proíbe a comercialização de produtos antes do registro na Anvisa.

Segundo ele, no momento não há orçamento para fazer a contratação integral das 100 milhões de doses. “Em um primeiro momento, é uma contratação de 46 milhões de doses com a opção de 30 dias ao término dessa entrega nós fazermos um novo contrato para adquirir as outras 54 milhões”, explicou.

dez
31

Vacinação contra o covid-19 deverá começar no dia 20 de janeiro de 2021

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Brasil     Tags , ,

O Ministério da Saúde informou na terça-feira (29), que deverá começar a vacinação contra o covid-19 entre 20 de janeiro e 10 de fevereiro de 2021. Mas é preciso que “os fabricantes obtenham o registro das vacinas junto à Anvisa”. As declarações do secretário-executivo Élcio Franco ocorreram após posicionamento da Pfizer, na segunda-feira (28), dizendo que o Brasil exige “análises específicas” que deixam o processo lento.

“Na melhor hipótese, nós estaremos começando a vacinação a partir do dia 20 de janeiro. Num prazo médio, entre 20 de janeiro e 10 de fevereiro. E no prazo mais longo, a partir de 10 de fevereiro”, disse o secretário-executivo.

Ele explicou que os fabricantes precisam obter o registro junto à Anvisa e entregar doses suficientes para que sejam distribuídas. “O Ministério da Saúde tem feito a sua parte. Fizemos o plano nacional de imunização; estamos com a operacionalização pronta, nos preparamos para esse grande dia, mas precisamos que os laboratórios solicitem o registro”.

As declarações ocorreram enquanto dezenas de países já começaram suas companhas de vacinação: Argentina, Chile, México, Costa Rica, Estados Unidos, China, Canadá, Rússia e a União Europeia. O Brasil, apesar de ter contrato com a vacina da AstraZeneca e da Universidade de Oxford (produzida pela Fundação Oswaldo Cruz), ainda não conseguiu aprovar o produto e iniciar a imunização.

 

dez
30

Quando vai começar a vacinação contra o covid-19?

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Brasil     Tags ,

Numa reunião ontem (29), em Brasília (DF), com membros do Ministério da Saúde, o Fórum Nacional dos Governadores cobrou da pasta um cronograma de vacinação contra o covid-19 em todo o Brasil.  A vacinação já acontece nos países vizinhos, Chile e Argentina, além de México e Costa Rica.

O questionamento foi feito pelo governador do Piauí, Wellington Dias, do PT. Ele cobrou do governo, datas para o início da vacinação e treinamento de profissionais. “Por que (ainda) não temos um cronograma para o início da vacinação? Outros países começaram protegendo aquela parte mais vulnerável da população e isso requer menos doses de vacina. Mas é preciso ter um cronograma agora”, disse.

dez
6

Bolsonaro é favorito para 2022: ganha de Moro, Lula, Ciro, Huck e Dória

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Brasil     Tags , , ,

A revista Veja publicou na sexta-feira (04), um levantamento da Paraná Pesquisas que aponta o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) liderando todos os cenários para a disputa à Presidência em 2022. Foram traçadas três possibilidades de concorrentes com o chefe do Executivo e ele vence nas três, no primeiro turno. 

Primeiro cenário: Bolsonaro aparece 22% à frente do segundo colocado, Sérgio Moro. O presidente tem 33,3% e o ex-ministro da Justiça conta com 11,8%. Em seguida vêm Ciro Gomes (10%), Fernando Haddad (8,8%), Luciano Huck (7,8%) e Guilherme Boulos (5,7%).

Segundo cenário: Com Lula e com a ex-ministra Marina Silva, mas sem Haddad e Luciano Huck. Bolsonaro tem 32,9%m ficando 15 pontos percentuais à frente de Lula. Em seguida aparecem Moro (11,9%), Ciro (7,7%) e Boulos (4,9%).

Terceiro cenário: Inclui os nomes do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (Democratas) e do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) e retiram-se Lula, Moro e Marina Silva da disputa. Aqui, Bolsonaro apresenta melhor resultado, com 35,8% das intenções dos votos ao Planalto. O segundo é Ciro Gomes (12,1%), com 23 pontos percentuais atrás do presidente.

Bolsonaro vence no segundo turno – O Paraná Pesquisas traçou cinco possibilidades de segundo turno e Bolsonaro aparece como vencedor em todas as projeções. Os maiores adversários do presidente são Sérgio Moro e Lula. A pesquisa mostra Bolsonaro com 10% à frente do ex-ministro da Justiça e com 14% à frente do petista. 

Confira os cinco cenários montados de segundo turno na disputa pela Presidência em 2022:

Cenário 1:

Bolsonaro – 44,9%
Moro – 34,7%
não sabe – 4,5%
nenhum – 16%

Cenário 2:

Bolsonaro – 47%
Lula – 33,4%
não sabe – 4,3%
nenhum – 15,4%

Cenário 3:

Bolsonaro – 48,5%
Ciro Gomes – 31%
não sabe – 4,5%
nenhum – 16,1%

Cenário 4:

Bolsonaro – 58,6%
Luciano Huck – 29,7%
não sabe – 4,6%
nenhum – 17,1%

Cenário 5:

Bolsonaro – 51,1%
Doria – 23,8%
não sabe – 4,9%
nenhum – 20,2%

Fonte: com informações do Poder360. Foto: O Globo

dez
5

Hora do caçador: 2,6 milhões terão que devolver o Auxílio Emergencial

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Brasil     Tags ,

Nos próximos dias, o Governo Federal vai enviar mensagens SMS para 2,6 milhões de brasileiros que receberam indevidamente o Auxílio Emergencial. O objetivo é cobrar a devolução dos valores, embolsados por pessoas que não faziam jus à ajuda criada pelo Governo durante a pandemia do covid-19. Se cada um restituir pelo menos uma parcela de R$ 600,00 o valor recuperado chegará a R$ 1,574 bilhão.

A estratégia está sendo montada pelo Ministério da Cidadania, responsável pelo Auxílio Emergencial. A pasta pediu o apoio do Ministério da Economia para o envio dos SMS. De acordo com o documento, o Ministério identificou a necessidade de cancelar o repasse do Auxílio aos 2,6 milhões de beneficiários que haviam se cadastrado pelo aplicativo, mas não tinham direito ao benefício. A lista será repassada ao Ministério da Economia, que usará um contrato já existente para o envio de SMS para executar a operação.

O Governo destinou R$ 322 bilhões para bancar o Auxílio Emergencial até o fim do ano. Desde sua implementação, em abril, órgãos de controle e imprensa têm apontado diversos casos de pessoas recebendo indevidamente, como servidores públicos, militares e políticos, entre outros casos.

Segundo o ofício da Cidadania, a previsão é que sejam enviadas cerca de 4,8 milhões de mensagens, considerando a possibilidade de ser necessário encaminhar um reforço da cobrança. O Governo Federal lançou um site para facilitar a devolução dos valores recebidos indevidamente. Para isso, é preciso informar o CPF e gerar uma Guia de Recolhimento da União (GRU) a ser paga em qualquer outro banco.

nov
11

Brasil é um “país de maricas”?

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Brasil     Tags , ,

O presidente Jair Bolsonaro afirmou ontem (10), que é preciso enfrentar a pandemia do covid-19 de “peito aberto” e que o Brasil tem de deixar de ser “um país de maricas”, numa referência pejorativa ao receio com o novo coronavírus, que já matou mais de 162 mil e infectou 5,67 milhões de pessoas.

“Tudo agora é pandemia. Lamento os mortos, lamento. Todos nós vamos morrer um dia. Aqui todo mundo vai morrer um dia… Não adianta fugir disso, da realidade. Tem que deixar de ser um país de maricas, pô”, disse o presidente, em cerimônia no Palácio do Planalto. Em seguida ele acrescentou: “Olha que prato cheio para a imprensa, prato cheio para a urubuzada que está ali atrás.”

No evento de lançamento da retomada do Turismo, Bolsonaro disse que a pandemia foi “superdimensionada” e criticou quem começou a amedrontar o povo com a possibilidade de uma segunda onda da doença.

O presidente pediu ajuda para arrumar o Brasil e destacou que o Auxílio Emergencial – ajuda paga durante a pandemia – acaba em dezembro. “Como ficam os 40 milhões que perderam tudo?”, questionou.

Copyright © Thomson Reuters.

 

set
8

Igrejas devem R$ 1 bilhão em tributos, mas deputados aprovam perdão das dívidas

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Brasil     Tags , ,

O eleitor, o trabalhador, o cidadão comum não consegue ter as suas dívidas tributárias perdoadas pelo governo. Mas, as igrejas, que devem quase R$ 1 bilhão em tributos, são perdoadas. Um projeto aprovado pelo Congresso Nacional pode anular dívidas tributárias de igrejas, acumuladas após fiscalizações e multas aplicadas pela Receita Federal.

Segundo apuraram o jornal O Estado de S. Paulo e o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), o texto aguarda a sanção ou veto do presidente Jair Bolsonaro, que tem na bancada evangélica um importante pilar de sustentação política do seu governo. Ele tem até a próxima sexta-feira (11), para decidir se mantém ou não a benesse aos templos religiosos.

Como revelaram Estadão e Broadcast no fim de abril, Bolsonaro promoveu na época uma reunião entre o deputado federal David Soares (Democratas-SP), filho do pastor R. R. Soares, e o secretário especial da Receita Federal, José Barroso Tostes Neto, para discutir os débitos das igrejas. O presidente ordenou à equipe econômica “resolver o assunto”, mas os técnicos resistem. Bolsonaro também já defendeu publicamente a possibilidade de acabar com taxas ainda pagas pelas igrejas e “fazer justiça com os pastores, com os padres, nessa questão tributária”.

David Soares foi autor da emenda que introduziu, durante a votação na Câmara dos Deputados, o perdão que pode beneficiar inclusive a Igreja Internacional da Graça de Deus, fundada pelo pai do deputado. A instituição tem R$ 37,8 milhões inscritos na Dívida Ativa da União, além de outros débitos milionários ainda em fase de cobrança administrativa pela Receita Federal.

Hoje, as igrejas têm ao todo R$ 1,5 bilhão em débitos inscritos na Dívida Ativa. O perdão, no entanto, valeria apenas para as autuações sobre não pagamento de CSLL e contribuição previdenciária.

A consulta pública da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) mostra que os templos acumulam R$ 868 milhões em dívidas previdenciárias de qualquer espécie (não necessariamente apenas sobre prebenda), mas não detalha débitos da CSLL. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Estadão Conteúdo. Foto: Gazeta do Povo.

set
2

Acontece hoje lançamento de campanha contra golpes financeiros e repasse de R$ 160 milhões a ILPIs

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Brasil     Tags , ,

Hoje (02), às 11h, será realizado evento no Palácio do Planalto, em Brasília (DF), para o lançamento de campanha de combate à violência financeira e patrimonial contra a pessoa idosa, realizada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), e para a regulamentação do repasse de R$ 160 milhões às Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs).

A assinatura da portaria que definirá os critérios para o repasse dos recursos às instituições de acolhimento de idosos é uma das ações para minimizar os efeitos da pandemia do covid-19. A cerimônia contará com a presença da ministra do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), Damares Alves, e outras autoridades.

Na oportunidade também será assinado um protocolo de intenções entre o MMFDH e a Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), que visa a ofertar educação financeira a gestores de instituições que prestam serviços de cuidados a idosos.

ago
14

Aprovação de Bolsonaro chega a 37%

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Brasil     Tags , ,

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), atingiu a sua melhor avaliação desde o início do mandato, segundo pesquisa Datafolha divulgada pelo jornal “Folha de S.Paulo” no final da noite de ontem (13).

A pesquisa indica alta no número de eleitores que consideram o governo ótimo ou bom (aprovação ao governo) e queda entre os que veem o governo como ruim ou péssimo (reprovação). Os percentuais da pesquisa são os seguintes:

– Ótimo/bom: 37%
– Regular: 27%
– Ruim/péssimo: 34%
– Não sabe/não respondeu: 1%

A pesquisa Datafolha foi realizada nos dias 11 e 12 de agosto, com 2.065 brasileiros adultos, que possuem telefone celular, em todas as regiões e Estados do país. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Essa taxa de aprovação de 37% é a maior já registrada desde o início do mandato de Bolsonaro.

Fonte: BlogdoMagno

ago
10

37% dizem que perderam o emprego por conta do isolamento social

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Brasil     Tags , ,

Trinta e sete por cento dos desempregados afirmam que perderam o emprego em razão da pandemia. Destes, um terço (34%) diz que o foco agora não é arrumar logo outra ocupação. Isso é parte do resultado da terceira edição da pesquisa Coronavírus e o seu Impacto no Brasil, realizada em julho Demanda Pesquisa e Desenvolvimento de Marketing.

O levantamento foi realizado por meio de questionários online, entre os dias 16 e 21 de julho, e obteve 1.090 respostas, de todas as regiões do Brasil. Um dos focos desta terceira pesquisa era abordar o sentimento geral da população em relação ao mercado de trabalho.

Entre aqueles que permanecem empregados, nada menos do que 49% continuam trabalhando exclusivamente de casa, no chamado home office; outros 16% alternam dias em casa e dias no escritório e somente 9% já retomaram integralmente a sua rotina fora de casa. 

Ainda de acordo com a pesquisa, 26% dos que permanecem trabalhando em casa afirmam não estarem satisfeitos com esta condição. São pessoas que dizem sentir falta da presença física de clientes, colegas, etc. Ou, ainda, sentem que estão trabalhando mais e rendendo menos, por conta das dispersões domésticas e da falta de estrutura adequada. TOs outros – mais de 70% satisfeitos – mencionam como justificativa para sua satisfação a economia de tempo sem os temíveis deslocamentos de ida e volta do trabalho e também a economia de dinheiro com transporte, combustível, alimentação.

Havia na pesquisa uma pergunta sobre qual modelo de trabalho gostariam de adotar após o fim da pandemia: 65% disseram que o ideal seria uma mescla entre dias no escritório e dias em casa.

ago
10

Brasileiros acreditam que suas vidas mudaram para pior depois do covid-19

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Brasil     Tags , ,

O sentimento geral das pessoas com o momento da pandemia é de desânimo. Três em cada quatro pessoas (75%) se dizem desanimadas atualmente. Ao serem perguntadas sobre o que mudou para pior ou para melhor do início da pandemia para cá, quase a metade deles (49%) afirma que a vida mudou para pior no que diz respeito à vivência social e às oportunidades de lazer.

Outros 37% sentiram piora no estado psicológico e no seu equilíbrio emocional. Em outro sentido, 41% observaram que melhorou seu engajamento em ações solidárias e 53% estão se relacionando melhor com suas famílias. Esses números são resultados da pesquisa da terceira pesquisa “Coronavírus e o seu Impacto no Brasil”, realizada em julho, pela Demanda Pesquisa e Desenvolvimento de Marketing.

Muitos brasileiros fazem planos para quando a pandemia acabar e somam 70% os que pretendem viajar assim que possível. Outros planos muito presentes são rever familiares ou amigos (58% dos entrevistados) e retomar ou iniciar a prática de algum esporte (42%).

Enquanto isso tudo não é possível, boa parte deles admite ter incorporado ou intensificado alguns maus hábitos. A ingestão de chocolates ou doces em geral cresceu em nada menos do que 38% do público pesquisado. Já o hábito de beber álcool agravou-se ou incorporou-se à rotina de 20% dos internautas brasileiros participantes da pesquisa.

ago
6

Pelo fim do abuso do poder religioso na política

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Brasil     Tags , ,

Nesta quinta-feira (06), o vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, se reunirá com líderes e representantes da bancada evangélica do Congresso Nacional. Vai falar sobre a ação que trata de abuso de poder religioso.

O ministro Fachin é relator do tema no TSE, que pode tornar crime eleitoral pastores e demais sacerdotes pedirem votos para candidatos em igrejas e templos.

Em Olinda, o prefeito Lupércio (Solidariedade) é evangélico e, desde o início da sua gestão, setores da Oposição o acusam de beneficiar grupos religiosos nos quadros de funcionários comissionados e obras eleitoreiras na periferia da cidade.

Já a sua aliada, a vereadora Denise Almeida (Republicanos), foi eleita com a força da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) e defende os interesses da Iurd na Câmara de Vereadores. Foi de sua autoria, os projetos de Resolução que concederam os Títulos de Cidadão Olindense aos pastores Ossésio Silva e Willians Brígido, e a realização de uma sessão solene para marcar o aniversário de 40 anos da Igreja Universal.

jul
30

Onze prefeitos no Brasil já morreram por conta do covid-19

AuthorPostado por: Jornalismo Redação    CategoryEm: Brasil     Tags , ,

Pelo menos 11 prefeitos brasileiros já morreram por covid-19 ou complicações desencadeadas por ela até a última segunda-feira (27). Todos eram homens, de idades entre 35 e 78 anos, e chefiavam municípios de 10 Estados diferentes. Nenhum de Pernambuco.

As vítimas foram os prefeitos de:

  • Alto Taquari (MT): Fabio Garbugio (PDT), de 47 anos
  • Viamão (RS): Valdir Jorge Elias “Russinho” (MDB), 65 anos
  • Água Doce do Norte (ES): Paulo Márcio Leite Ribeiro (Democratas), 50 anos
  • Ingá (PB): Manoel Batista Chaves Filho, o “Manoel da Lenha” (PSD), 64 anos
  • Araguanã (TO): Hernandes Neves de Brito, o “Hernandes da Areia” (Democratas), 74 anos
  • Santana do Ipanema (AL): Isnaldo Bulhões (MDB), 78 anos
  • Santo Antônio do Aracanguá (SP): Rodrigo Aparecido Santana Rodrigues (Democratas), 35 anos
  • Borebi (SP): Antônio Carlos Vaca (PSDB), 73 anos
  • Santa Quitéria (MA): Alberto Rocha (PP), 45 anos
  • Igarapé-Açu (PA): Nivaldo Costa (Solidariedade), 47 anos (prefeito interino)
  • São José do Divino (PI): Antônio Felícia (PT), 56 anos

Em Pernambuco morreram os ex-prefeitos de:

  • Feira Nova: Jairo Cândido Gonzaga (56 anos)
  • Betânia: Arthur Leite de Caldas (79 anos)
  • Exu: Léo Saraiva (49 anos)
  • Serra Talhada: Antônio Policarpo de Andrade, “Seu Madeira” (95 anos)

O ex vice-prefeito de Nazaré da Mata, Maurício Andrade (53 anos); o ex-vereador do Recife, Vicente André Gomes (68 anos); e o ex-deputado estadual Severino de Almeida Filho, o “Almeidinha” (82 anos). Ele estava internado com problemas renais e, segundo a família, o seu estado de saúde foi agravado pelo covid-19.

Com informações do Poder360.

jul
26

Quase a metade dos brasileiros quer a saída do presidente Jair Bolsonaro

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Brasil     Tags , ,

Pesquisa do DataPoder360 indica que 49% dos brasileiros acham que o presidente Jair Bolsonaro deve deixar o cargo. O percentual representa uma variação de dois pontos percentuais para mais, desde o último levantamento  – de 06 a 08 de julho. Ou seja, dentro da margem de erro do estudo.

Os que acham que o chefe do Executivo deve continuar à frente do Planalto são 43%, ante 42% há 15 dias. Outros 8% não souberam ou não responderam.

A estabilidade nessa questão vem no mesmo momento em que Bolsonaro foi diagnosticado com o covid-19 e ficou recluso por mais de 15 dias no Palácio da Alvorada. O militar tem criado menos atritos com a mídia, adversários e integrantes dos outros Poderes da República.

Ontem (25), o presidente anunciou que já está curado da doença e voltou a fazer atividades ao ar livre e cumprimentar apoiadores. No mesmo dia, andou de moto por Brasília.

A pesquisa foi realizada entre 20 a 22 de julho de 2020 pelo DataPoder360, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 560 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Conheça mais sobre a metodologia lendo este texto.

Fonte/Infográfico: Poder360

jul
26

Mulheres e jovens até 24 anos são maioria no “Fora Bolsonaro”

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Brasil     Tags , ,

Os clamores dos brasileiros para a saída do presidente Jair Bolsonaro, seja por vontade própria (renúncia) ou forçada (impeachment), estão diretamente relacionados à avaliação da sua gestão.

Entre os que acham que o presidente deve continuar no Palácio do Planalto, 91% avaliam seu trabalho como “ótimo” ou “bom”. Apenas 3% consideram “ruim” ou “péssimo”. A rejeição dos que defendem a saída de Bolsonaro é de 93% e a aprovação é somente de 7%.

A estratificação do levantamento realizado pelo DataPoder360, entre os dias 20 e 22 de julho, mostra que o desejo de que Bolsonaro deixe o governo é maior entre:

  • – Mulheres – 53%;
    – Quem tem de 16 a 24 anos – 54%;
    – Os que possuem ensino superior – 67%;
    – Moradores do Sudeste e Nordeste – 52%, em ambos os estratos;
    – Os que ganham mais de 10 salários mínimos – 63%.

Já a permanência de Bolsonaro no Planalto é mais defendida por:

  • – Homens – 49%;
    – Quem tem de 25 a 44 anos – 47%;
    – Os que possuem apenas o ensino fundamental – 47%;
    – Moradores do Norte – 54%;
    – Desempregados e sem renda fixa – 49%.

Fonte: Poder360

jun
30

Maioria da população é contra reabertura de comércio e vê piora na pandemia do covid-19

A maioria dos brasileiros acredita que governadores e prefeitos agem mal ao reabrir o comércio e serviços fechados pela pandemia do covid-19, aponta nova pesquisa Datafolha. A reabertura tem ocorrido em um momento em que o país ainda não atingiu o pico da doença e cientistas projetam um número crescente de novas mortes. A pesquisa mostra também que duas a cada três pessoas acreditam que a situação da pandemia está piorando no país.

Por trás da pressa em reabrir antes do controle da doença, está a tentativa de reduzir o impacto econômico e seus reflexos políticos em ano de eleições municipais. O que a pesquisa Datafolha sugere é que a retomada do comércio e dos serviços antes da hora também pode ter o seu custo eleitoral.

Os setores da população mais contrários à reabertura são formados por mulheres (58% acreditam que governadores e prefeitos agem mal ao tomar essas decisões), jovens (61% têm entre 16 e 24 anos) e os mais escolarizados (56% dos que têm ensino superior).

Tanto entre mais pobres, que dependem mais de programas de auxílio, como entre os mais ricos, a maioria se diz contrária à ação dos governadores neste momento. Entre o empresariado, no entanto, 60% diz que apoia as decisões do poder público de retomar as atividades.

O Brasil é o segundo país do mundo onde o covid-19 matou mais gente até agora em números absolutos, com mais de 57 mil mortes registradas até o começo da tarde dessa segunda-feira (29) – sem contar os casos que não são notificados.

Há duas semanas, o Ministério da Saúde informou que o Brasil estava estabilizando o número de novas mortes, entrando no chamado platô. No último dia 24, no entanto, o Governo recuou e admitiu que o país ainda registrava avanços na doença.

Um modelo matemático de pesquisadores da PUC-Rio prevê novos recordes diários nas próximas semanas, chegando a 1.960 novas mortes em 10 de julho – o maior número de registros diários até agora foi de 1.473, no começo de junho. Diante desse cenário, 65% da população afirma que a pandemia está piorando no país, mostra a pesquisa Datafolha.

Fonte: Folhapress. Foto: NE10

Carnaval 2020

Está chegando o Sábado de Carnaval22 de fevereiro de 2020
O grande dia está aqui.

Olinda Hoje no Facebook:

Previsão do Tempo:

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 613 outros assinantes

Categorias do Blog:

Mapa do Site:

Arquivos do Blog:

Olinda Hoje

%d blogueiros gostam disto: