set
13

"SOMOS CONTRÁRIOS AO ACORDO NUCLEAR ENTRE O JAPÃO E O BRASIL"

AuthorPostado por: Paulo Fernando    Category Em: Sem categoria     Tags

Os jornais japoneses noticiaram que o governo japonês vai assinar um acordo com o governo brasileiro para preparar o caminho para a exportação de usinas nucleares japonesas para o Brasil.

Passados mais de dois anos do acidente nuclear de Fukushima, sua verdadeira causa permanece desconhecida, o que nos obriga a uma profunda revisão da tecnologia nuclear japonesa. Não é por outra razão que a opinião pública no Japão tem se mostrado contrária não somente à construção de novos reatores, mas também à reativação dos existentes.

As usinas de Fukushima ainda estão liberando radioatividade no meio ambiente e o governo japonês não consegue controlar essas contaminações. Assim, o Japão está causando sérios danos para o mundo.

Como o governo pode apoiar a construção de usinas nucleares fora do Japão em tal situação? Isto só pode ser entendido como uma maneira de dar uma saída para a indústria nuclear japonesa, impedida de construir novas usinas no seu país.

No Brasil, cresce o temor de acidentes em suas usinas nucleares de Angra dos Reis, localizadas entre as duas maiores cidades brasileiras, Rio de Janeiro e São Paulo. Ao mesmo tempo, cresce a pressão para que se passe a usar fontes de energia menos perigosas, para atender às necessidades do país em eletricidade.

Existem outras formas do Japão contribuir para a solução dos problemas de energia do Brasil e do mundo – por exemplo, pela cooperação em torno de energias renováveis.

As organizações da sociedade civil japonesa e brasileira, abaixo assinadas, são contrárias ao acordo anunciado, entre o Brasil e o Japão, em torno da tecnologia nuclear.


13 de setembro de 2013



Nomes das 58 organizações brasileiras que assinam a presente Declaração

Amigos da Terra Brasil – Porto Alegre  / Articulação Antinuclear Brasileira  / Articulação Antinuclear do Ceará – Fortaleza / Articulação dos Povos e Organizações Indigenas do NE, MG e ES – Olinda / Articulação dos Povos Indígenas do Brasil – Brasília / Associação Brasileira de Medicina Antroposófica – São Paulo / Associação das Vítimas do Césio – Goiânia / Associação Movimento Paulo Jackson – Ética, Justiça, Cidadania – Salvador / Centro de Apoio a Pesca e Pescadores do Maranhão – São Luis / Centro de Dharma da Paz Shi De Tchö Tsog – São Paulo / Coalizão por um Brasil Livre de Usinas Nucleares – São Paulo / Comissão de Justiça e Paz – Macau, Rio Grande do Norte / Comissão Paroquial de Meio Ambiente – Caetité, Bahia / Comissão Pastoral da Pesca – Olinda / Comunidade dos Cristãos no Brasil – São Paulo / CPP Regional Ceará – Fortaleza / CPT  Sudoeste da Bahia – Caetité, Bahia / CPT – São Francisco Vivo – Salvador / Fase –  Rio de Janeiro / Fase – Vitória / Fase Amazônia – Belém / Federação Waldorf no Brasil – São Paulo / Fórum Anti Petroleiro do Espírito Santo- Vitória / Fórum das Pastorais Sociais do Regional Sul 1 – São Paulo / Fórum dos Atingidos pela Indústria do Petróleo e Petroquímica nas Cercanias da Bahia da Guanabara – São João do Meriti/Caxias. Rio de Janeiro / Fórum Mudanças Climáticas e justiça Social – Brasília / Fórum pela Humanização do Social – São Paulo / Fundação Lama Gangchen para a Cultura de Paz – São Paulo / Gambá – Grupo Ambientalista da Bahia – Salvador / Goetheanum.de – São Paulo / Greenpeace – Brasil / Grupo de Estudos e Pesquisa em Populações Pesqueiras e Desenvolvimento no Espírito Santo – Vitória / Grupo de Estudos em Temáticas Ambientais da UFMG – Belo Horizonte / Grupo de Riscos Ambientais – Salvador / Grupo Pindorama – São Paulo / Ibase – Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas – Rio de Janeiro / INDESA – Instituto Nacional de Desenvolvimento Socioambiental –  Rio Grande do Sul / Instituto Madeira Vivo — IMV – Rondônia / Justiça nos Trilhos – São Luis / Monteazul International.de – São Paulo / Movimento dos Pescadores e Pescadoras – Salvador / Movimento Ecosocialista de Pernambuco (MESPE) / Movimento Gaúcho em Defesa do Meio Ambiente (MoGDeMA) – Rio Grande do Sul / Movimento Nacional de Afetados por Desastres Socioambientais – MONADES / Movimento pela Preservação da Serra do Gandarela – Belo Horizonte / Movimento Tapajós Vivo – Pará / Movimento Wangari Mathai – Salvador / Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul (NEJ) / Núcleo Tramas da UFCE – Fortaleza / Setorial Ecossocialista do PSOL – São Paulo / Sindimina – Aracaju / Sindimina – Caetité, Bahia / Sociedade Angrense de Proteção Ecológica – SAPÊ – Rio de Janeiro / Sociedade Antroposófica no Brasil / Tardö Ling – Centro de Desenvolvimento Humano Cultural e Filosófico – São Paulo / ZumKukuk.de – São Paulo.


Nomes das 86 organizações japonesas que assinam a presente  Declaração


“We don’t need Nuclear Power Plants” in Shimonoseki / Alternative People’s Linkage in Asia (APLA) / AM-Net / APFS Trade Union / Article 9, Ise committee / Atomkraftfreie Welt-Sayonara Genpatsu Düsseldorf e.V. / Beqerel Free Life in Hokkaido / Biodiversity Information Box / Buddhist Temple of Kokubun / Campaign for Nuclear-free Japan / Church of Christ in Japan / Citizens’ Nuclear Information Center / Citizen’s voice in Gifu Prefecture to protect Peace / Civil Committee to settle Fukushima Accident / Costarica Republican Village / Doggyscafe / Emergency Action on the Fukushima Nuclear Crisis / Escola de Samba Kumamoto / Firefly Solidarity against Nuclear Plants / From Earth & Cafe Ohana / Fukuoka Joint Trade Union / Greens Japan / Greenz, Yamaguchi / Group of stickers to say good bye to Nuclear Power plants / Group to protect children from radiation in the Southern Iwate prefecture and Northern Miyagi prefecture / Group to protect children’s future in Kawagoe / Group to say good bye to Nuclear Plant In Nakatsugawa / Groups of the Parents who protect the children’s future / Hattori Ryoichi Support Group / Human rights and Environment / Human Rights and Peace Network in Ube / Inadani Network to protect children from radiation / Japan Womens’ Council I / Kafka no Kai / Kannsai Madam Council to stop the nuclear power plants / Kansai Network to Stop Nuclear Power Plants / Kazashimo no Kai – Fukushima / Kiso Network for no nuclear power plants / Kita Settsu Citizen’s Stury Group / Kunizaki debris ML / Life Future Ube / National Council for education of local history / natural design ukA / NGO Civilian Activity Support Network / Nipponzanmyohoji – Buddhist Temple / No More Radiation / No Nukes Action in Kamimaki / No Nukes Asia Actions Japan(NNAA-J) / No Nukes Asia Forum Japan / No Nukes from shiga / No Nukes Tent @ Tsukuba / No Nukes, Kiso Network / Nonukes Network in Oita / nosecafé / NPO Center for recreation of the damaged regions of East Japan Earthquake / Nuclear Phase-out Tepco Shareholder’s Movement / ODA reform network / ODA reform network in Kansai / Okinawa Outreach / (seguem-se 30 assinaturas –  consultar no site Xonuclear.net).


Nomes dos 30 Prêmios Nobel Alternativo (RLA – Right Livelihood Award)

e membros do Conselho Mundial do Futuro (WFC – World Future Council)

de 20 países, que apoiam a presente Declaração.

 

Andras Biro (Hungria) – RLA 1995 / Angie Zelter (Reino Unido) – RLA 2001 / Anna Oposa (Filipinas) – Conselheira WFC / Anwar Fazal (Malásia) – RLA – 1982 / Asociación de Trabajadores Campesinos del Carare (ATCC) (Colômbia)- RLA 2010 / A.Behar – Presidente da AMFPGR – Associação do Médicos Franceses pela prevenção da guerra nuclear (do IPPNW) (França) / Bianca Jagger (Nicaragua) – RLA 2004 / Chico Whitaker (Brasil) – RLA 2006 / David Suzuki (Canadá) – RLA 2009 / Dom Erwin Kautler (Brasil)  – RLA 2010 / Dr.Hanumappa R. Sudarshan (India) / RLA 1994 /  Fernando Funes (Cuba) – RLA 1999 / Fernando Rendón (Colômbia) – RLA 2006  / Frances Moore Lappe (EUA) – RLA 1987 / Fundação Gaia – Legado Lutzenberger (Brasil) – RLA 1988 / Helen Mack  (Guatemala) – RLA 1992 / Ida Kuklina (Rússia) – RLA 1996 / Juan Pablo Orrego S. (Chile) – RLA 1998 / L. Hunter Lovins (EUA) – RLA 1983 / Manfred Max-Neef – (Chile) – RLA 1983 / Marcos Arana (Mexico) – International Baby Food Action Network, IBFAN (Suiça) – RLA 1998 / Martin von Hildebrand (Colombia) – RLA 1999 / Maude Barlow (Canadá) – RLA  2005 / Raul Montenegro (Argentina) – RLA 2004 / S. Mohammed Idris (Malásia) – RLA 1988 / Sekem / Ibrahim Abouleish (Egito) – RLA 2003 / Sima Samar (Afeganistão) – RLA 2012 / Swami Agnivesh (India) – RLA 2004 / Tony Clarke (Canadá) – RLA 2005 / Vandana Shiva (India) – RLA 1993.

Envie um comentário

Carnaval 2020

Está chegando o Sábado de Carnaval22 de fevereiro de 2020
O grande dia está aqui.

Olinda Hoje no Facebook:

Previsão do Tempo:

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 613 outros assinantes

Categorias do Blog:

Mapa do Site:

Arquivos do Blog:

Olinda Hoje

%d blogueiros gostam disto: