Navegando todos os artigos Política
ago
16

Câmara de Olinda muda LDO e impõe derrota a Lupércio

AuthorPostado por: Jornalismo Redação    CategoryEm: Política     Tags , , ,

Em uma derrota política do prefeito Lupércio (SD), a Câmara de Olinda aprovou uma emenda à LDO que obriga ao gestor enviar um projeto de lei ao Legislativo toda vez que quiser fazer alterações na Lei Orçamentária de 2018. O texto original previa que as alterações no orçamento fossem feitas por decreto.

Camara de Olinda A aprovação da LDO com as mudanças foi anunciada nesta terça-feira (15), pelo vereador Jorge Federal, presidente da Câmara de Olinda. A LDO foi aprovada com voto de 10 dos 17 vereadores. Ao todo foram oito emendas. 

“No caso da LDO, os vereadores que participaram da votação, entenderam que a matéria precisou receber oito emendas. E a câmara, por sua natural representação do povo, não pode jamais deixar de analisar as propostas vindas do Poder Executivo, tudo isso com o objetivo de que o orçamento do município seja o que a sociedade deseja”, afirmou Federal.

Fonte: Portal JC

ago
15

Armando comemora manutenção da Hemobrás em Pernambuco

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

O senador Armando Monteiro (PTB-PE) comemorou, nesta terça-feira (15), a decisão do Governo Federal de manter em Pernambuco a fabricação do fator VIII recombinante, no complexo da Hemobrás em Goiana. A continuidade dos investimentos e a viabilidade da fábrica de Goiana vinha sendo ameaçada com a possível construção de outra planta no Paraná.

Para Armando, a ação articulada da bancada do Estado, que se uniu para pressionar contra a ameaça do Ministério da Saúde de esvaziar o empreendimento em Pernambuco, com a realização de diversas reuniões e audiências públicas, foi fundamental para a manutenção do projeto no Estado. “Como pernambucano, celebro essa grande conquista”, destacou o petebista, no plenário do Senado.

À tarde, o Ministério da Saúde publicou uma nota garantindo que todos os investimentos na planta da Hemobrás ficarão em Pernambuco, inclusive a produção do Fator VIII recombinante, que é a parte de maior valor econômico do empreendimento. O Ministério informou que fará negociações com a empresa Shire, atual parceira da Hemobrás, para iniciar a construção de uma fábrica de Fator VIII recombinante.

“A manutenção do projeto é fruto de uma ação solidária e articulada de toda a classe política de Pernambuco, especialmente da bancada federal, que desde o primeiro momento se alinhou na defesa dos interesses do Estado. A esse Pernambuco altivo e independente, a bancada pode hoje dar a sua melhor contribuição “, comemorou o senador.

ago
13

Doze anos sem Miguel Arraes

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

arraes

Neste domingo, dia 13 de agosto, comemora-se o Dia dos Pais. Mas também é uma data política: 12 anos atrás, morria o ex-governador de Pernambuco e ex-presidente nacional do PSB, Miguel Arraes de Alencar, após passar quase um mês hospitalizado. O político foi internado no dia 17 de julho de 2005, com suspeita de dengue. Depois o quadro clínico do político se complicou, apresentando problemas cardíaco e renal.

Faleceu no dia 13 de agosto de 2005, após vários tratamentos, inclusive a realização de duas cirurgias para conter hemorragias no duodeno e no pulmão esquerdo. Cearense, Miguel Arraes de Alencar governou Pernambuco por três vezes: 1962-1964, quando foi deposto pelo golpe militar; 1986-1990 e 1994-1998.

Arraes também foi secretário da Fazenda de Pernambuco, em 1948, na gestão do governador Barbosa Lima Sobrinho; prefeito do Recife (1950), deputado estadual e federal.

Também hoje (13), completam três anos da morte do ex-governador Eduardo Campos – neto de Miguel Arraes. Campo faleceu no dia 13 de agosto de 2014, num acidente aéreo em Santos (SP).

ago
13

Três anos após sua morte, parentes de Eduardo disputam legado na política

AuthorPostado por: Maraba Soares    CategoryEm: Política     Tags , ,

Este domingo, 13 de agosto, traz para o pernambucano uma triste lembrança: há três anos morria Eduardo Campos, líder do Partido Socialista Brasileiro (PSB), em um acidente aéreo durante a sua campanha à presidência do Brasil. Herdeiro da política hábil de Miguel Arraes, seu avô, ele tinha chances de obter vitória nas eleições de 2014, porém precisava viajar, ser mais conhecido no resto do país. Morreu cumprindo uma agenda estratégica, mas cheia de riscos.

eduardo-campos-abre1

Aquele que unia várias forças antagônicas não só em Pernambuco, mas no Brasil, deixou um vazio no seio de uma família acostumada com a política. Ninguém esperava ter que substituir tão cedo Eduardo Campos.

Por coincidência, o 13 de agosto também traz a amarga lembrança da morte de Miguel Arraes. Há 12 anos o “Pai Arraia” deixava este plano. Todavia, neste caso havia ficado Eduardo Campos lhe substituindo. Reportagem da BBC Brasil da última sexta-feira (11) faz uma análise da atual situação dos herdeiros desse legado político.

Segundo o jornalista Leandro Machado, três anos após a morte de Eduardo Campos, a família do ex-governador de Pernambuco está rachada. Hoje, ela se divide em três correntes políticas: uma do irmão, Antônio; outra do filho e da mulher, João e Renata; e uma terceira via, com a prima Marília.

Eduardo morreu no dia 13 de agosto, quando o avião em que fazia campanha para presidente da República caiu em Santos, no litoral paulista. Outras seis pessoas também morreram. O pernambucano, então com 49 anos, ocupava a terceira posição nas pesquisas, com 9% das intenções de voto.

Na família, o cenário atual é de troca de críticas e de disputa por um poder que surgiu há décadas: a “dinastia” começou com o avô, Miguel Arraes (1916-2005), ex-prefeito de Recife e ex-governador de Pernambuco por três vezes.

De um lado está o advogado Antônio Campos, único irmão de Eduardo. Neste ano, ele saiu do PSB – partido do clã desde 1990 e que completa 70 anos neste mês – e se filiou ao Podemos (ex-PTN). Nas eleições de 2018, Antônio vai concorrer a deputado federal.

Na disputa, ele enfrentará o próprio sobrinho, João Henrique Campos, um dos cinco filhos de Eduardo. O jovem é visto como o sucessor político de Eduardo Campos. Recém-formado em engenharia civil pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), ele tem 23 anos e assumiu, em fevereiro, o cargo de chefe de gabinete do atual governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB).

Nesse aspecto, o jovem repetiu a história do pai, que, também aos 22 anos, virou chefe de gabinete do então governador Miguel Arraes, em 1987. No dia da sua posse no governo, João afirmou que “ninguém deve ser pré-julgado por ser filho de A ou de B; deve ser julgado pelo serviço prestado.”

A terceira corrente é encabeçada por Marília Arraes, prima do ex-governador e, como ele, neta de Miguel Arraes. Vereadora do Recife, Marília rompeu politicamente com a família ainda quando Eduardo concorria à Presidência, em 2014. Deixou o PSB, filiou-se ao PT e deverá ser a candidata do partido de Lula ao governo de Pernambuco.

Ana Arraes, mãe de Eduardo, também tem sido cortejada como parceira de chapa de pelo menos dois presidenciáveis. A BBC Brasil apurou que, dentro do PSB, o nome da matriarca é cogitado para dividir uma possível chapa com Geraldo Alckmin (PSDB), governador de São Paulo e pré-candidato à Presidência. Para isso, no entanto, ela teria de deixar o cargo de ministra do Tribunal de Contas da União (TCU), cadeira que assumiu durante o governo de Dilma Rousseff.

Uma briga ocorrida no fim do ano passado selou de vez a divisão na família Campos/Arraes. Nas últimas eleições municipais, Antônio se candidatou a prefeito de Olinda. Perdeu no segundo turno, com 43% dos votos – pouco mais de 90 mil. Era sua primeira eleição, ainda pelo PSB.

Paulo Câmara, sucessor de Eduardo no Governo do Estado, participou apenas de um ato de campanha de Antônio. Isso porque o governador não quis jogar contra os candidatos concorrentes, que eram de partidos da sua base.

Renata Campos e seu filho João também não subiram no palanque de Antônio. Ao final da eleição, o derrotado fez reclamações públicas contra a cunhada, pois se sentiu “traído” pela falta de apoio no próprio partido e na família. Antônio acusou Renata de temer que ele, como um candidato da família Campos, fizesse “sombra” para seu filho João Henrique.

“Renata não foi grata comigo. Eduardo teve minha solidariedade em vários momentos da vida dele”, disse Antônio, em entrevista coletiva logo após a derrota em Olinda. “Ela acha que qualquer candidatura, mesmo que não seja antagônica, pode fazer sombra a João. Renata finge não mandar (no PSB), numa pretensa imagem de frágil, enquanto manda nos bastidores o tempo todo.”

A reportagem contatou Renata, João e Antônio Campos, mas eles não quiseram dar entrevistas. Depois da briga, o advogado deixou o PSB e entrou no Podemos, partido mais à direita do espectro político, pelo qual deve se candidatar a deputado federal.

Para Carlos Siqueira, presidente nacional do PSB, a saída de Antonio não aponta divergências na família. “Lamentamos a decisão dele, que estava há muito tempo no partido. Quem disse que necessariamente todos da família devem estar no mesmo partido? Cada um toma seu rumo”, diz.

A mudança de Antônio para o Podemos criou a expectativa de que sua mãe, Ana Arraes, também pudesse deixar a legenda liderada por anos por Miguel e Eduardo. No mês passado, o senador Álvaro Dias, que deve ser candidato à presidência pelo Podemos, encontrou-se com a ministra do TCU em Pernambuco. Depois da reunião, circulou entre os pessebistas a possibilidade de Ana ser candidata em uma chapa com o parlamentar. O senador confirmou o encontro, mas disse que eleições não foram o assunto. “Nós conversamos sobre a filiação de Antônio. Até pelo cargo que ela ocupa no TCU, não poderíamos tratar de candidatura”, afirmou Dias, em entrevista à BBC Brasil.

O nome da matriarca é cotado ainda como vice de Alckmin em uma eventual candidatura do tucano à Presidência. Quem articula essa aliança é o vice-governador de São Paulo, Marcio França (PSB), aliado de Alckmin e próximo à família Arraes. Em 2018, França vai assumir o governo depois que Alckmin deixar o cargo de governador para concorrer à Presidência. Com Ana Arraes na chapa, o tucano teria um nome forte no Nordeste, região que historicamente dá vitórias ao PT. Já França, caso consiga conjurar a manobra, ganharia força para um eventual apoio do PSDB a sua candidatura ao governo de São Paulo, segundo a BBC Brasil apurou.

O problema é que Ana, que tem 70 anos, não estaria disposta a deixar seu cargo no TCU. E, em dois anos, ela deve virar presidente do tribunal. Um deputado ligado à família, que preferiu não se identificar, resumiu a situação: “Acho muito difícil dona Ana se candidatar a algum cargo. Se for pelo PSB, ela estaria numa corrente contrária a de seu único filho vivo, Antônio. Se for pelo Podemos, estaria contra a história de seu outro filho, Eduardo.”

Outra dissidente da família Campos é Marília Arraes (PT), de 33 anos, vereadora do Recife eleita com 11.800 votos. Prima de Eduardo, ela deixou o PSB por divergências com o partido. Em entrevista à BBC Brasil, disse que a sigla não é mais a mesma da época em que era comandada por seu avô Miguel. “Ideologicamente o partido estava em outro campo, o da esquerda. Hoje, é um serviçal do PSDB “, afirma. No segundo turno das eleições de 2014, o PSB apoiou o tucano Aécio Neves – historicamente, a legenda apoiava candidatos petistas. O próprio Eduardo foi ministro de Lula.

Por outro lado, pessoas próximas à família disseram à reportagem que, em 2014, Marília quis se candidatar a deputada federal, mas teve a legenda negada pelo primo, então presidente do PSB. No próximo ano, Marília deve ser a candidata do PT ao governo de Pernambuco. Nas redes sociais, ela aparece em fotos ao lado do ex-presidente Lula, também pernambucano e considerado um bom cabo eleitoral no Estado. Hoje, Marília é oposição a Geraldo Júlio (PSB), prefeito do Recife, e a Paulo Câmara – os dois foram indicados por Eduardo. Um ano antes da eleição, Câmara enfrenta dificuldades: o Estado vive uma escalada da violência e ele é rejeitado por 74% dos eleitores, segundo uma pesquisa de abril.

Câmara e Geraldo Júlio são investigados por suspeita de participação no superfaturamento da Arena Pernambuco, construída pela Odebrecht. Eduardo também foi citado na Operação Lava Jato por irregularidades.

Para parlamentares ouvidos pela reportagem, Marília é a que mais se aproxima ideologicamente do avô Miguel Arraes, um político de esquerda com forte atuação na área social. “Não tenho pretensão de dizer em qual lado Miguel Arraes estaria, mas posso dizer em qual ele não estaria, que é esse projeto liberal e entreguista do PSB hoje”, afirma ela.

No entanto, a vereadora não deve ter apoio de toda a família nas eleições, pois a tendência é de que Renata e João permaneçam ao lado de Paulo Câmara. A crítica de Marília sobre as condições ideológicas do partido é repetida por filiados mais antigos do PSB. A sigla está dividida entre redirecionar sua trajetória mais à esquerda ou se projetar à centro-direita de vez.

Na votação da Câmara que rejeitou a denúncia de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer (PMDB), essa divisão ficou latente: 22 deputados votaram pelo prosseguimento das investigações e 11 votaram pelo arquivamento. A executiva da legenda havia decidido ficar contra Temer, mas a líder da agremiação, Tereza Cristina, votou a favor do presidente.

Na votação da reforma trabalhista, em abril, 14 parlamentares votaram favor da medida e 16, contra. Eduardo Campos afirmou em 2014 que era contra mudanças na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT).

Para Carlos Siqueira, a “divisão do partido” ocorre apenas na bancada da Câmara. “A bancada é uma instância do partido, não ele inteiro. Pessoas que divergem devem arrumar seu rumo, ou se adaptar às posições históricas do partido. Mas a decisão de entrar ou ficar é pessoal”, disse.

Segundo Adriano Oliveira, cientista político e professor da UFPE, a imagem de Eduardo Campos ainda influencia a escolha do eleitor pernambucano. Por isso, a briga por seu legado. O pesquisador explica o “eduardismo”, conceito que ele associa ao lulismo: “Eduardo conseguiu ser uma quase unanimidade: tinha eleitores em todas as faixas sociais, dos mais ricos aos mais pobres. Ele era carismático, tinha capacidade de aglutinar pessoas de várias vertentes e passava a imagem de trabalhador”, explica ele.

“Com apoio de Lula, conseguiu alavancar Pernambuco. Claro que, com o tempo, houve um declínio, até por causa de sua morte. Mas seus sucessores, Câmara e Geraldo Júlio, ainda estão aí”, diz.

Próximo a Arraes e Eduardo, Carlos Siqueira conta uma história de tom premonitório sobre o destino da família: Miguel não queria que nenhum de seus dez filhos seguissem carreira política. “Eu perguntava a ele: e seu neto Eduardo? Miguel respondia: ele faz o caminho dele, tem o jeito dele”, conta o presidente do PSB. “Arraes tinha receio de ser visto como um coronel do Nordeste, daqueles que têm a família inteira na política.”

ago
12

Herdeira de banco suíço vai doar R$ 500 mil para Lula

AuthorPostado por: Jornalismo Redação    CategoryEm: Política     Tags ,

Uma grande apoiadora do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva quer garantir que o bloqueio de bens determinado pelo juiz Sérgio Moro tenha um impacto mais leve sobre a vida do petista. Roberta Luchsinger, uma das herdeiras da família fundadora do banco Credit Suisse, desembolsará aproximadamente R$ 500 mil em “dinheiro, joias e objetos de valor” como doação para Lula

lula-d

Roberta é neta do suíço Peter Paul Arnold Luchsinger. “Com o bloqueio dos bens de Lula, Moro tenta inviabilizá-lo tanto na política quanto pessoalmente. Vou fazer uma doação para que o presidente possa usar conforme as necessidades dele”, disse ela.

Fonte: Época

ago
7

Paulo Câmara na vice de Geraldo Alckmim e Geraldo Júlio candidato ao Governo de Pernambuco

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

Sebastião da Paz

Todos os dias surgem boatos e especulações sobre possíveis chapas e composições para as eleições de 2018. Depois da informação de que a viúva do ex-governador Eduardo Campos, Renata Campos (PSB) era a preferida para compor a chapa da coligação PSDB-PSB à presidência da República, com o prefeito de São Paulo, João Dória na cabeça, agora vem outra possibilidade. A especulação está no Blog do Magno Martins, nesta segunda-feira (07).

Numa nota, intitulada “Geraldo no lugar de Câmara”, o candidato derrotado à Prefeitura de Olinda no ano passado, Antônio Campos, prevê que o governador Paulo Câmara não irá disputar a reeleição ao Governo de Pernambuco. Ele acha que o candidato das forças que estão no poder ao Palácio das Princesas será o prefeito do Recife, Geraldo Júlio. Câmara pode ser alçado à chapa à presidência da República.

“Não se admirem se algumas forças do PSB tentarem colocar Paulo Câmara na vice de Alckmin (Geraldo), abrindo espaço para Geraldo Júlio ser candidato a governador. Geraldo é quem dá as cartas no PSB estadual. No cenário que vislumbro, é provável que PSB e PSDB estejam no mesmo palanque nacional em 2018, com reflexos naturais no Estado”, prevê Campos, numa conversa com Magno Martins e publicada hoje (07) no blog.

Antônio Campos trocou o PSB pelo Podemos (ex PTN) e deve disputar uma vaga de deputado federal em 2018.

ago
4

PSB de Paulista realiza congresso municipal nesta sexta-feira

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

A executiva municipal do Partido Socialista Brasileiro (PSB) do Paulista realiza nesta sexta-feira (04), o congresso para a escolha da nova direção da legenda. Na ocasião também serão eleitos os delegados para o congresso estadual.

O secretário geral do partido, Adilson Gomes, é uma das presenças confirmadas e que participarão do congresso. O evento acontecerá às 14h, no plenário Torres Galvão, da Câmara de Vereadores do Paulista, localizado na Praça Agamenon Magalhães, no centro da cidade.

ago
3

Oposição questiona multa de 100% sobre o IPVA em atraso

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

O líder da bancada de Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), deputado Silvio Costa Filho (PRB), , questionou na reunião plenária desta quinta-feira (03) a aplicação de multa de 100% sobre débitos do IPVA, a partir do 20º dia de atraso. Ele disse ter recebido várias queixas da população denunciando essa cobrança abusiva. 

O parlamentar lembra que, no caso do IPVA, a população está sendo penalizada duas vezes. “Primeiro porque, no começo do ano, o governador Paulo Câmara (PSB) antecipou o vencimento do imposto para fevereiro, pegando o contribuinte de surpresa. Agora, quem atrasar terá que pagar dobrado”, reclamou.

Silvio Costa Filho sugeriu a realização de uma audiência pública, com a participação do secretário da Fazenda, Marcelo Barros, e do presidente do Detran-PE, Charles Ribeiro, para discutir alternativas que não penalizem o contribuinte. “Na Bahia, por exemplo, a multa máxima é de 60% do imposto devido. E a cobrança é progressiva, de acordo com o tempo de atraso”, comparou.

“O governador Paulo Câmara não pode ter uma visão de secretário da Fazenda e pensar apenas em cobrar impostos. Ele tem que entender que um governador precisa pensar no que é melhor para os pernambucanos”, criticou.

ago
2

Bolsonaro espera abertura da janela partidária para pular fora do PSC

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

janela_partidariaFolha de São Paulo

O deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) escolheu o Partido Ecológico Nacional (PEN) para lançar a sua candidatura à Presidência da República em 2018.

De acordo com Adilson Barroso, presidente nacional da sigla, o acerto depende apenas da assinatura final, que só poderá ser feita durante a abertura da janela partidária – ou seja, o período de 30 dias em que os parlamentares podem trocar de legenda sem perder o mandato.

“Está 99,9% fechado, estamos só esperando a assinatura do ‘casamento partidário’, por isso o 0,1%”, afirmou Barroso à Folha. A assessoria do deputado também confirmou que a troca está acertada, mas ainda não concluída.

A janela partidária deve ocorrer em março de 2018, mas pode ser antecipada pela reforma política.

Segundo o presidente nacional do PEN, o partido conversa com o grupo de Bolsonaro há cerca de seis meses para acertar a troca de partido. “A gente chegou à conclusão que ele é o candidato que mais queremos”, afirmou. Na última pesquisa Datafolha, em junho, o pré-candidato apareceu com 16% de intenção de voto.

A saída de Bolsonaro do PSC já era dada como certa desde o começo de 2017, embora o parlamentar ainda não tivesse acertado com nenhum partido. O deputado se diz decepcionado com a aliança do PSC com o governador do Maranhão, Flávio Dino, do PCdoB, em 2016.

Troca de nome – Com a ida de Bolsonaro par a sigla, o PEN também acertou uma troca de nome. Barroso afirma que a mudança já estava sendo discutida. “Há quem ache que a ideologia do PEN por ter ‘ecológico’ no nome defende só isso, e não é verdade”, afirmou.

O partido – que precisa de autorização do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para se renomear – ainda não decidiu qual deve ser o seu novo nome.

Em uma enquete na página de Facebook do partido, por enquanto vence o nome “Patriota”. Em segundo lugar, a opção “Prona”, nome do antigo partido de Enéas Carneiro (1938-2007), que se fundiu ao PL em 2006 para se tornar o PR.

Charge: Robson Pires

ago
2

Deputado do PTB e senador do PR querem ser “vice” de Bolsonaro

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

Jair Bolsonaro

A perspectiva do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) chegar ao segundo turno nas eleições presidenciais de 2018, revelada por recentes pesquisas de intenção de voto, abriu uma procura de políticos interessados em ser candidato à vice-presidente na chapa dele.

Pelo menos dois parlamentares já procuraram o Capitão Bolsonaro para se colocar à disposição: o senador Magno Malta (PR-ES) e o deputado federal Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP).

A última pesquisa Datafolha sobre a disputa presidencial de 2018, divulgada em junho, mostrou que o deputado do PSC está em segundo lugar, tecnicamente empatado com a ex-ministra Marina Silva (Rede), com 16% e 15% das intenções de voto, respectivamente.

Fonte: Blog do Magno Martins

jul
31

Luciana Santos ou Renildo Calheiros pode disputar o Senado em 2018

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

Sebastião da Paz

O Partido dos Trabalhadores (PT) deve mesmo disputar em faixa própria o Governo de Pernambuco, nas eleições do próximo ano. O blog do Magno Martins traz hoje (31), a informação de que o nome da legenda para concorrer será o da líder da oposição na Câmara doisMunicipal do Recife, vereadora Marília Arraes

Os aliados preferencias para compor a chapa majoritária do PT são o PDT, do ex-prefeito de Caruaru, José Queiroz; e o PCdoB, da dupla Renildo Calheiros e Luciana Santos. Aos dois partidos o PT deverá oferecer as duas vagas que serão abertas para o Senado.

Pragmáticos como são, dificilmente os comunistas colocarão os seus dois principais quadros políticos para uma disputa dificílima como esta (Senado) e com poucas chances de êxito. O projeto político do PCdoB é garantir pelo menos uma vaga na Câmara Federal – o que também não será fácil.

Ou será que deputada federal Luciana Santos terá coragem de sacrificar a sua (difícil) reeleição para apoiar o projeto da esquerda, ao lado do aliado histórico? E Renildo Calheiros, terá disposição para cumprir a missão ou também vai optar pela Câmara Federal? Aguardemos. O tempo mostrará o tamanho do pragmatismo do PCdoB.

jul
31

Luciana Genro diz que Lula e o PT não querem a queda de Michel Temer

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

Bernardo Mello Franco – Folha de S.Paulo

Última candidata do PSOL ao Planalto, a ex-deputada Luciana Genro acusa Lula e o PT de fingirem interesse na queda de Michel Temer (PMDB). Ela afirma que o ex-presidente e o seu partido preferem prolongar o desgaste do presidente até as eleições de 2018.

“O PT não tem interesse em derrubar Temer agora. Eles querem deixar o governo sangrar e fazer os ajustes para quem assumir depois”, diz.

Luciana está cética quanto à chance de afastamento do presidente, denunciado sob acusação de corrupção. “Eu teria esperança se houvesse uma grande mobilização popular empurrando a Câmara a abrir o processo.”

A ex-deputada sustenta que a cúpula petista não se mexeu para evitar o esvaziamento das ruas. Ela diz que PT e PMDB já haviam se unido para barrar a cassação da chapa Dilma-Temer no Tribunal Superior Eleitoral. “Ali o Temer poderia ter caído, havia clima político para isso.”

jul
24

Por que isentar as igrejas do pagamento de impostos?

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

IGREJAS

Folha de S. Paulo – Mônica Bergamo

A Câmara dos Deputados deve derrubar artigo inserido por parte da bancada evangélica na medida provisória (MP) do Refis, o programa de renegociação de dívidas com o governo. O artigo prevê que as igrejas serão dispensadas do pagamento de impostos quando fizerem remessas ao exterior. 

O item beneficia instituições que têm atividades fora do Brasil, em países da África e até da Europa. Hoje elas pagam 25% de Imposto de Renda e 0,38% de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) quando enviam valores “de caráter missionário ou evangelizador” ao exterior. 

O artigo, que no limite possibilita até a devolução de impostos já pagos, é considerado um exagero, mesmo diante da crise política que obriga o governo de Michel Temer a agradar a bancada religiosa, de mais de 100 deputados. 

O discurso é que as igrejas já estão sendo extremamente beneficiadas: em outro artigo fica estabelecido que elas devem ser isentas não apenas de tributos, mas também de contribuições – e ainda devem ser perdoadas de todos os débitos do passado. 

Lei aprovada em 2015, quando Eduardo Cunha (PMDB-RJ) presidia a Câmara, já estabelecia que as igrejas não precisariam mais pagar contribuições sobre a remuneração de pastores, as chamadas prebendas. Mas havia divergências e a Receita continuava autuando as organizações religiosas. 

Há uma estimativa de que pelo menos 12 igrejas caíram na malha fina, algumas com multas superiores a R$ 50 milhões. Se o Refis for aprovado, serão todas perdoadas.

jul
18

Chapa PSDB-PSB à Presidência, pode ter Renata Campos na vice

renata-campos

Sebastião da Paz

Política antiga, com nomes e caras velhas, ideias velhas, arrumadinhos e soluções ultrapassadas. Para 2018 a novidade pode ser a arrumação para o PSB pernambucano indicar a viúva do ex-governador Eduardo Campos, Renata Campos, para compor a chapa de João Dória (PSDB) à presidência da República.

A informação com o nome de Renata Campos como possível candidata a vice do tucano João Dória para disputar o comando do Palácio do Planalto, foi divulgada na Coluna do Estadão (jornal Estado de São Paulo), assinada por Andreza Matais e Marcelo de Moraes.

Segundo a coluna, o nome da viúva é o “sonho de consumo de aliados próximos do prefeito” de São Paulo. As informações também dão conta de que as costuras já estão “adiantadas para que a eventual candidatura presidencial de João Dória, seja bancada por uma chapa formada por PSDB, PMDB, PSD e DEM”… com Renata na vice.

Já tem um tempo que a nota foi publicada, mas em nenhum momento dirigentes socialistas nem a própria Renata vieram a público questionar ou desmentir. Então, isso é sinal de que o pragmático PSB deve mesmo está discutindo e arrumando a sua participação na chapa tucana.

Fonte: Coluna do Estadão

jul
15

PT não expulsa os corruptos do partido

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , , ,

ze-dirceu-lula-dilma-607x387

O PT é um partido que não honra nem mesmo o próprio estatuto. O artigo 231 do Estatuto do Partido dos Trabalhadores prevê a expulsão de filiados condenados “por crime infamante ou práticas administrativas ilícitas.” Lula foi condenado a 9,5 anos por corrupção, mas pode recorrer, por isso teria ainda algum tempo no partido.

Mas condenados no mensalão, como Delúbio Soares e José Dirceu, continuam filiados ao PT. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do blog Diário do Poder.

Condenados por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, como o ex-presidente Lula, só seriam expulsos após uma decisão da Executiva Nacional.

O Estatuto do PT também prevê comunicação à Justiça Eleitoral dos condenados desfiliados, o que implicaria em perda de mandatos.

Entre os filiados ao PT condenados estão o ex-presidente do partido, José Genoíno, e o ex-ministro de Lula e Dilma Rousseff, Antônio Palocci.

Corruptos transitado em julgado do mensalão permanecem filiados, diz a assessoria do partido, porque “o PT não concorda com o julgamento”.

  • Fonte: Blog Diário do Poder
  • Foto: Neto Ferreira
jul
15

Juiz Gebran diz que o caso do triplex de Lula é só mais um processo

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

Folha de S. Paulo – Estelita Hass Carazzai

Relator dos processos da Lava Jato no Tribunal Regional Federal (TRF) em Porto Alegre (RS), o juiz federal João Pedro Gebran Neto Gebran-Neto (1)(foto) afirmou, nessa sexta (14), que irá conduzir o caso do tríplex do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como “mais um processo”, no mesmo ritmo de outras ações da corte.

“Não estou preocupado com consequências políticas, e sim com consequências jurídicas”, disse, antes de receber uma homenagem da Federação do Comércio do Paraná, em Curitiba.

Lula foi sentenciado nesta semana pelo juiz Sérgio Moro a nove anos e seis meses de prisão, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Cabe recurso ao TRF em Porto Alegre – e a decisão da corte, caso confirme a condenação, pode tornar o petista inelegível.

“Eu estou pensando no meu processo, em que estão sendo imputados fatos a uma pessoa. A questão eleitoral é uma consequência, mas não sou eu que determino”, afirmou. Para o desembargador, é “quase impossível” estabelecer quanto tempo o processo levará para ser julgado.

Sobre as declarações do presidente do TRF, que afirmou que a ação será avaliada antes da eleição, Gebran disse que ele tem liberdade para se manifestar, mas que o caso seguirá da mesma forma que outros, da forma “mais imparcial e isenta possível”.

jul
14

Sem Lula na disputa, PT vai boicotar eleição à presidência da República

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

O Estado de S.Paulo – Pedro Venceslau e Valmar Hupsel Filho

Um dia depois do juiz Sérgio Moro condenar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a 9 anos e 6 meses de prisão, o PT colocou a defesa dele no topo das prioridades da legenda e passou a repetir em uníssono um discurso que já estava ensaiado na véspera.

“Não aceitaremos um processo eleitoral em que a maior liderança popular da história desse país seja impedida de se candidatar. Uma eleição sem o presidente Lula é uma fraude”, resumiu a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), presidente nacional da legenda. 

Em linhas gerais, o plano é boicotar a eleição presidencial e focar todas as energias nas eleições para o Congresso e governos em 2018. Pelo menos dois interlocutores que estiveram com Lula dizem que o objetivo é unificar a esquerda e os movimentos sociais em torno da defesa e da pré-candidatura dele. 

Mas, se confirmada a decisão de Moro na segunda instância, o próprio Lula vai ungir seu substituto – e ele não necessariamente será um petista. Ciro Gomes (PDT) não é o preferido. E Fernando Haddad (PT) está cotado.

jul
14

Magistrados consideram remota chance de liminar garantir candidatura de Lula

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

Folha de S. Paulo – Mônica Bergamo

A possibilidade de Lula conseguir uma liminar no Supremo Tribunal Federal (STF) que permita a ele concorrer à Presidência da República mesmo se condenado em segunda instância pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) é considerada remota entre magistrados da corte.

O ministro Marco Aurélio Mello diz que a Lei da Ficha Limpa foi clara ao prever a inelegibilidade depois da condenação em segunda instância. E que, por esse ser um efeito “extrapenal”, e não de “execução da pena”, não caberia a discussão.

Outro ministro lembra que, provocado por ações da OAB, o Supremo pacificou a questão em 2012, dizendo que a lei é constitucional e que pode ser aplicada. Antes disso, candidatos conseguiram liminares da corte para concorrer mesmo depois de condenados.

Já ministros de outro Tribunal ao qual Lula pode recorrer, o Superior Tribunal de Justiça (STJ), lembram que a corte tem permitido que condenados em segunda instância por improbidade administrativa concorram. O caso de Lula, no entanto, seria novo, pois não se trata de ação administrativa, e sim penal

jul
10

Sílvio Costa Filho aumenta popularidade no Facebook. Guilherme Uchôa cai

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , , ,

costa filho

A Paradox Zero divulga resultado do novo estudo sobre o desempenho dos deputados estaduais e federais pernambucanos, no Facebook. Os dados são coletados e analisados mensalmente desde março de 2016.

Quatro parlamentares estaduais registram crescimento na casa dos 10%. Jadeval de Lima (PDT), Vinícius Labanca (PSB), Laura Gomes (PSB) e Silvio Costa Filho (PRB) foram os que mais cresceram no período entre março e junho deste ano. Jadeval de Lima, contudo, tem 3,1 mil seguidores. Ou seja, fala para pouquíssimas pessoas e está na 37ª posição entre os 49 deputados da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe).

O líder da oposição na Alepe, Silvio Costa Filho (foto), entrou no ranking dos 10 deputados com mais seguidores. Em março, ocupava a 11ª posição, com 25,1 mil seguidores; agora é o nono colocado, com 34,3 mil. A popularidade de Silvio garantiu a colocação também no ranking dos top 10 de variação de crescimento. Junto com ele nas duas listas, apenas Vinícius Labanca (PSB) que soma mais de 43,6 mil seguidores.

Tony Gel (PMDB) deixou o Top 10 e Lucas Ramos (PSB) caiu duas posições, ocupando atualmente o sexto lugar com seus 46,9 mil seguidores. Quem também não tem dado muita atenção às fanpages é o presidente da Alepe, Guilherme Uchôa (PDT), e Waldemar Borges (PSB). Uchôa registrou queda de 0,07% no período e Waldemar não cresceu nada.

 Já os deputados Adalto Santos e Clodoaldo Magalhães, ambos do PSB, parecem ignorar totalmente a participação popular na internet, pois nem possuem fanpages. Também do PSB, os deputados Waldemar Borges e Marcantônio Dourado não ganharam sequer um novo seguidor no Facebook nos últimos três meses.

Há também quem tenha perdido seguidores: Terezinha Nunes (PSDB), Odacy Amorim (PT), Guilherme Uchôa (PDT), José Humberto Cavalcanti (PTB), Júlio Cavalcanti (PTB) e Doutor Valdi (PP).

jul
10

PSB tem 168,3 mil seguidores no Facebook. PTB só tem 21,4 mil

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , , ,

Dono da maior bancada na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), com 13 deputados, o PSB também é o partido com mais seguidores no Facebook. Os socialistas somam 168,3 mil seguidores e na sequência vêm PSD (quatro deputados e 154,8 mil seguidores) e o PP (seis deputados e 150,7 mil seguidores).

Esse é o resultado de uma pesquisa realizada pela Paradox Zero, que também divulgou resultado do desempenho dos deputados estaduais e federais pernambucanos, nas redes sociais. Os dados são coletados e analisados mensalmente desde março de 2016. Nas duas Casas, os líderes no aumento de seguidores são Silvio Costa e Sílvio Costa Filho.

Ainda entre os partidos, DEM e PSOL, que têm apenas um deputado na Alepe cada – Priscila Krause e Edilson Silva, respectivamente – estão na frente do PT e PTB, legendas que têm três parlamentares cada um. O DEM tem 80,2 mil seguidores e o PSOL, 47,5 mil, enquanto PT reúne apenas 39 mil e o PTB, 21,4 mil.

Redes Sociais:

senai-dez

sesi-dez

Anuncio-gif OH

pernambucont


Olinda Hoje no Facebook:

Previsão do Tempo:

Favoritos

Categorias do Blog:

Mapa do Site:

Arquivos do Blog: