Navegando todos os artigos com a tag Lava Jato
maio
8

Senador pernambucano está nas mãos do juiz Sérgio Moro

O ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu, ontem (07), retirar da Corte e encaminhar para o juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba (PR), a denúncia envolvendo o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) no caso da Refinaria Abreu e Lima.

É a primeira decisão de Fachin após o plenário do STF ter restringido o foro privilegiado para deputados federais e senadores para crimes cometidos no exercício do mandato e em função do cargo.

Fernando Bezerra Coelho – que até dias atrás era pré-candidato a governador de Pernambuco – foi denunciado em 2016, no âmbito da Operação Lava Jato, acusado de recebimento de propina de pelo menos R$ 41,5 milhões das empreiteiras Queiroz Galvão, OAS e Camargo Corrêa, contratadas pela Petrobrás para a execução de obras da Refinaria Abreu e Lima (RNEST).

Fonte: Blog do Magno

abr
23

48 políticos investigados na Lava Jato

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Denuncias     Tags , ,

BBC Brasil 

Quarenta e oito políticos com foro privilegiado que estão sendo investigados ou foram denunciados na Operação Lava Jato correm o risco de ter seus casos enviados à primeira instância caso não consigam se reeleger em outubro.

A BBC Brasil listou os políticos que estão na mira da força-tarefa mas que, por terem foro privilegiado, respondem em cortes superiores, onde o andamento dos processos costuma ser mais lento. Boa parte do grupo deverá tentar a reeleição, o que garantiria a manutenção do foro privilegiado.

A lista inclui o presidente Michel Temer, três governadores, dez senadores, entre eles Humberto Costa (PT-PE), e 34 deputados federais.

Confira a lista dos políticos envolvidos na operação que podem perder o foro privilegiado se não se elegerem em outubro:

Presidente

Michel Temer (MDB-SP)

Governadores

  • Renan Filho (MDB-AL)
  • Robinson Faria (PSD-RN)
  • Fernando Pimentel (PT-MG)

Senadores

  • Aécio Neves (PSDB-MG)
  • Ciro Nogueira (PP-PI)
  • Edison Lobão (MDB-MA)
  • Eunício Oliveira (MDB-CE)
  • Gleisi Hoffmann (PT-PR)
  • Humberto Costa (PT-PE)
  • Ivo Cassol (PP-RO)
  • Renan Calheiros (MDB-AL)
  • Romero Jucá (MDB-RR)
  • Valdir Raupp (MDB-RO)

Deputados Federais

  • Aguinaldo Ribeiro (PP-PB)*
  • Alfredo Nascimento (PR-AM)
  • Anibal Ferreira Gomes (MDB-CE)
  • Antônio Brito (PSD-BA)
  • Andres Sanchez (PT-SP)
  • Arlindo Chinaglia (PT-SP)
  • Arthur Maia (PPS-BA)
  • Beto Mansur (PRB-SP)
  • Cacá Leão (PP-BA)
  • Carlos Zarattini (PT-SP)
  • Celso Russomanno (PRB-SP)
  • Dimas Fabiano Toledo (PP-MG)
  • Fábio Faria (PSD-RN)
  • Heráclito Fortes (PSB-PI)
  • José Carlos Aleluia (DEM-BA)
  • José Mentor (PT-SP)
  • José Otávio Germano (PP-RS)
  • Lázaro Botelho Martins (PP-TO)
  • Lúcio Vieira Lima (MDB-BA)
  • Luiz Fernando Faria (PP-MG)
  • Marco Maia (PT-RS)
  • Maria do Rosário (PT-RS)
  • Mário Negromonte Jr. (PP-BA)*
  • Milton Monti (PR-SP)
  • Missionário José Olímpio (DEM-SP)
  • Ônyx Lorenzoni (DEM-RJ)
  • Roberto Balestra (PP-GO)*
  • Rodrigo Garcia (DEM-RJ)
  • Rodrigo Maia (DEM-RJ)
  • Sandes Júnior (PP-GO)
  • Vander Loubet (PT-SP)
  • Vicentinho (PT-SP)
  • Yeda Crusius (PSDB-RS)
  • Waldir Maranhão (PSDB-MA)*

* A Procuradoria Geral da República (PGR) pediu o arquivamento das investigações sobre os deputados, mas o pleito ainda não foi analisado pelo STF.

abr
5

Lula cogita não se entregar à PF

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) cogita não se entregar à Polícia Federal nesta sexta-feira (06) e quer “resistência pacífica” em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, no ABC paulista. Este é o local onde Lula pretende estar ao final do prazo estabelecido pelo juiz Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato em Curitiba, para que ele se apresente de maneira voluntária até às 17h desta sexta, na sede da PF.

O ex-presidente avaliava se entregar, mas decidiu repensar essa possibilidade após a decisão de Moro, que expediu seu mandado de prisão nesta quinta-feira (05) antes de encerrados os embargos no Tribunal Regional Federal da 4a Região (TRF-4). Lula ainda está conversando com seus advogados, mas disse a aliados que a postura de Moro foi “arbitrária” e que, portanto, estava reavaliando uma possível apresentação voluntária à cúpula da polícia.

Como mostrou a Folha de S.Paulo, o diretor-geral da Polícia Federal, Rogério Galloro, escalou emissários para negociar com o PT os termos para a prisão do ex-presidente. Três pessoas próximas a Lula foram procuradas com o objetivo de abrir diálogo para acertar as condições e o local do encarceramento.

Fonte: Folhapress

mar
13

Triplex que Lula diz não ser dele será leiloado no dia 15 de maio

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Denuncias     Tags , ,

O juiz federal Sérgio Moro marcou o leilão do triplex (foto) atribuído ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para o dia 15 de maio. Na decisão, o magistrado também definiu a data do segundo leilão, caso o imóvel não seja arrematado no primeiro leilão, para o dia 22 do mesmo mês, ambos às 14h.

Segundo o Ministério Público Federal, o triplex, localizado na cidade do Guarujá, litoral de São Paulo, teria sido cedido pela construtora OAS ao ex-presidente como recompensa a favorecimentos à empresa em obras. A acusação resultou na condenação de Lula pelo juiz Sérgio Moro, decisão que foi confirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4).

A decisão de leiloar o imóvel ocorreu após o apartamento ter sido penhorado pela 2ª Vara de Execução de Títulos Extrajudiciais da Justiça Distrital de Brasília, em razão de uma disputa judicial entre a empresa Macife e a OAS.

A defesa de Lula argumentou, à época, que a penhora confirmava a tese defendida de que o imóvel pertencia à OAS e nunca teria sido do ex-presidente. Moro afirmou no seu despacho quando ordenou a realização do leilão que “o imóvel foi inadvertidamente penhorado, pois o que é produto de crime está sujeito a sequestro e confisco e não à penhora por credor cível ou a concurso de credores”.

Fonte: Agência Brasil

jan
9

Lula será julgado dia 24 de janeiro, pela 8ª turma do TRF-4

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , , ,

Faltam 15 dias para o julgamento do ex-presidente Lula (PT) na segunda instância do Tribunal Regional Federal (TRF-4) da 4ª Região da Justiça Federal. Lula já foi condenado pelo juiz Sérgio Moro (responsável pelos casos da Lava Jato na primeira instância) a 9,5 anos de prisão, acusado de ocultação da propriedade de uma cobertura triplex no Guarujá (SP), recebido como propina da empreiteira OAS, em troca de favores na Petrobras.

No próximo dia 24 de janeiro, os três desembargadores da 8ª turma do TRF-4 darão o veredicto sobre o processo, que pode inviabilizar os planos de Lula, que pensa em se candidatar à Presidência da República este ano.

Mas, como no Brasil sempre existe sempre “mais um jeitinho” e mais uma chance, se for mesmo condenado, o ex-presidente ainda poderá levar o processo para outras instâncias e manter a candidatura até todos os recursos serem esgotados.

 
 
jan
3

Indenização oferecida pela Petrobras é 6,5 vezes maior que o dinheiro recuperado pela Lava Jato

AuthorPostado por: Jornalismo Redação    CategoryEm: Brasil     Tags ,

O valor do acordo negociado pela Petrobras para encerrar a ação coletiva de investidores estrangeiros, que tramita contra a estatal em Nova York, é 6,5 vezes maior do que o dinheiro recuperado pela Operação Lava Jato e devolvido aos cofres da petroleira.

Na manhã desta quarta-feira (3), a Petrobras anunciou um acordo no qual se propõe a pagar US$ 2,95 bilhões aos acionistas que compraram papéis da empresa no mercado imobiliário americano. 

Desde o início da operação Lava Jato, o Ministério Público Federal já devolveu à estatal do petróleo R$ 1.475.586.737,77, dinheiro obtido por meio de acordos de colaboração e leniência fechados com delatores e empresas envolvidos no esquema de corrupção que agia na Petrobras.

O acordo negociado pela estatal com os acionistas dos Estados Unidos, fechado em dólares, soma R$ 9,6 bilhões na cotação desta quarta-feira.

O valor oferecido pela Petrobras para encerrar a ação judicial em território norte-americano é quase o total dos recursos que a Lava Jato estima recuperar por meio de 163 delações premiadas e 10 acordos de leniência homologados pelo juiz federal Sérgio Moro, no Paraná, e pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Fonte: Portal G1

dez
27

Mais da metade dos brasileiros não acredita na prisão de Lula

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Policial     Tags , , ,

A coluna “Radar” da revista “Veja” desta semana, traz a informação de que 50,8% dos brasileiros acreditam que o ex-presidente Lula (PT) será condenado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (Porto Alegre-RS), mas 56,6% não acreditam que ele irá para a cadeia.

O levantamento foi feito pelo Instituto Paraná Pesquisas que tem sua sede em Curitiba (PR), onde mora e trabalha o juiz Sérgio Moro, que condenou o petista Lula a nove anos e seis meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

De acordo ainda com a pesquisa, apenas 35,8% dos brasileiros acreditam que o ex-presidente irá para a cadeia em caso de condenação. Por outro lado, 39,8% acreditam que nada acontecerá com o petista e que ele será absolvido das acusações.

dez
23

Petista José Dirceu se aposenta pela Câmara com proventos de R$ 9,6 mil

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

O ex-deputado petista José Dirceu (PT), condenado pela Operação Lava Jato por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, é o mais novo aposentado pela Câmara Federal. Por meio do Diário Oficial da Casa, o presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) autorizou a concessão da aposentadoria do ex-ministro da Casa Civil, proporcional ao tempo de contribuição para o Instituto de Previdência do Congresso (IPC).

A partir de agora, ele terá direito a receber, mensalmente, R$ 9.646,00. Para efeito de cálculo da aposentadoria, os técnicos da Câmara Federal consideraram os 11 anos em que ele passou fora do Brasil como perseguido político, o tempo de contribuição para o INSS e para a previdência da Assembleia Legislativa de São Paulo, de onde foi funcionário.

Foto: Dida Sampaio/Estadão

ago
18

Lava Jato pede suspeição de Gilmar Mendes, ministro do STF

AuthorPostado por: Jornalismo Redação    CategoryEm: Brasil     Tags , , ,

Os procuradores da Força Tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro pediram nesta sexta-feira (18), pela segunda vez, para que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, entre com uma ação para que seja declarada a suspeição do ministro Gilmar Mendes, do Superior Tribunal Federal (STF), no caso envolvendo o empresário Jacob Barata Filho. Mendes concedeu habeas corpus para soltar o empresário, do qual foi padrinho de casamento da filha. 

gilmarmendes

O primeiro pedido foi encaminhado em julho. Para os procuradores, Mendes não pode tomar nenhuma decisão envolvendo o empresário por ter uma relação próxima com ele e seus familiares. Jacob Barata Filho foi preso no início de julho com base em investigações do Ministério Público Federal e da Polícia Federal. A força-tarefa encontrou indícios de que ele pagou milhões de reais em propina para políticos do Rio.

Segundo o Ministério Público Federal, Barata e Lélis Teixeira, ex-presidente da Fetranspor, participavam de esquema de propinas chefiado pelo ex-governador Sérgio Cabral – também preso e réu em 14 processos -. Ambos foram beneficiados pelo habeas corpus expedido nesta quinta por Gilmar Mendes. Em seguida, o juiz Marcelo Brêtas, do Rio, expediu novo mandado, anulando de certa forma a decisão do ministro. 

O empresário preso é filho de Jacob Barata, que atua no ramo dos transportes de ônibus no Rio de Janeiro há várias décadas. O pai do empresário é conhecido como “Rei do Ônibus” e fundador do Grupo Guanabara, do qual Jacob Barata Filho também é um dos gestores.

Nesta sexta, Mendes se manifestou sobre o pedido de suspeição. “Vocês acham que ser padrinho de casamento impede alguém de julgar um caso? Vocês acham que isto é relação íntima, como a lei diz? Não precisa responder”, disse.

Os procuradores afirmam que, além de ter sido padrinho de casamento da filha de Barata, o noivo é seu sobrinho, filho de sua mulher, Guiomar. O MPF também alega que um dos advogados de Barata também representou Mendes, sendo seu advogado.

Fonte: Portal G1

jul
25

Só queriam fim do governo Dilma e não da corrupção, diz procurador da Lava Jato

AuthorPostado por: Jornalismo Redação    CategoryEm: Brasil     Tags , , ,

Em mensagem publicada em sua rede social, o procurador da República, Carlos Fernando dos Santos Lima, da força-tarefa da Operação Lava Jato, afirmou nesta segunda-feira (24), que ‘o próximo passo do PMDB’ parece ser acabar com a investigação.

BBrQ1Rk

Carlos Lima reagiu à entrevista do vice-presidente da Câmara dos Deputados e substituto imediato de Rodrigo Maia (DEM-RJ), o deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG), ao jornal Estado de São Paulo, na qual o parlamentar defendeu um “prazo de validade” para a Lava Jato. O procurador afirmou que ‘as investigações vão continuar por todo o País’. 

“Acabar com a Lava Jato. Esse parece ser o próximo passo do PMDB. Infelizmente muitas pessoas que apoiavam a investigação só queriam o fim do governo Dilma e não o fim da corrupção. Agora que Temer conseguiu com liberação de verbas, cargos e perdão de dívidas ganhar apoio do Congresso, o seu partido deseja acabar com as investigações. Mas, mesmo com todas as articulações do governo e de seus aliados, as investigações vão continuar por todo País”, escreveu.

Fonte: Estadão

jul
15

Juiz Gebran diz que o caso do triplex de Lula é só mais um processo

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

Folha de S. Paulo – Estelita Hass Carazzai

Relator dos processos da Lava Jato no Tribunal Regional Federal (TRF) em Porto Alegre (RS), o juiz federal João Pedro Gebran Neto Gebran-Neto (1)(foto) afirmou, nessa sexta (14), que irá conduzir o caso do tríplex do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como “mais um processo”, no mesmo ritmo de outras ações da corte.

“Não estou preocupado com consequências políticas, e sim com consequências jurídicas”, disse, antes de receber uma homenagem da Federação do Comércio do Paraná, em Curitiba.

Lula foi sentenciado nesta semana pelo juiz Sérgio Moro a nove anos e seis meses de prisão, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Cabe recurso ao TRF em Porto Alegre – e a decisão da corte, caso confirme a condenação, pode tornar o petista inelegível.

“Eu estou pensando no meu processo, em que estão sendo imputados fatos a uma pessoa. A questão eleitoral é uma consequência, mas não sou eu que determino”, afirmou. Para o desembargador, é “quase impossível” estabelecer quanto tempo o processo levará para ser julgado.

Sobre as declarações do presidente do TRF, que afirmou que a ação será avaliada antes da eleição, Gebran disse que ele tem liberdade para se manifestar, mas que o caso seguirá da mesma forma que outros, da forma “mais imparcial e isenta possível”.

jun
27

Juiz Moro condena ex-ministro Antonio Palocci a 12 anos de prisão

AuthorPostado por: Jornalismo Redação    CategoryEm: Brasil     Tags , , , ,

O juiz Sérgio Moro condenou o ex-ministro petista Antonio Palocci a 12 anos e 2 meses de prisão. De outros 14 acusados de crimes como corrupção e lavagem de dinheiro, dois foram absolvidos.

palocci

Na sentença, o juiz Sérgio Moro afirmou que o ex-ministro Antonio Palocci administrava uma conta de propina da Odebrecht com o Partido dos Trabalhadores. O valor chegou a R$ 200 milhões. Palocci é apontado pelo Ministério Público como o “Italiano”, que dá nome à planilha do departamento de propinas da Odebrecht. Ele nega.

Moro detalhou alguns repasses que constam na planilha, como a compra de um terreno para o Instituto Lula, e recusado mais tarde; pagamentos para campanhas no Brasil, e pagamentos aos ex-marqueteiros do PT João Santana e Mônica Moura.

A sentença desta segunda-feira (26) tem relação justamente com parte do pagamento para o casal de marqueteiros. Segundo os investigadores, Palocci intermediou o repasse de US$ 10 milhões da Odebrecht para Mônica Moura e João Santana no exterior. Em troca, a Odebrecht, segundo os procuradores, foi favorecida em contratos de sondas.

João Santana e Mônica Moura foram responsáveis pelas três últimas campanhas presidenciais do PT: a da reeleição de Lula em 2006, a da primeira eleição de Dilma Rousseff em 2010 e a da reeleição de Dilma em 2014. De acordo com Sérgio Moro, o dinheiro repassado aos marqueteiros foi usado para remunerar, sem registro, serviços prestados em campanhas e fraudar sucessivas eleições no Brasil, contaminou o processo eleitoral com dinheiro da corrupção na Petrobras.

Para Moro, “mais do que o enriquecimento ilícito dos agentes públicos, o elemento mais reprovável do esquema criminoso da Petrobras é a contaminação da esfera política pela influência do crime, com prejuízos ao processo político democrático”.

Ao justificar a condenação de Antonio Palocci, Sérgio Moro disse que o condenado agiu enquanto ministro-chefe da Casa Civil, um dos cargos mais elevados da administração pública Federal.

“A responsabilidade de um ministro de estado é enorme, e por isso mesmo também a sua culpabilidade quando pratica crimes”, escreveu o juiz.

Ainda segundo Moro, não se pode esquecer que o crime se insere num contexto de relação espúria de anos entre o grupo Odebrecht e Palocci.

O juiz determinou que Palocci deve começar a cumprir a pena preso, porque solto, poderia influir contra a ação penal.

Sérgio Moro também comentou a declaração dada por Palocci na audiência de abril, em que teria muito a contribuir com a Lava Jato: “Todos os nomes e situações que eu optei por não falar aqui, por sensibilidade de informação, estão à sua disposição, o dia que o senhor quiser – e se o senhor estiver com a agenda muito ocupada, a pessoa que o senhor determinar – eu imediatamente apresento todos esses fatos com nomes, endereços, operações realizadas e coisas que vão ser, certamente, do interesse.”

Para Moro, essa declaração soou mais como uma ameaça para que terceiros o auxiliem indevidamente para a revogação da prisão preventiva do que propriamente como uma declaração sincera de que pretendia naquele momento colaborar com a Justiça. O ex-ministro Antonio Palocci está preso desde setembro de 2016. Pela sentença, ele não poderá exercer funções públicas por 24 anos e terá confiscado o valor de US$ 10 milhões.

Palocci também é réu em outra ação penal em Curitiba, junto com o ex-presidente Lula, em que é acusado de intermediar pagamentos de propina da Odebrecht à Lula.

Outros 12 réus foram condenados. Mônica Moura e João Santana a sete anos e meio cada um. Como são delatores, seguem em prisão domiciliar por um ano e meio.

Marcelo Odebrecht a 12 anos e 2 meses. Como delator, ficará dois ano e meio em regime fechado. Poderá sair da cadeia em dezembro deste ano, mas terá restrições de liberdade por mais sete anos e meio.

O ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto foi condenado a seis anos. O ex-diretor da Petrobras Renato Duque a cinco anos e quatro meses. Ele vem tentando um acordo de delação premiada e recentemente prestou um depoimento sobre o esquema de corrupção na diretoria.

Sérgio Moro afirmou que a colaboração foi tardia e não trouxe informações totalmente novas e que caso Duque devolva o dinheiro de propina que ainda tem, vai poder ter progressão de regime com cinco anos prisão. Ele foi condenado a mais de 60 anos.

Também foram condenados o ex-gerente da estatal Eduardo Musa, o ex-presidente da Sete Brasil João Ferraz, os operadores Olívio Rodrigues e Marcelo Rodrigues e os ex-executivos da Odebrecht Hilberto Mascarenhas, Fernando Migliaccio e Luiz Eduardo Soares.

O ex-assessor de Palocci Branislav Kontic e o ex-executivo da Odebrecht Rogério Araújo foram absolvidos por falta de provas.

A Força-Tarefa da Lava Jato anunciou que vai recorrer da sentença para pedir a condenação de Branislav Kontic, aumentar as penas de Antonio Palocci e João Vaccari Neto e rever o benefício concedido a Renato Duque.

A defesa de Antonio Palocci afirmou que ele é inocente e que vai recorrer. Sobre a declaração de Sérgio Moro de que Palocci teria feito uma ameaça, a defesa afirmou que a conclusão é dissociada de fatos concretos que possam corroborá-la. Que a conclusão de Sérgio Moro é infundada e parte de impressões pessoais equivocadas – porque, após o interrogatório, Palocci contratou um escritório de advocacia especializado em delação premiada.

A defesa de João Vaccari Neto considerou a decisão injusta, baseada apenas em delação premiada e sem qualquer prova.

A defesa de Renato Duque afirmou que a sentença atendeu ao que foi pedido pelos advogados.

O Instituto Lula afirmou que sempre funcionou na mesma sede, que não houve solicitação nem recebimento de nenhuma outra sede ou de qualquer valor ilegal e que a citação ao Instituto Lula na sentença é descabida e fora de propósito.

A defesa da ex-presidente Dilma Rousseff não quis comentar.

O Partido dos Trabalhadores reafirmou que Palocci e Vaccari foram condenados com base apenas nas palavras de delatores, que se utilizam de subterfúgios para incriminar quem quer seja, desde que tenham as penas reduzidas.

A Odebrecht reafirmou o compromisso de colaborar com a Justiça. Todos dos demais citados na reportagem são delatores da Lava Jato.

Fonte: Portal G1

jun
7

Spettus deixa de usar carne da JBS “para não alimentar corruptos”, mas não deixa de receber políticos suspeitos

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Brasil     Tags , , ,

Marabá Soares

O Brasil vive uma crise política desde a última eleição para a presidência da República. Caça-se, neste país, os corruptos como quem caçava as bruxas na época da Inquisição. Mas a corrupção, infelizmente, ainda dá as cartas – como também dava antes. Os corruptos continuam corruptos e corrompendo ainda mais, mesmo depois do advento da Lava Jato. É uma pena, poderíamos ter provado que evoluímos.

honestidade

Nesse ‘salve geral’ cada um faz o que pode para manter o status quo. Parecer honesto é o que interessa. Se o mercado é o que importa, e combater a corrupção está em voga, foda-se o bom senso. E nisso continuamos a ver os que se mantêm com o dinheiro que sai da corrupção, esbanjando glamour e obviamente sendo adulados e posando nas colunas sociais, pouco importando de onde venha esse dinheiro. 

Mas achar que uma notícia como a que saiu nessa terça-feira (06) em um dos principais portais de notícias de Pernambuco – de que o dono da rede Spettus não mais usaria carnes da JBS, com o argumento de “não alimentar corruptos” – é algo grandioso e patriótico, subestima o bom senso do homem comum. Passa longe do que é sério e beira à demagogia. Tudo isso não é mais que uma jogada de marketing.

Seria ótimo ver o senhor Julião Konrad afirmar que não irá mais alimentar os políticos. Pois são eles em sua maioria os grandes corruptos do Brasil e são seus maiores clientes. Eles adoram negociar propinas enquanto se servem na Spettus. 

Fornecedores de carnes e produtos para a Spettus existem um monte no Brasil e não fechar pedidos com um ou outro fornecedor não representa nenhum sacrifício para o senhor Konrad. O bom seria vê-lo afirmar que políticos, muitos deles notoriamente corruptos, não mais se alimentarão em seus estabelecimentos.

Afinal, quem quer ser honesto, não pode apenas parecer, precisa ter a coragem de ficar distante da corrupção. 

Serve à mafia quem precisa ser subserviente ao mafioso. O resto é conversa fiada.

jun
6

Outro ex-presidente da Câmara dos Deputados é preso pela PF

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Brasil     Tags , , , , ,

O ex-presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), foi preso nesta terça-feira (6) pela Polícia Federal. Ele é o segundo ex-presidente da Câmara Federal a ser preso em menos de um ano.

Henrique-Eduardo-Alves-e-Eduardo-Cunha

Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que também foi presidente da Câmara dos Deputados, está preso desde outubro de 2016 e foi condenado a 15 anos de prisão. Os dois agora são investigados na Operação Manus, deflagrada nesta manhã. O nome da operação faz referência à frase em latim cuja ideia significa “uma mão lava a outra”. 

A PF desvendou um mistério que se arrastava desde o mês de março. Na ocasião, os investigações revelaram que Henrique Eduardo Alves havia recebido mais de R$ 2 milhões numa conta da Suíça. Ele chegou a afirmar que não sabia como todo esse dinheiro tinha parado ali. Mas os investigadores descobriram que o dinheiro tinha outro destinatário: Eduardo Cunha, seu colega no PMDB. A conclusão é de que o Alves emprestou a conta para que Cunha pudesse receber a propina proveniente de contratos em obras públicas.

Operação Manus também pediu a prisão de Eduardo Cunha, que está preso no Complexo Médico-Penal (CMP) em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, Paraná; por crime de corrupção passiva e ativa e lavagem de dinheiro na construção da Arena das Dunas, no Rio Grande do Norte. Segundo a PF, o sobrepreço chega ao valor de R$ 77 milhões, com favorecimento de duas grandes construtoras. 

Cunha responde a outras duas ações penais, uma em trâmite na 10ª Vara Criminal Federal de Brasília, relativa à Operação Sépsis, e outra encaminhada a Moro pelo Supremo Tribunal Federal, que investiga se ele recebeu propina de US$ 5 milhões em contratos de construção de navios-sonda da Petrobras. O ex-presidente da Câmara ainda é alvo em outros cinco inquéritos ligados à Lava Jato. 

Compondo o núcleo de confiança de Michel Temer, Henrique Eduardo Alves foi o terceiro ministro a deixar o governo após ser citado em delações. Antes dele foram demitidos Romero Jucá e Fabiano Silveira, devido ao vazamento de gravações em que discutiam as ações da Lava-Jato. Detentor de onze mandatos consecutivos de deputado federal, Alves já foi considerado um dos mais influentes e poderosos políticos da República, mas atualmente estava sem mandato e sem ocupar cargo público
 
Ainda nesta terça-feira, a PF cumpre 33 mandados, sendo cinco de prisão preventiva, seis de condução coercitiva e 22 de busca e apreensão no Rio Grande do Norte e Paraná. 
 
Imagem: Fabio Rodrigues/Agência-Brasil
 
jun
3

MPF pede a prisão de Lula e o pagamento de R$ 87 milhões em multas

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Denuncias     Tags , , ,

Lula

O Ministério Público Federal de Curitiba (MPF), responsável pelas investigações da Operação Lava Jato, pediu na noite dessa sexta-feira (02) ao juiz Sérgio Moro a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e de outros seis réus pelos crimes de corrupção passiva e ativa e lavagem de dinheiro. O MPF quer que todos cumpram as respectivas penas em regime fechado e que Moro determine a apreensão de R$ 87.624.971,26, correspondente ao valor das propinas que teriam sido pagas nos contratos da OAS com a Petrobras.

O pedido foi encaminhado à Justiça Federal de Curitiba e faz parte das alegações finais do processo que apura o suposto pagamento de propina por parte da OAS, envolvendo um apartamento triplex no Guarujá, litoral paulista e que, segundo o MPF, seria entregue a Lula, como contrapartida por contratos que a empreiteira fechou com a Petrobras.

Do total estabelecido pelo MPF, Lula teria recebido cerca de R$ 3 milhões, incluindo os valores do triplex e do contrato entre a OAS e a transportadora Granero, responsável pela guarda de parte do acervo que o ex-presidente recebeu ao deixar o cargo.

Também são réus no caso o ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro; os executivos da empresa Agenor Franklin Medeiros, Paulo Gordilho, Fábio Yonamine e Roberto Ferreira; e o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto. Todos são acusados de lavagem de dinheiro e corrupção ativa. A ex-primeira-dama Marisa Letícia teve o nome excluído da ação após a sua morte, em fevereiro passado.

O MPF informou ainda que Léo Pinheiro, Agenor Franklin e Paulo Gordilho devem ter as penas reduzidas pela metade, “considerando que em seus interrogatórios não apenas confessaram ter praticado os graves fatos criminosos (…), como também espontaneamente optaram por prestar esclarecimentos relevantes acerca da responsabilidade de coautores e partícipes nos crimes, e tendo em vista, ainda, que forneceram provas documentais  (…)que não eram de conhecimento das autoridades”.

Conforme os procuradores que fizeram o pedido, as defesas têm até 20 de junho para contestar os argumentos do MPF. Depois da apresentação das alegações de todos os envolvidos, o processo volta ao juiz Sérgio Moro, que vai definir se condena ou absolve os réus.

maio
18

Temer decidiu renunciar, diz Noblat

O jornalista Ricardo Noblat, colunista do jornal O Globo, publicou matéria anunciando a renúncia do presidente Michel Temer na tarde desta terça-feira (18). Segundo o jornalista “o presidente Michel Temer está pronto para anunciar sua renúncia ao cargo e deverá fazê-lo ainda hoje, no início da noite. Já conversou a Temer3respeito com alguns ministros de Estado e, pessoalmente, acompanha a redação do pronunciamento que informará o país a respeito”. 

Noblat ainda informa que “Rodrigo Maia (Dem-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, já foi avisado sobre a decisão de Temer. Ele o substituirá como previsto na Constituição, convocando o Congresso para que eleja o novo presidente que governará o país até o final de 2018”.

Na coluna, o jornalista conclui: ” a Secretaria de Comunicação Social da presidência da República suspendeu a veiculação de peças de propaganda do governo que estavam no ar ou que poderiam ir ao ar”.

Atolado nas denúncias publicadas ontem pelo jornal O Globo, o presidente Michel Temer está sendo pressionado tanto pela oposição, como por parte da base – que começa a abandonar o governo -, a renunciar. A delação dos irmãos Joesley e Wesley Batista, donos do frigorífico JBS, abalou o mundo político e desencadeou uma nova operação da Polícia Federal.

No entanto, em uma rápida declaração à imprensa, Michel Temer fez um pronunciamento na tarde desta quinta-feira (16), pouco depois das 16h, afirmando que não renunciará ao cargo. “Não renunciarei. Repito: não renunciarei. Exijo investigação plena e muito rápida”, assegurou ele. 

No início desta tarde, o ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou abertura de inquérito para investigar o presidente Michel Temer. O pedido de investigação foi feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR). Com a decisão de Fachin, Temer passa formalmente à condição de investigado na Operação Lava Jato.

O ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB/PE), é o primeiro ministro do Governo Michel Temer a deixar a equipe do peemedebista. A informação foi divulgada há pouco. A assessoria do ministro, no entanto, não confirma a informação. Também já anunciaram saída do governo os ministros Raul Jungmann (Defesa) e Roberto Freire (Cultura), ambos do PPS. Jungmann já teria, inclusive, comunicado aos militares que deve renunciar ao cargo. 

Outras baixas

Com uma bancada de 13 deputados, o Partido Trabalhista Nacional (PTN) foi o primeiro partido da base aliada a anunciar oficialmente, nesta quinta-feira, o rompimento com o governo Michel Temer. Em carta assinada pela presidente nacional do partido, deputada Renata Abreu (SP), e pelo líder da legenda na Câmara, deputado Alexandre Baldy (GO), a sigla afirma que assumirá posição de “independência” em relação ao governo.

maio
18

Presidente nacional do PSDB é afastado do Senado e pode ser preso

AuthorPostado por: Jornalismo Redação    CategoryEm: Brasil     Tags , ,

O Supremo Tribunal Federal (STF) determinou o afastamento de Aécio Neves do cargo do senador. O presidente nacional do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), é suspeito de ter pedido R$ 2 milhões de propina aos sócios do frigorífico JBS.

Com a perda do mandato, fontes da operação Lava-Jato dizem que o (ex)senador Aécio AecionevesPSDBNeves será preso. O STF deve analisar o pedido de prisão feito pela PGR durante a sessão de hoje.

Se julgar procedente, o tucano terá o mesmo destino da sua irmã, Andrea Neves. Ela foi presa por agentes da Polícia Federal e do Ministério Público Federal na manhã desta quinta-feira (18) no condomínio Retiro das Pedras, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG). O primo do senador e de Andrea, Frederico Pacheco de Medeiros, também foi preso na Grande BH.

O STF ainda autorizou a prisão do procurador da República, Angelo Goulart. Ele é o primeiro membro do Ministério Público Federal envolvido no escândalo da Lava Jato. Atuante na operação Greenfield, Goulart é suspeito de repassar informações sigilosas de investigações para o grupo ligado à empresa JBS.

Também perde temporariamente as funções de parlamentar o deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), que teria sido filmado recebendo R$ 500 mil de propina dos representantes do grupo. 

Na manhã desta quinta-feira, policiais federais cumprem mandados de busca e apreensão nos gabinetes de Aécio e de Zezé Perrela no Senado, e em uma das salas da Procuradoria Eleitoral, onde o procurador Goulart atuava. Os funcionários da Casa tiveram de aguardar na porta o final da operação.

maio
15

Ciro: “Quem deve, tem que pagar”

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

ciro_gomes-1O ex-governador do Ceará Ciro Gomes, pré-candidato às eleições presidenciais de 2018 pelo PDT, comentou nesse domingo (14) as perspectivas de que Antônio Palocci (PT) faça sua delação premiada, como anunciado recentemente. Não se diz ansioso: “Quero que se ferrem todos”.

“Todos. Quem deve, tem que pagar”, afirmou a jornalistas após discursar em Oxford no Brazil Forum, um evento voltado a estudantes brasileiros que moram no Reino Unido.

O ex-governador criticou, no entanto, a maneira com que a delação premiada tem sido utilizada nas investigações da Lava Jato. Disse, por exemplo, que as declarações dadas não têm valor sem provas – e, no meio-tempo, destrói reputações.

“Um dos maiores interessados em que a Lava Jato tenha êxito sou eu. Não estou em lista nenhuma”, disse Gomes. “Se os caras forem culpados, fico provavelmente sozinho na área. Mas isso não me permite violentar minha consciência jurídica”, concluiu.

Fonte: Folhapress

maio
10

Lula tem medo de que?

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

lula2

O ex-presidente Lula (PT) não admite, não aceita e não se conforma com a intimação da Justiça para depor. É medo? Se ele não deve, por que o temor? Se não é proprietário de triplex, nem de sítio e nem tem envolvimento com pedido e recebimento de propinas, por que a resistência em prestar um depoimento?

A verdade é que o Lula tem medo. E a única alegação do ex-presidente para não depor é que o juiz Sérgio Moro o persegue. Ontem (09) à noite o ex-presidente entrou com pedidos de habeas corpus junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) para não ter que depor nesta quarta-feira (10), em Curitiba, no Paraná.

Há também solicitação, para a gravação do seu depoimento (vai usar o material numa possível campanha à presidência e tentar aparecer como vítima?), que já foi indeferido.

Tem ainda um pedido de “impedimento” do juiz Sérgio Moro no processo. O Tribunal Regional Federal (TRF) negou e o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) também deverá negar.

A verdade é que Lula começa a colecionar derrotas, o que terminará colocando por terra o seu único argumento: o de que o juiz Moro o persegue. Pelo andar da carruagem, daqui a pouco o ex-presidente vai dizer, também, que toda a Justiça está contra ele.

O Lula deveria estar mais preocupado em prestar logo esse depoimento e provar que é inocente. Mas, se tem medo e briga para não depor, mostra que tem, sim, algum envolvimento com toda essa maracutaia.

Vai depor Lula. O Brasil quer conhecer a tua defesa.

abr
30

Juristas discutem a Lava Jato no Recife

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eventos     Tags , ,

Nas próximas terça (02), quarta (03) e quinta-feira (04) desta semana, acontecerá aqui no Recife, o “II Seminário de Direito Penal e Processo Penal em tempos de Lava Jato. Alguns criminalistas que defendem políticos acusados por ex-executivos da Odebrecht estarão na cidade participando do evento, que acontecerá no RioMar Trade Center, no Pina.

Devem comparecer os criminalistas Nabor Bulhões, advogado do empreiteiro Norberto Odebrecht; e Antonio Carlos de Almeida Castro, que defende o ex-ministro José Dirceu (PT) e o senador Édison Lobão (PMDB-MA), além do jurista Geraldo Prado.

Também deverão estar presentes Ademar Rigueira (advogado de Aldo Guedes, ex-sócio de Eduardo Campos e ex-presidente da Copergás) , Alberto Toron, Fábio Tofic, Yuri Félix, Talita Caribé e Alexandre Wunderlich.

O seminário é promovido pela União dos Advogados Criminalistas (Unacrim) e tem o apoio do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais, do Instituto de Defesa do Direito de Defesa e da Escola Superior de Advocacia de Pernambuco.

Carnaval 2019

Está chegando o Sábado de Carnaval2 de março de 2019
226 dias restantes.

Olinda Hoje no Facebook:

Previsão do Tempo:

Favoritos

Categorias do Blog:

Mapa do Site:

Arquivos do Blog:

Olinda Hoje