Navegando todos os artigos com a tag Denúncias
fev
14

Ônibus de Jardim Brasil I estão operando em “escala de férias”

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags , ,

Moradores da Vila Popular e Jardim Brasil I denunciam os longos intervalos dos ônibus das linhas  Jardim Brasil I (Avenida Cruz Cabugá e Estrada de Belém). Chegam a demorar de 40 minutos a uma hora, entre um e outro.

E não adianta reclamar. Quando algum passageiro se queixa, os motoristas, bem abusados, informam que “a linha está operando em escala de férias”. Isso significa frota reduzida.

O ano letivo nas redes pública e privada de ensino já foi iniciado desde o dia 01 de fevereiro, e mesmo assim a empresa Caxangá insiste em manter a frota reduzida. Alguns motoristas chegam a afirmar que essa tal “escala de férias só será desativada depois do Carnaval”.

A única solução para os usuários é reclamar ao Grande Recife Consórcio de Transporte:
0800.081.0158 ou 3182-5554. WhatsApp: 81. 9.9488.3999.

fev
14

Material escolar doado ao Shopping Patteo vai para ONG de vereador

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Denuncias     Tags , ,

As doação de material escolar que os clientes do Shopping Patteo (Olinda) fizeram durante o mês de janeiro para que fosse destinada a crianças carentes da cidade, foram parar na Associação Nossa Voz em Ação, ONG mantida pelo vereador Algério (PSB), no bairro de Peixinhos. A escolha da entidade ligada ao político para receber as doações foi muito criticada.

“Foi, no mínimo, uma imprudência do shopping. Fizemos as doações de boa fé, achando que uma entidade isenta seria beneficiada. Mas como explicar que a entrega de todo material foi feita a uma associação que trabalha exclusivamente em função do vereador?”, questionou a professora Marlene Gomes Santos, que doou uma caixa de canetas e cinco cadernos.

Quem também reprovou a ação foi o comerciante Jackson Miranda. Comovido com o apelo da campanha do shopping, ele mobilizou amigos que moram em Rio Doce para comprar material. E não gostou de saber que os cadernos, borrachas e estojos escolares foram para a ONG do político.

“Gostaria de saber qual o critério para escolha e qual é a ligação que o shopping tem com o excelentíssimo senhor vereador Algério. É no mínimo estranho tudo isso. O pior de tudo é o cliente que doou ficar com essa sensação de que foi feito de besta, pois se soubéssemos que era para doar o material para fortalecer o assistencialismo barato de vereador a gente teria destinado o material a outras instituições”, afirmou revoltado.

Fonte: Observatório de Olinda

 
fev
14

Vereadores criticam decisão do Patteo entregar material recebido de clientes para ONG de politico

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Denuncias     Tags , ,

A falta de critérios para a escolha da Associação Nossa Voz, entidade do vereador Algério (PSB) beneficiada com o recebimento de material escolar – arrecadado a partir de doações de clientes do Shopping Patteo – repercutiu negativamente na Câmara de Vereadores de Olinda.

Ignorando o estrago que a divulgação do episódio já havia causado à imagem do shopping, o vereador Algério, único beneficiado com a doação, ainda colocou mais “lenha na fogueira” ao apresentar um “Voto de Aplauso” para o mall. Foi o suficiente para que os vereadores Marcelo Soares (PCdoB), Graça Fonseca (PMB) e Misael Prestanista (PSB) se manifestassem contra a homenagem.

Normalmente, o “Voto de Aplauso” é o tipo de proposição aprovada por unanimidade. Mas, neste caso, os vereadores dissidentes fizeram questão de votar contra. “O Shopping foi no mínimo preguiçoso ao entregar todo material arrecadado a uma única entidade que já é beneficiada por diversos convênios. Várias instituições mais necessitadas poderiam ter sido contactadas”, disparou o vereador Marcelo Soares (foto).

Misturar ação social com assistencialismo político só poderia resultar em problemas. Ainda mais considerando-se que o material arrecadado veio de terceiros, no caso, clientes do shopping que, de boa fé, compraram livros, cadernos, lápis e canetas com o objetivo de ajudar crianças carentes.

Quem doou sentiu-se enganado, traído pelo Shopping Patteo. Ninguém disse aos doadores que o material iria beneficiar uma instituição ligada a um político. 

Fonte: Observatório de Olinda

fev
12

Audiência pública pede cumprimento da Lei do Carnaval e a não instalação de camarotes no Sítio Histórico

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Carnaval     Tags , , ,

A audiência pública realizada hoje (12), na Câmara de Vereadores de Olinda, deliberou que a Prefeitura deve cumprir a lei municipal 5.306/2001 (Lei do Carnaval), que proíbe o funcionamento de camarotes na área do Sítio Histórico.

A polêmica surgiu a partir do funcionamento de casa-camarote na Rua Prudente de Morais (foto), de propriedade do cantor Alceu Valença, que gerou queixas junto ao Ministério Público de Pernambuco (MPE) e ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Participaram da audiência pública representantes da Sociedade de Defesa da Cidade Alta (Sodeca), Conselho Municipal de Cultural, Conselho de Preservação dos Sítios Históricos, o secretário de Patrimônio, Cultura, Turismo e Desenvolvimento Econômico, João Luiz, carnavalescos e vereadores.

fev
12

Camarotes no Carnaval de Olinda: a polêmica continua

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Carnaval     Tags , ,

Continua a polêmica em torno da camarotização do Carnaval de Olinda. Nesta terça-feira (12), às 11h, uma audiência discutirá o tema na Câmara de Vereadores. Amanhã (13), a Sociedade Olindense de Defesa da Cidade Alta (Sodeca) retoma o debate sobre os camarotes na sua reunião semanal.

As casas camarotes e os espaços de day use (onde o folião paga para  passar o dia) também estão no alvo de investigação do Ministério Público Federal (MPF) e do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Iphan). A preocupação é quanto à sobrecarga que os eventos podem trazer para o Sítio Histórico, onde dezenas de construções são tombadas, e o descumprimento da Lei do Carnaval, que veta tais empreendimentos na folia.

Entre moradores do Sítio Histórico há um coro generalizado contra as casas camarotes, que estão proibidas desde 2015. Também estão em xeque estruturas que se vendem como day use, mas que configuram camarotes, sejam pelo porte ou shows com bandas. 

Um espaço que desperta polêmica é o conhecido “casarão de Alceu Valença“, onde está funcionando o projeto Olinda Tropicana, com shows musicais durante todos os domingos de fevereiro.O espaço é motivo de reclamação dos moradores, mas é defendido pelo o secretário de Patrimônio, Cultura, Turismo e Desenvolvimento Econômico, João Luiz. “A proibição da lei é para os dias (oficiais) de Carnaval. Durante esse período que antecede, o que estão acontecendo são eventos que a gente está fazendo alguns testes para ver se conseguimos viabilizar aquele imóvel para transformá-lo em um equipamento turístico e cultural permanente, mas isso com o acompanhamento do conselho de preservação e de vários outros órgãos”, justifica.

Outra denúncia da comunidade é sobre a instalação de casas camarotes e day uses informais, sem nenhuma fiscalização por parte da Prefeitura de Olinda. Sobre essa informalidade, o secretário João Luiz explica que há dificuldade dos órgãos competentes que, muitas vezes, só conseguem perceber essa informalidade em cima da hora. Ele reforçou que está sendo finalizada uma varredura em todos os imóveis do Sítio Histórico que podem ser utilizados para apoio do folião. A listagem foi solicitada pelo Iphan. “Vamos fazer o que a lei prevê”, disse.

Fonte/Foto: Folhape

fev
12

O que não faltam são buracos na principal rua do Córrego do Abacaxi

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags , ,

A Rua Francisco Gomes, principal via de acesso ao Córrego do Abacaxi, em Caixa D’Água (Olinda), é uma das vias mais sofridas do bairro. Quando chove, a rua fica completamente alagada.

É sempre assim. No inverno e no verão, a rua está sempre esburacada, com poças de lama, provocadas pelas águas de esgotos.

Recentemente a Prefeitura de Olinda iniciou uma obra de recapeamento da via, mas o serviço não foi finalizado. Atualmente a via está assim (foto). Uma obra que começou e não foi finalizada. 

“Essa rua e um verdadeiro ‘faz e quebra’; já contei cinco vezes que o asfalto foi feito e ficou do mesmo jeito. E chega outro e quebra de novo, e faz uma obra meia-boca. Coloca asfalto, mas não realiza as obras de saneamento. É só jogando dinheiro fora”, denuncia José Tiburtino.

Segundo ele, essas obras só acontecem em períodos pré-eleitorais. “Começam, ilude todo mundo, ganham os votos da população e vão embora. É vergonhoso e lastimável”, diz. 

fev
12

Escadaria de acesso à Igreja do Guadalupe está tomada pelo mato

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags , ,

Um dos maiores problemas dos olindenses diz respeito à falta de capinação e limpeza das ruas. Não faltam reclamações da sujeira na cidade, desde a periferia até o Sítio Histórico.

“Se a sala de visita está suja, imaginem como devem estar a cozinha e o quintal?”, provoca um morador da Avenida Joaquim Nabuco, apontando para a escadaria (foto) de acesso à Praça Miguel Canuto (Largo da Igreja do Guadalupe), onde o mato e o lixo tomam conta.

O morador diz que está cansado de reclamar e pedir a limpeza do local, mas a prefeitura não atende. A última capinação foi realizada após denúncia do Blog OLINDA HOJE. “Nas primeiras semanas os próprios moradores fizeram a manutenção da área. Mas daquele tempo até hoje os garis da Prefeitura de Olinda não apareceram mais”, garante o senhor José Abílio.

Ele acredita que agora, com mais essa denúncia, a limpeza da escadaria venha a ser realizada. 

Mais fotos na fanpage do OLINDA HOJE

fev
11

Cratera na Rua Severino José Ramalho, no Guadalupe

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags , ,

Meses atrás, era apenas um buraco na Rua Severino José Ramalho, no Guadalupe. Moradores pediram providências à Prefeitura de Olinda, mas nada foi feito. Hoje, o buraco se transformou numa cratera, dificultando a passagem de veículos.

Esta via liga a Avenida Joaquim Nabuco (altura do número 1.001) à Rua do Guadalupe. Nesse período, é bastante utilizada por veículos e pedestres que se deslocam para as prévias carnavalescas no Sítio Histórico.

O receio dos moradores é que a cratera aumente ainda mais de tamanho com a chegada do período das chuvas. 

fev
10

Contribuintes encontram dificuldades para pagar o IPTU-2019 de Olinda

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags , ,

Muitas reclamações e insatisfação de milhares de contribuintes olindenses que não conseguiram quitar o Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) por conta de problema (erro) nos códigos de barra dos carnês.

Josefa Araújo, do bairro de Ouro Preto tentou quitar o débito numa casa lotérica. Ao chegar ao caixa, depois de esperar mais de meia hora na fila, foi informada de que o “boleto era inválido”. Pensando ser problema da máquina, que não fazia a leitura do código de barra, ela se dirigiu a uma agência bancária e recebeu a mesma resposta: boleto inválido.

 

fev
4

Privatizaram trecho de rua em Rio Doce

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags , ,

São muitas e todos os dias as denúncias de abusos de comerciantes que “privatizam” trechos de ruas e calçadas, prejudicando a circulação de pedestres e veículos.

Leitor do Blog OLINDA HOJE envia foto de um trecho da Rua Maestro Nelson Ferreira (altura do número 45), ao lado da feira de Rio Doce.

Segundo o leitor, todos os dias, logo cedinho, essas placas são colocadas na rua, impossibilitando o estacionamento dos carros.

E não adianta reclamar, porque o dono das placas (e da rua) é brabo e adora intimidar os incomodados.

Os fiscais do Controle Urbano de Olinda precisam dar uma passadinha por lá.

fev
4

Prefeitura “rasga” a Lei do Carnaval e autoriza camarote no Sítio Histórico

Moradores do Sítio Histórico denunciam: rasgaram a Lei do Carnaval. O que valeu no passado, não vale mais no presente. Segundo a denúncia, a Prefeitura firmou um acordo com a Olinda Tropicana (casa do cantor Alceu Valença) para que o imóvel seja um polo oficial do Carnaval de Olinda 2019.

A Sociedade Olindense de Defesa da Cidade Alta (Sodeca) denuncia a maracutaia, que infringe uma série de leis municipais e federais no tocante ao Uso e Ocupação do Solo do Sítio Histórico de Olinda e o Carnaval da cidade.

“A Lei do Carnaval está sendo negligenciada e relativizada pelo poder público para a liberação de um camarote no coração do Sítio Histórico em uma das ruas que mais transitam agremiações durante o período carnavalesco. O mais assustador de tudo é que o município está negociando a permissão da casa mediante o pagamento de uma taxa de R$ 2.500,00”, diz um texto da Sodeca, nas redes sociais.

De acordo com a entidade, para formalizar a maracutaia, a Prefeitura de Olinda definiu algumas cláusulas, entre elas a formação de uma comissão de fiscalização para verificar se a Lei do Carnaval está sendo ‘respeitada’. “Para nossa surpresa, o secretário de Patrimônio Turismo e Cultura, João Luiz, incluiu a Sodeca na comissão de fiscalização para dar ‘legitimidade e transparência’ ao acordo. Porém ele esqueceu e consultar a entidade sobre o referido acordo. Ficamos sabendo extraoficialmente e até agora não fomos oficialmente informados sobre o conteúdo do acordo e participação da referida comissão”, diz o texto.

“A Sodeca não concorda com os termos do referido acordo e principalmente não concorda com a instalação de qualquer tipo de camarote no Sítio Histórico de Olinda. As únicas condições que reconhecemos como positivas e que valorizam a nossa festa de Carnaval são as definidas pela Lei do Carnaval e pelo decreto 26/2015, que versam sobre a categorização de polos não-oficiais e day-use no Sítio Histórico de Olinda durante o período carnavalesco”, diz outro trecho da publicação.

Para quem não sabe, o Olinda Tropicana começou a funcionar ontem (03) e tem programação e atrações para todos os finais de semana de fevereiro e para o período de Carnaval. Amanhã (05), a Prefeitura anuncia a programação oficial do Carnaval 2019.

fev
2

Árvore prestes a cair em escola estadual na Estrada do Caenga

Estudantes e pais de alunos denunciam que uma árvore na área interna da escola estadual Santo Inácio de Loyola (Estrada do Caenga, 294), no bairro de São Benedito – Olinda, está prestes a tombar.

Leitor do OLINDA HOJE enviou uma fotografia da árvore, que já apresenta o tronco e galhos secos. O inverno vem ai. Chuvas e ventos podem colocá-la no chão e provocar acidentes

De quem é a responsabilidade pelo corte? Da Secretaria Estadual de Educação ou do Corpo de Bombeiros? Certamente não é da comunidade, dos estudantes ou dos professores!

 

fev
2

Animal morto no rio: qual órgão é responsável pela retirada?

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags , ,

Moradores do bairro de Caixa D’Água, em Olinda, denunciam a existência de um cavalo amarrado e morto dentro do Rio Beberibe há dois. O animal está em estado de decomposição e a fedentina é insuportável.

Os moradores querem saber de quem é a responsabilidade pela remoção. Ligaram para o Corpo de Bombeiros (CB) e receberam a informação da atendente de que “não é com eles”.

Pedidos de retirada também foram feitos à Vigilância Sanitária e às secretarias de Meio Ambiente e de Serviços Públicos de Olinda. Sem sucesso.

O animal morto continua no rio. Está próximo à comunidade Seninha, por trás do prédio da Compesa de Caixa D’Água.  

fev
1

Mãe e padrasto suspeitos de espancar menino de cinco anos em Olinda

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags , ,

Um menino de cinco anos foi vítima de espancamento, na última quarta-feira (30), no Córrego do Abacaxi, em Olinda. Segundo a Polícia Civil de Pernambuco (PCPE), a suspeita é que os agressores sejam a mãe e o padrasto da criança. O fato foi registrado nessa quinta-feira (31) pelo pai da criança, no Departamento de Polícia da Criança e do Adolescente (DPCA), no Bairro da Madalena, Zona Oeste do Recife.

De acordo com o titular da DPCA, o delegado Ademir Oliveira, ao visitar o filho, o pai percebeu marcas de agressão em várias partes do corpo dele. Em seguida, retirou a criança da casa onde morava com a mãe e o padrasto e buscou a delegacia. O pai também aponta a ex-esposa e o atual companheiro dela como os principais agressores.

A PCPE informou que um inquérito policial foi instaurado para investigar a agressão corporal e que os acusados prestaram depoimento na DPCA. A criança realizou exames no Instituto de Medicina Legal (IML) para atestar se houve as agressões.

O caso ficará sob o comando do titular da Delegacia de Plantão de Peixinhos, também em Olinda, Vinícius Oliveira, que aguarda os resultados dos laudos periciais para conclusão das investigações

Fonte: Folhape

jan
30

Desvio de R$ 2,2 milhões do Hospital Miguel Arraes é investigado pelo MPPE

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Denuncias     Tags , , , ,

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) abriu um inquérito civil público para investigar um caso de desvio de verbas no Hospital Metropolitano Norte Miguel Arraes (HMA), em Paulista.

O inquérito decorre de uma investigação policial que aponta indícios graves de que um ex-diretor administrativo e financeiro e superintendente da unidade, Rodrigo Cabral de Oliveira, teria desviado R$ 2,2 milhões do hospital, em parceria com a esposa e um amigo. Os desvios teriam acontecido entre janeiro de 2016 e julho de 2018 e atingido diretamente a Fundação Professor Martiniano Fernandes (Imip Hospitalar), que faz a gestão do Miguel Arraes.

A suspeita é de que o esquema de desvio de recursos públicos envolvia a emissão de ordens de pagamento a profissionais autônomos (RPAs) falsas a pessoas que não tinham prestado serviço à unidade. Dentre eles, um dos investigados e amigo do ex-superintendente, Ricardo Alexandre Pereira de Souza, e pessoas que trabalhavam numa loja de um shopping da cidade, cuja gerente era a esposa do superintendente, Viviane Gelli Baptista. Ela teria usado o nome e contas-correntes dos funcionários da loja para fazer os falsos pagamentos. As emissões eram feitas para pagamento de serviços como manutenção das estruturas.

A investigação tem o objetivo de dar continuidade à coleta de informações iniciadas pela polícia, para adoção de eventuais medidas extrajudiciais e/ou judiciais e eventual prestação de contas. Neste mês, foram solicitados bloqueios de bens, assim como a quebra de sigilo bancário e fiscal dos envolvidos. Os dois teriam viajado ao exterior durante a investigação e tentado intimidar testemunhas. 

Existem mandados de prisão preventiva contra os envolvidos, que são considerados foragidos. No último dia 22, a defesa deles entrou com um pedido de habeas corpus na Justiça e aguarda julgamento do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). A defesa, por meio de advogado representante, nega as denúncias e questionou arbitrariedade no pedido de prisão efetuado.

Fonte: DP

jan
30

Após a alta médica, pacientes sem ter para onde ir permanecem no Hospital Tricentenário

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags , , ,

Pacientes internados no Hospital Tricentenário (HTri), em Olinda, são obrigados a ficar no local mesmo depois de receber alta médica. Essa situação acontece porque eles não têm para onde ir ou estão sem identificação

É o caso de Maria Lia Castro, que não portava nenhum documento quando sofreu um acidente de carro, na Serra das Russas (Gravatá), em junho de 2018. Ela, que perdeu uma parte de uma das pernas e quebrou um braço, nunca recebeu visita de parentes.

Internada no HTri desde agosto de 2018, quando foi transferida do Hospital da Restauração (Recife), a paciente passou por tratamento e poderia ter recebido alta desde agosto do ano passado.

Sem cadeira de rodas nem apoio familiar, Lia mantém contato com uma única pessoa: o professor de tênis Tiago Moura, que participou do socorro, logo após o acidente.

“Soube que ela seria levada para o Hospital da Restauração e fiquei ligando para lá. Pedi para acompanhar o caso. Estou tentando ajudar a encontrar algum parente dela, como filho, pelas redes sociais”, conta Tiago.

De acordo com o HTri, na unidade também estão outros sete pacientes que não conseguem falar ou não têm consciência. Dois deles estão no local desde 2013.

“A gente faz acompanhamento desses casos e tenta buscar os parentes. Muitos familiares até aparecem, mas não aceitam o doente por causa das condições de saúde ou da falta de dinheiro em casa”, afirma a assistente social do hospital, Arlete Aguiar. O HTri é filantrópico e mantém convênios. Todos os pacientes da unidade são do Sistema Único de Saúde (SUS).

Fonte: G1

jan
29

Pernambuco tem 57 barragens com risco de rompimento

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Denuncias     Tags , ,

Embora a Agência Nacional de Águas (ANA) tenha divulgado que Jucazinho, em Surubim, seja a única barragem pernambucana entre as 54 com alto risco de rompimento no Brasil, um estudo realizado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) considera que há 57 barragens no Estado que apresentam ameaça de rompimento e danos associados. São duas de irrigação, 37 de abastecimento, 14 de combate à seca e quatro não especificadas. Ao todo, Pernambuco tem 420 barragens. 

Os dados da CNM confirmam a hipótese levantada pelo pesquisador da Fundação Joaquim Nabuco, Neison Freire, quando supõe que o estudo da ANA está desatualizado ou não condiz com a realidade. 

A barragem em Brumadinho (MG) não estar entre as preocupantes é um sinal disso. “Sabemos que a enchente de 2010 na Mata Sul tem relação com o colapso de três diques no rio Mundaú, em Alagoas, por exemplo.” O problema nunca foi estudado a fundo. Mas, também de acordo com o doutor em geografia pela UFPE Luiz Eugênio Carvalho, há relação com barragens, mas na bacia do rio Una. Acredito que, desde 2010, as grandes barragens em Pernambuco estejam sendo monitoradas com mais cuidado. Mas, há um problema com as pequenas barragens, muitas delas ilegais, construídas por produtores e donos de terra nos períodos de seca”, explica. 

Além da manutenção que precisa ser feita, Neison se preocupa com a falta de um plano sólido de salvamento no caso de um rompimento. “Principalmente, pelas características das áreas a serem atingidas por um colapso de Jucazinho, por exemplo, o salvamento se torna mais difícil”, explicou. Um hipotético rompimento de Jucazinho levaria uma enxurrada de água e detritos até o mar, desde Surubim até o Recife, por meio do curso do rio Capibaribe. “A água tem também um grande poder. Vem em uma grande onda piroclástica, arrastando o que houver às margens do rio, com destino ao mar. Mas isso varia de acordo com a quantidade de água guardada e com o tamanho do rompimento.” 

Cidades como Paudalho (Zona da Mata Norte), São Lourenço, Camaragibe e o Recife, na RMR, seriam algumas das cidades atingidas com violência, já que têm o  Capibaribe próximo aos seus centros urbanos. “A ocupação irregular nas margens, o desassoreamento, o uso de fertilizantes (que leva sedimentos aos rios) piora a situação de uma eventual enchente.” 

A direção geral do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNocs), em Fortaleza (CE), responsável pela manutenção de Jucazinho, não foi localizada. O escritório local informou que comentará sobre as outras barragens presentes no estudo hoje (29).

jan
28

Sucatas de carros na Vila Popular servem de esconderijo para bandidos

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags , , ,

O crescente número de veículos abandonados dos dois lados da Rua Francisco Fernandes da Rocha, na Vila Popular, em Olinda, tem chamado a atenção dos moradores da área – que virou cenário de filme de terror. O cemitério de carros assombra, por ter virado ponto de consumo de drogas, assaltos e “maternidade” do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue.

Ao todo, oito carros de passeio e um caminhão se decompõem lentamente ao relento, sob os raios solares, ventos e chuvas que caem. De acordo com a população, as carcaças de veículos estão na rua há mais de dois anos.

“À noite bandidos se escondem nos carros para assaltar pessoas que passam por aqui. Gostaríamos que a Prefeitura de Olinda tomasse providências”, disse o morador que fez a denúncia.

 

 

 

jan
27

Barragem de Jucazinho apresenta riscos de rompimento

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Denuncias     Tags , ,

Nos últimos três anos a Agência Nacional de Águas (ANA) detectou 54 barragens de água do País com problemas na infraestrutura. Esse número equivale a mais da metade do total das 104 barragens que a agência fiscaliza. A informação foi apurada pelo jornal O Estado de S. Paulo em dezembro de 2018, em levantamento realizado com a ANA por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI).

A região Nordeste possui 24 barragens sob risco de desabamento, segundo consta no Relatório de Segurança de Barragens 2017 (RSB). O Estado com maior número de barragens sob risco é a Bahia, com 10 reservatórios. Desses, seis não contêm estimativa para a recuperação. 

Em Pernambuco, a única em situação de alerta de risco, segundo o documento, é a Barragem de Jucazinho (Surubim), o maior reservatório para abastecimento humano do Agreste (com capacidade para armazenar mais de 327 milhões de metros cúbicos de água) e o terceiro do Estado.

Segundo o corpo técnico do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), num cenário de rompimento de Jucazinho, com o reservatório cheio, o estrago poderia se propagar até o Recife. Atualmente, o volume de água é de apenas 3,2% da sua capacidade, o que diminui o risco de tragédia

De acordo com o relatório, entre os problemas estruturais identificados e que impactam na segurança do reservatório de Jucazinho, estão fissuras nos vertedouros laterais e nas ombreira. A bacia de dissipação também não é capaz de sustentar a vazão de água do rio. Ou seja, em períodos de chuvas intensas, há grande possibilidade de rompimento da barragem.

O relatório também identificou que o Dnocs não tem Plano de Ação de Emergência para o caso de uma possível tragédia e que a situação de risco da barragem já é conhecida pela diretoria-geral do Dnocs desde 2004, inclusive com a demonstração de dados de engenheiros da própria autarquia. Outros órgãos também estão cientes da situação de Jucazinho, como a Compesa, a Secretaria Estadual de Recursos Hídricos e a Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac), responsável pela fiscalização. 

Fontes: DP e OP9

jan
22

Moradores reclamam de lixo nas ruas de Jardim Atlântico

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags , , ,

Moradores do bairro de Jardim Atlântico, em Olinda, sofrem com a sujeira em áreas públicas. Na Rua Arácia, o muro da Defesa Civil virou um painel para pichações, que alertam para a proibição de jogar lixo na rua. Mesmo assim, entulhos se acumulam e cavalos e pombos circulam na área de descarte irregular.

Nas mensagens escritas no muro, destacam-se frases como “não jogue lixo”, “educação é um dever de todos”. Em uma delas, há um recado para o prefeito: “se o lixo não for recolhido em dois dias, tocaremos fogo”.

A situação é a mesma na Rua José Mariano Viana, onde um buraco aberto no meio da via serve como depósito para o lixo. Moradora do local, a dona de casa Ivanilda Bezerra afirma que a sujeira é uma constante.

Por meio de nota, a Secretaria de Serviços Públicos de Olinda informou que a coleta de lixo “segue normal” na cidade, de segunda a sábado, e equipes trabalham em regime especial no domingo, “recolhendo resíduos depositados nos principais corredores e avenidas”.

A Prefeitura diz, ainda, que “enviará uma equipe até o local para reforçar a limpeza” e que a Defesa Civil ” vai apurar a ocorrência da pichação”.

Fonte: G1

Carnaval 2019

Está chegando o Sábado de Carnaval2 de março de 2019
12 dias restantes.

Olinda Hoje no Facebook:

Previsão do Tempo:

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 312 outros assinantes

Favoritos

Categorias do Blog:

Mapa do Site:

Arquivos do Blog:

Olinda Hoje

%d blogueiros gostam disto: