Navegando todos os artigos Eleições 2018
jan
10

#NãoValeTudo nas eleições de 2018

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eleições 2018     Tags , , ,

Sob o mote #NãoValeTudo, 28 organizações e movimentos da sociedade civil assinaram carta-manifesto que propõe um grande pacto nacional pelo uso ético da tecnologia por partidos, campanhas e candidatos nas eleições de 2018.

“As tecnologias podem ser utilizadas de diferentes maneiras. Ao mesmo tempo que podem fazer com que nossas conexões e possibilidades se ampliem, percebemos que determinados usos podem prejudicar a nossa capacidade de nos informar, debater e exercer a nossa cidadania. São usos antiéticos e desonestos que manipulam o debate, desinformam o público e causam desequilíbrios e ruído no debate político democrático”, afirma em trecho do documento.

Para evitar esses problemas, a iniciativa propõe:

  • – A não-tolerância da produção e disseminação de notícias falsas (Fake News);
  • – A transparência no uso de tecnologias para fins eleitorais, como robôs (perfis não humanos) na internet;
  • – A defesa da liberdade de expressão e crítica dos cidadãos, desde que responsabilizados por suas falas;
  • – Transparência sobre o uso e as fontes de dados pessoais dos cidadãos;
  • – Proibição do roubo ou compra de dados pessoais dos cidadãos por meio de terceiros.

Os signatários buscam construir um grande pacto nacional pelo uso ético das tecnologias no contexto eleitoral, buscando a adesão de partidos e candidatos aos princípios estabelecidos na carta. Também buscam articular os diversos atores envolvidos no processo eleitoral, como o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), empresas de tecnologia, organizações e movimentos da sociedade civil, para garantir de que sejam aplicadas as regras já existentes para controlar a forma como os partidos e candidatos utilizam a internet, e que sejam construídas propostas e ações concretas para banir as práticas antiéticas e desonestas nas eleições de 2018.

jan
9

Deputado Joel da Harpa declara apoio à candidatura de Jair Bolsonaro

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eleições 2018     Tags , ,

 
Após o ingresso do deputado federal Jair Bolsonaro no PSL, o deputado estadual Joel da Harpa (Podemos), que é defensor da candidatura presidencial do deputado-militar, avalia migrar de sigla. Em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, ontem (08), ele afirmou que entrou em contato com Luciano Bivar, presidente nacional do PSL, para tratar da filiação.

Segundo o deputado estadual, a entrada de Bolsonaro no PSL provocou a filiação de mais de um milhão de pessoas, em apenas alguns dias. O anúncio da filiação foi feito na última sexta-feira (05). “Bolsonaro tem um crescimento gigante em todo o país e aqui em Pernambuco não tem sido diferente. Mas estava faltando um partido que abraçasse a ideia para aglomerar essas várias lideranças que tem surgido no Brasil”, disse.

Joel da Harpa, que faz oposição ao governador Paulo Câmara (PSB), também colocou que irá ter um encontro com Bivar para conversar sobre a possibilidade de o PSL lançar um candidato ao Governo do Estado. “Acho que qualquer partido que apoia Jair Bolsonaro tem que ter candidatura própria. É importante para que a gente tenha um palanque mais fortalecido”, justificou.

Fonte: Folhape

dez
27

PV e Rede discutem hoje rumo para eleições de 2018 em Pernambuco

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eleições 2018     Tags , , ,

O presidente do Partido Verde (PV) em Pernambuco e o porta-voz da Rede no Estado, Carlos Augusto Costa e o ex-deputado Roberto Leandro, se reúnem nesta quarta-feira (27) para discutir o caminho que as legendas deverão seguir nas eleições de 2018.

Este será o primeiro encontro dos dois partidos após terem abandonado o governo Paulo Câmara (PSB). Consta da pauta candidaturas majoritárias, eleição para deputados federal e estadual, além da cláusula de barreira aprovada recentemente pelo Congresso Nacional.

A Rede ocupava no governo Paulo Câmara a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade, com o jornalista e ambientalista Sérgio Xavier.

O partido decidiu cair fora do governo porque o seu candidato a presidente da República, Marina Silva, não deverá receber o apoio do PSB nas próximas eleições. Marina foi a candidata do PSB em 2014, mas o seu projeto para 2018 é outro.

dez
27

41% dos brasileiros pretendem anular o voto nas eleições de 2018

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eleições 2018     Tags , ,

Levantamento feito pelo Instituto Paraná Pesquisas, divulgado nessa terça-feira (26), revela que 41% dos brasileiros pretendem anular o voto para deputado federal. A pesquisa foi feita em 25 Estados e no Distrito federal, com dois mil questionários.

De acordo ainda com a pesquisa, 38,5% dos eleitores com curso superior pretendem anular o voto para deputado, enquanto 42,1% dos que têm o ensino fundamental têm essa mesma pretensão. Já 11% não sabem ainda o que irão fazer com o seu voto.

O instituto entrevistou 2.020 eleitores em todos os Estados brasileiros, entre os dias 18 e 21 deste mês de dezembro. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Pernambuco tem 25 deputados federais e 49 estaduais. A grande maioria dos federais deverá ser reeleita por falta de candidatos novos.

Fonte: Inaldo Sampaio

dez
25

PSOL indica mulheres para disputar Senado e o Governo do Pernambuco

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eleições 2018     Tags , ,

O Partido do Socialismo e Liberdade (PSOL) em Pernambuco decidiu disputar, apenas com mulheres, o Governo de Pernambuco e as duas vagas ao Senado nas eleições de 2018. A vaga de vice-governador também deverá ser ocupada por um nome do sexo feminino.

A historiadora e feminista, Dani Portela, vai concorrer ao Governo do Estado. As duas vagas do Senado serão disputadas pela presidente regional do partido, Albanise Pires (foto), e pela ex-candidata a vereadora de Olinda, Eugênia Lima. 

A vaga de vice-governador ainda está em aberto e deverá ser negociada com outros partidos. Mas, obrigatoriamente, o indicado terá que ser mulher.

A direção do PSOL resolveu montar uma chapa majoritária só com mulheres por defender a necessidade de focar no debate de gênero, com a apresentação de um programa político sobre questões que afetam a vida dos pernambucanos nas áreas de segurança pública, saúde, educação, meio ambiente, desertificação do semiárido, mobilidade urbana e transporte público.

dez
25

Políticos se preparam para sair pela “janela partidária”

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eleições 2018     Tags ,

Coluna Estadão/Estado de S. Paulo 

A janela partidária, que vai permitir a parlamentares trocar de partido em março de 2018, deve alterar de forma significativa a composição das bancadas na Câmara dos Deputados. A avaliação de líderes é que cerca de 50 deputados vão trocar de sigla, 10% da Casa Legislativa.

O PMDB admite que deve perder oito nomes, mas está na expectativa de ganhar até dez. O DEM, PP, PSD e PR têm prometido recursos dos fundos eleitoral e partidário como atrativo, além de tempo de TV na eleição de 2018, algo precioso com a redução da campanha de 90 para 45 dias.

Os partidos que não vão lançar nome próprio ao Planalto levam vantagem na disputa por deputados, porque poderão concentrar os recursos do Fundo Eleitoral na reeleição dos parlamentares. Com mais verba, fica mais fácil atrair novas adesões.

O plano do PSD é aumentar a bancada na Câmara. Motivo: 95% dos recursos do Fundo Partidário são distribuídos conforme a proporção dos votos obtidos na última eleição para a Casa Legislativa.

 
dez
25

PSD, PPS e PSB à disposicão de Jarbas Vasconcelos e outros peemedebistas

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eleições 2018     Tags , , ,

Partindo-se da premissa de que o deputado federal Jarbas Vasconcelos vai mesmo perder o controle do PMDB-PE para o senador Fernando Bezerra Coelho, é provável que ele e o seu grupo político já tenha um “Plano B” para a disputa eleitoral de 2018.

Por mais que negue, o grupo (formado por Jarbas e o deputado federal Kaio Maniçoba; o vice governador Raul Henry e os deputados estaduais Tony Gel, Ricardo Costa e Gustavo Negromonte) está à procura de abrigo em outras legendas, afinal de contas, todos irão disputar a reeleição no próximo ano. Henry deve concorrer a uma vaga na Câmara Federal.

O destino natural do grupo seria o PSDB, dado o compromisso de Jarbas Vasconcelos com Geraldo Alckmin na eleição presidencial de 2018. Mas essa hipótese está descartada porque os tucanos de Pernambuco deixaram a base política do governador Paulo Câmara (PSB) e foram para a oposição.

As outras alternativas são o PSD, PPS e o PSB. O mais provável seria o abrigo do grupo no PSD, presidido em Pernambuco pelo deputado federal André de Paula. Por conta da pouca expressividade o PPS não empolga muito os peemedebistas. Já o PSB ficaria muito pequeno para o ex-governador Jarbas Vasconcelos, que é muito maior, politicamente, do que o governador Paulo Câmara.

Fonte: Inaldo Sampaio

nov
26

Eleições presidenciais 2018: “loucura, loucura, loucura”

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eleições 2018     Tags , , ,

Huck Presidente

O Brasil está dividido entre um ex-presidente de esquerda condenado pela Operação Lava Jato e um candidato de extrema direita saudoso da ditadura militar. Nisso surge “o novo”, um candidato de centro com rosto conhecido da TV, e neutraliza os “radicalismos” de Lula (PT) e Jair Bolsonaro (PSC), atuais líderes nas pesquisas.

Teria sensibilidade para entender as demandas econômicas do mercado financeiro, sem deixar de lado o apelo social dos menos abastados. Este é o roteiro que muitos querem para o pleito do ano que vem, que seria estrelado pelo apresentador da Rede Globo Luciano Huck – criador do bordão “loucura, loucura, loucura”. Ele se reuniu recentemente com o presidente do PPS, Roberto Freire, e com representantes do DEM.

A possibilidade do apresentador disputar as eleições ganhou força depois que a pré-candidatura do prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), que já havia se auto intitulado como “o novo” na política, começar a fazer água nas pesquisas — o tucano já admite que deixou para trás o sonho de ser presidente e que gostaria de disputar o Governo do Estado ao invés do Planalto.

O global Luciano Huck, por sua vez, conta com 60% de aprovação, de acordo com pesquisa do Instituto Ipsos divulgada na última quinta-feira (23) — que não era, no entanto, um levantamento de intenção de votos, mas uma percepção dos entrevistados para a pergunta “Vou ler o nome de alguns políticos e gostaria de saber se o senhor(a) aprova ou desaprova a maneira como eles vêm atuando no país”. Na lista estavam Lula, Bolsonaro, Dória e outros presidenciáveis, além do juiz Sérgio Moro e do ex-ministro do Supremo, Joaquim Barbosa. Huck superava a todos, alguns com folga, como o nome do prefeito paulistano, que só soma 19% de aprovação.

O nome de Huck cresceu nos balões de ensaio da política – nome que se dá quando alguém é apresentado publicamente como possível candidato para ver a aceitação do público e do establishment — este ano desde que concedeu uma entrevista em março à Folha de S. Paulo, em que enfatiza a necessidade de a sua geração assumir postos chaves na política. Mas na mesma entrevista foi questionado sobre um desejo seu, explicitado dez anos atrás, de um dia ser presidente do Brasil.

Fonte: El País

nov
26

Luciano Huck cresce na intenção de votos para presidente

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eleições 2018     Tags , , ,

O apresentador Luciano Huck tem acesso a pesquisas mensais para avaliar a sua viabilidade eleitoral. Desde julho, huckele recebe os relatórios que mês a mês testam o seu desempenho. Os dados revelam crescimento na intenção de votos no apresentador, que estuda se filiar ao PPS para disputar a eleição presidencial de 2018.

Em julho, no pior cenário para ele, que incluía o ex-presidente Lula, Huck tinha 8%; hoje ele está com 11%. Sem o petista, o crescimento foi de 9% para 14%. A pesquisa quantitativa foi encomendada por Huck para consumo interno.

O levantamento mais recente saiu no meio dessa semana que passou. Nela, Huck está em quarto lugar. No cenário sem Lula, o apresentador empata com Marina Silva (Rede) em segundo lugar. Nesse caso, Bolsonaro aparece em primeiro.

Os dados mostram que Huck cresce nas regiões periféricas nas classes C e D e nas cidades do interior do Nordeste na classe C. Os números têm sido guardados a sete chaves pelo grupo do apresentador e o ajudarão a tomar uma decisão sobre 2018.

Fonte: Estadão

nov
26

Quem é o grupo que pode lançar Luciano Huck à presidência em 2018?

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eleições 2018     Tags , ,

Agora!

Fundado no ano passado, o Agora! diz ter por missão encontrar uma agenda de propostas de políticas públicas com as quais pudessem concordar tanto esquerdistas quanto liberais. Uma ideia ousada em tempos de intensa polarização. Não é por isso, no entanto, que o grupo tem chamado a atenção.

Recentemente, o apresentador da TV Globo, Luciano Huck, ingressou no Agora!, o que provocou rumores sobre uma possível candidatura presidencial dele. Embora nada esteja ainda decidido e, oficialmente, o movimento trate a possibilidade com cautela, integrantes do movimento debatem abertamente a possibilidade e já há divisões internas em relação ao assunto.

O grupo foi idealizado pelo cientista político Leandro Machado, pela especialista em segurança Ilona Szabó, próxima ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso; e pela empresária Patrícia Ellen, que foi sócia da consultoria McKinsey & Company.

Participam ainda Rafael Poço, cofundador da Rede Sustentabilidade, partido de Marina Silva; o diretor do grupo educacional Somos, Eduardo Mufarej; a presidente do grupo Todos Pela Educação, Priscila Cruz; o secretário de Assuntos Estratégicos de Michel Temer, Hussein Kalout, e o analista político João de Castro Neves, da Eurasia Group.

Apesar da amplitude de posicionamentos políticos, a maioria é composta de homens, brancos e ricos – ou de classe média alta – entre 30 e 40 anos. Em entrevista à BBC Brasil, Leandro Machado reconheceu o problema e disse que o Agora! está trabalhando para aumentar sua diversidade.

Com a bandeira da redução da desigualdade, o grupo tem algumas premissas básicas, mas ainda não fechou sua agenda completa de propostas. Os assuntos são discutidos um a um e a ideia é ter uma lista de proposições concretas, não um compêndio de boas intenções ou princípios.

“A discussão hoje é muito superficial. As pessoas falam em Estado Mínimo. Mas o que é isso? Não aderimos a conceitos prontos. Sim, queremos aumentar a eficiência do Estado, mas ele não pode ser mínimo na segurança pública, na educação – precisa garantir educação de qualidade para todos”, explica Machado.

Boa parte dos membros é formada ou trabalhou em instituições internacionais renomadas. O advogado Ronaldo Lemos, o economista Tomás Lopes Teixeira e a advogada Celina Beatriz Bottino, por exemplo, têm mestrado pela Universidade de Harvard (EUA). A economista Mônica de Bolle é PhD pela London School of Economics (Inglaterra). O executivo Rafael Benke já passou pela Organização dos Estados Americanos (OEA) e pela Organização Mundial do Comércio (OMC).

A ideia, segundo o fundador Leandro Machado, é encampar o discurso da renovação política, mas trazendo para o debate pessoas preparadas, e não “aventureiros”. “Ninguém é político, mas todos têm histórico de atuação política. Renovação só pela renovação pode ser pior, se vier uma pessoa despreparada ou mal intencionada”, afirma.

Ronaldo Lemos concorda: “Pessoas que participaram a vida inteira da busca de soluções, não gente que estava em casa jogando videogame e de repente resolveu virar político”. Aventureiro, aliás, é uma categoria na qual Leandro Machado não encaixa Luciano Huck. “Ele é pessoa que tem uma experiência grande em lidar com pessoas, é muito bem visto e querido pelo público”, diz.

Fonte: BBC Brasil

out
9

TSE nega registro ao Muda Brasil

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eleições 2018     Tags , ,

muda brasil

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou, na última sexta-feira (06), por 4 x 1 votos, o registro do partido Muda Brasil. A legenda, ligada ao ex-deputado Valdemar da Costa Neto, vinha se articulando para lançar o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) candidato à Presidência da República.

O argumento apresentado para negar o registro do Muda Brasil foi o fato de que a legenda não conseguiu a quantidade de assinaturas suficientes no momento em que foi protocolado o pedido de registro, no Tribunal.

Com a negativa do TSE, se quiser concorrer à Presidência, Jair Bolsonaro terá que continuar no PSC ou se filiar a outra sigla. O Patriotas (ex Partido Ecológico Nacional-PEN) tem interesse de conquistar o passe do pré-candidato.

No Brasil, atualmente, existem 35 partidos políticos registrados no TSE. Vinte e oito deles têm representação no Congresso Nacional. 

out
8

Eleições 2018: Bolsonaro fará palestras para investidores nos Estados Unidos

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eleições 2018     Tags , , ,

bolsonaro-2

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) está na estrada. Segundo colocado nas pesquisas de intenção de voto para a Presidência da República nas eleições de 2018, ele embarcou para os Estados Unidos, onde passará uma semana fazendo palestras para investidores e analistas.

Esta é a primeira viagem internacional de Jair Bolsonaro em campanha, exatos 364 dias antes das eleições. O objetivo é ganhar respaldo internacional e mostrar que o seu projeto para 2018 é para valer.

O ponto alto do roteiro de uma semana é uma sessão de perguntas e respostas na George Washington University, na capital norte-americana.

No Brasil, Bolsonaro acumula polêmicas ao insultar políticos de esquerda, defender a ditadura e seus torturadores, criticar homossexuais, tripudiar de questões raciais. Ele refuta qualquer menção do seu nome como ícone da “extrema-direita”, mesmo tendo entre seus ídolos Carlos Alberto Brilhante Ustra, coronel do Exército que promoveu tortura a presos políticos quando chefiou o DOI-Codi.

Segundo o professor de Relações Internacionais e diretor do BRICLab na Universidade Columbia (Estados Unidos), Marcos Troyjo, a viagem de Bolsonaro “é um movimento inteligente para tentar se firmar como um candidato competitivo”.

Segundo Marcos Troyjo, Lula fez algo parecido durante a campanha de 2002. “Além da Carta ao Povo Brasileiro, escrita para acalmar o mercado, ele também mandou o José Dirceu aos Estados Unidos para mostrar suas intenções caso chegasse ao governo”, lembra.

FonteEXAME

out
1

2018: Lula e Bolsonaro na frente

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eleições 2018     Tags , , ,

Bolsonaro e Lula

A um ano da eleição de 2018, o ex-presidente Lula (PT) se mantém na liderança da corrida presidencial, com vantagem significativa sobre os principais adversários, segundo nova pesquisa do Datafolha. O petista, condenado em primeira instância pelo juiz Sergio Moro, tem pelo menos 35% das intenções de voto nos cenários testados.

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) vem em segundo lugar. Ele oscila entre 16% e 17% nos cenários com o ex-presidente no páreo.

A ex-senadora Marina Silva (Rede) varia entre 13% e 14% de intenções de voto. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o prefeito da capital paulista, João Doria, alcançam 8% das intenções de voto.

A participação de Lula na eleição é incerta, uma vez que ele pode ficar inelegível se for condenado em segunda instância pelo Tribunal Regional Federal (TRF) por recebimento de um tríplex em Guarujá da construtora OAS. Caso ele fique inviabilizado, seu poder de transferência de votos para outro petista é restrito: só 26% dizem que votariam com certeza em alguém indicado por ele.

A pesquisa, publicada na edição da Folha deste domingo (1º), foi feita na quarta-feira (27) e na quinta (28). O Datafolha realizou 2.772 entrevistas em 194 cidades. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Fonte: Folha de São Paulo
Foto: Diário o-Brasil

 

Redes Sociais:

Olinda Hoje no Facebook:

Previsão do Tempo:

Favoritos

Categorias do Blog:

Mapa do Site:

Arquivos do Blog: