set
1

OLINDA: OBRAS TRAVADAS E MAL GERIDAS ATRAPALHAM AVANÇO

AuthorPostado por: Paulo Fernando    Category Em: Sem categoria     Tags


Município com menor densidade demográfica de Pernambuco, Olinda acumula problemas e queixas da população que passam de gestão a gestão, independente da bandeira partidária. O discurso dos seus administradores é repetitivo e aborda as dificuldades de gerir um município complexo em sua estrutura e com orçamento limitado para as suas necessidades. Por outro lado, obras de grande porte se arrastam por anos sem conclusão, como o Estádio de Rio Doce, os habitacionais V-8 e V-9 e o Canal da Malária, além de outras benfeitorias polêmicas como a Avenida Presidente Kennedy e o Terminal Integrado do Xambá. Estes dois últimos foram alvos de diversos protestos nas últimas semanas.
A avaliação da economista Tânia Bacelar é que o município possui um orçamento limitado para a estrutura da cidade, o que obriga as gestões a utilizar o dinheiro que sobra do orçamento para investir na contrapartida de obras. “Olinda é um caso muito especial de cidade histórica de manutenção muito cara e pouca atividade econômica. Recife concentra a economia e Olinda tem a função de dormitório. Isso influi na receita”. 

Já o sociólogo José Arlindo Soares questiona o discurso de que Olinda seria uma cidade com orçamento restrito. O estudioso cita o desempenho da educação do município, que possui o quinto pior Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) das cidades brasileiras com mais de 200 mil habitantes, mesmo recebendo um repasse generoso do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

Em 2012, o município chegou a receber cerca de R$ 12 milhões do fundo. A previsão do orçamento do município para 2014 é de cerca de R$ 535 milhões. As principais fontes de receita da cidade são o repasse do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) pelo Governo do Estado, receitas de arrecadação própria e o Fundo de Participação dos Municípios (FPM), do Governo Federal. A arrecadação de tributos, como o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), ainda sofre com a alta taxa de inadimplência, que chega a alcançar em torno de 50%.

“O que Olinda consegue fazer de novo vem da articulação política para trazer recursos de fora. Além disso, tentamos encontrar alternativas como a recente modernização que fizemos da nossa carga tributária para atrair empresas do ramo de prestação de serviços”, destacou o secretário da Fazenda, João Alberto Costa Faria. 

Na inauguração do Terminal do Xambá, no último dia 15 de agosto, o prefeito Renildo Calheiros (PCdoB) passou por uma saia-justa quando concedia entrevista à Imprensa. Na ocasião, uma moradora de Caixa D’água criticou a organização da Avenida Presidente Kennedy e reclamou da demora na construção de habitacionais na comunidade Vila do Tetra, também em Caixa D’água.

Fonte: Por Carol Brito – Da Folha de Pernambuco

Envie um comentário

Carnaval 2020

Está chegando o Sábado de Carnaval22 de fevereiro de 2020
O grande dia está aqui.

Olinda Hoje no Facebook:

Previsão do Tempo:

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 613 outros assinantes

Categorias do Blog:

Mapa do Site:

Arquivos do Blog:

Olinda Hoje

%d blogueiros gostam disto: