Navegando todos os artigos com a tag Lixão
jan
13

“Lixão” vira jardim no Amaro Branco

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags , ,

Uma intervenção da Prefeitura de Olinda transformou um local de descarte irregular de lixo, em frente da Escola Integral Sagrado Coração de Jesus, no bairro do Amaro Branco, em um jardim. O objetivo da ação é preservar o patrimônio público a partir do trabalho artístico. 

O projeto intitulado “Educação em Cores”, ocorre desde 2019, numa parceria entre a Secretaria Executiva de Gestão da Secretaria de Educação e a pasta de Serviços Públicos. O ponto de descarte irregular de lixo foi limpo e recebeu pneus coloridos, que funcionam como vasos para as mudas plantadas.

De acordo com a gestão municipal, desde o início dos serviços de conservação das unidades de ensino do município, mais de 40 escolas foram contempladas, das quais 12 delas ocorreram durante a pandemia do covid-19.

Foto: Divulgação

out
15

Fim de um ferro-velho irregular instalado há 30 anos na praia Del Chifre

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags , ,

Uma operação coordenada pela Secretaria de Meio Ambiente e Planejamento Urbano de Olinda, na Praia Punta de Del Chifre, recolheu 200 toneladas de lixo e outras 50 toneladas de material que seguiram para reciclagem. O grande volume estava acumulado em um ferro-velho que funcionava de forma irregular. Técnicos estiveram na manhã dessa segunda-feira (14) para concluir a limpeza, que começou na semana passada. 

O estabelecimento funcionava há 30 anos e já havia sido notificado, mas não realizou a retirada do material, que inclui vigas metálicas, carcaças de eletrodomésticos, madeira, restos de construção e outros materiais. Tudo foi levado para reciclagem por uma empresa privada que irá realizar o pagamento ao proprietário. 

“São toneladas que serão recicladas, mas aí também tem lixo acumulado há três décadas. Prejudica toda cidade e sobretudo os vizinhos”, pontuou o secretário executivo de Planejamento Ambiental, Wolney Queiroz, reforçando que o problema perpassou por várias gestões na cidade, sem solução até agora.

jan
14

Catadora encontra feto enrolado em lençol no lixão de Aguazinha

AuthorPostado por: Jornalismo Redação    CategoryEm: Olinda     Tags , , ,

Um feto foi encontrado na manhã desta segunda-feira (14) no lixão de Aguazinha, em Olinda. Uma catadora de lixo o encontrou enrolado em um lençol com sangue, por volta das 6h. Segundo a polícia, que chegou ao local às 9h30, o feto era um menino e estava no terceiro mês de gestação.

“Ainda é muito precoce para ter certeza, mas pode ter sido um aborto induzido ou não. O que a gente sabe é que estava em um local próximo ao lixão, bastante escuro. Estamos precocemente colocando a situação como prática de um homicídio. Mas isso vai ser investigado”, disse o perito criminal Fernando Benevides.

Segundo a polícia, o resto de placenta encontrado no local será encaminhado para o Instituto de Medicina Legal (IML). “A partir daí, será feita uma análise tanatoscópica, para que se possa definir exatamente o período gestacional, bem como as características, se tem alguma perfuração, hemorragia. Isso os especialistas podem detectar”, explicou Fernando.

Caso seja constatado que se trata de um crime – porque, segundo a polícia, também pode ter sido um aborto espontâneo – o caso seria de abandono e homicídio. Nesse caso, a pena pode aumentar por dolo, para até 15 anos.

Fonte/Foto: Folhape

jan
16

Sementeira será instalada numa área do antigo Lixão de Aguazinha

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags , ,

Uma área de 500 metros quadrados do antigo Lixão de Aguazinha, em Olinda, será transformada em uma sementeira. A Prefeitura de Olinda informou que o novo espaço irá abrigar mudas de plantas de diversas espécies, a exemplo de ipê, mangueira, cajueiro, algodão da praia, flamboyant, acácia e palmeira.

A ideia é, a partir das mudas, contribuir com a arborização da cidade ao plantar exemplares em ruas, praças e parques. Além de a sementeira contribuir com projetos paisagísticos, ajudará na reposição de áreas que sofreram desmatamento. 

O trabalho ambiental também poderá contar com a ajuda da população. Qualquer cidadão que disponha de plantas ou mudas e queira doá-las pode entrar em contato com as equipes da Secretaria de Serviços Públicos, por meio dos telefones: 81. 3355.1063 / 1064 / 1065.

dez
29

Rua no Sítio Histórico de Olinda é transformada em lixão

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags , , ,

Genival Hermínio Silva

De repente, os caminhões compactadores que fazem a coleta de lixo em Olinda sumiram das ruas da Cidade Alta:  Amparo, Guadalupe, Bonsucesso e Quatro Cantos.

Rapidamente, surgiram os pequenos lixões no Sítio Histórico, a exemplo do que tomou conta da Rua Waldemar Pimentel (foto), no Guadalupe.

A culpa é da Prefeitura de Olinda, porque não faz a coleta regularmente, mas também, porque não fiscaliza e não pune quem joga o lixo nas ruas.

Muito se critica um prefeito (pela falta de coleta de lixo), mas a grande parte da população é responsável pelos males que ela própria cria.

Transformar a entrada da Rua Waldemar Pimentel em um lixão é deplorável e a culpa é dos próprios moradores, que são maus exemplos de cidadania.

Cabe ao poder público puni-los. Há lei municipal para isso. Prefeito, faça a sua parte: puna!

ago
10

Catadores do Aterro de Aguazinha recebem curso de empreendedorismo

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags , ,

Após o fim das atividades no Lixão de Aguazinha, a Secretaria de Meio Ambiente de Olinda começou o processo de capacitação dos mais de 70 catadores cadastrados. O objetivo da inciativa é de inseri-los em grupos organizados, como a Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis (Coocencipe).

A equipe de Educação Ambiental da Prefeitura irá disponibilizar capacitação nas áreas de coleta seletiva, eco empreendedorismo ambiental e oficinas de agricultura familiar entre outros treinamentos. A ideia é levar serviços para os catadores e deixá-los amparados para se tornarem empreendedores.

O governo municipal vai oferecer também atendimento aos filhos dos catadores e cadastrá-los, posteriormente, em programas sociais, como o Bolsa Família. 

ago
9

Moradores e catadores protestam contra fechamento do Lixão de Aguazinha

AuthorPostado por: Jornalismo Redação    CategoryEm: Olinda     Tags , ,

Moradores e catadores de resíduos sólidos realizam um protesto em frente ao Lixão de Aguazinha, em Olinda. Um dia após a prefeitura do município anunciar o encerramento das atividades, eles atearam fogo em pneus e fecharam a Avenida II Perimetral Norte, que dá acesso ao aterro, que teve o funcionamento encerrado por determinação da Agência Pernambucana do Meio Ambiente (CPRH). Uma equipe do 1º Batalhão de Polícia Militar (BPM) já está no local.

folha

As atividades no local serão desativadas nesta quarta-feira (9) e as 400 toneladas de lixo geradas em Olinda diariamente serão transportadas ao aterro de Mirueira, em Paulista, antes de terem a Central de Tratamento de Resíduos (CTR) de Igarassu como destino final.

O Lixão de Aguazinha não possui licença para operar há dois anos, por causa de impasses financeiros. As multas aplicadas pela CPRH ao município já totalizam R$ 790 mil.

Fonte/Imagem: Folha PE

ago
8

Olinda anuncia desativação do Aterro Sanitário de Aguazinha

AuthorPostado por: Jornalismo Redação    CategoryEm: Olinda     Tags , ,

O Aterro Sanitário de Aguazinha, em Olinda, foi desativado. O fechamento foi uma determinação da Agência Estadual do Meio Ambiente (CPRH). O local foi cenário de uma série de denúncias sobre tratamento de resíduo irregular e incêndios, além de registrar famílias morando no lugar. O anúncio foi feito nesta terça-feira (08) durante uma reunião entre o prefeito, Professor Lupércio (Solidariedade) e secretários de governo.

O aterro funcionava na rodovia Segunda Perimetral Norte, no bairro de Aguazinha. Com cerca de 120 mil toneladas de lixo, o local não contava com tratamento dos resíduos. O solo foi contaminado pelo chorume, um líquido altamente tóxico, que caía no riacho, seguia pelo rio Beberibe e corria para o mar.

De acordo com a Prefeitura de Olinda, o município foi multado em R$ 800 mil pela CPRH, que também bloqueou o repasse de R$ 6 milhões por ano, referentes ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) Ambiental.

A administração municipal precisou fazer um contrato de emergência com uma empresa para levar o lixo para o Aterro Sanitário Norte, que fica em Igarassu.

“A CPRH nos informou qual era a alternativa. Nós submetemos isso ao Tribunal de Contas do Estado e houve a aprovação que emergencialmente nós podíamos dar essa solução para posteriormente encontrarmos a solução definitiva”, pontuou o secretário de Serviços Públicos, Evandro Avelar.

O local não possuía muros para controlar a entrada e saída de pessoas. Famílias residiam no aterro. Crianças brincavam ao lado da sujeira e do esgoto. Essas famílias vão receber assistência da Prefeitura.

“Esse é outro problema, grave e importante. O município está preocupado, destinou a Secretaria de Ação Social para cuidar disso e já promoveu o cadastramento de todos os catadores. Eles estão sendo reunidos nessa mesma semana para encontrar uma solução. São muitas crianças que devem ir para as escolas e muitas pessoas doentes. A Secretaria de Saúde vai cuidar disso. Vamos capacitá-los para que eles possam ter outra atividade, seja no município ou fora”, concluiu o secretário.

Fonte: Portal G1 

jan
23

AGUAZINHA VOLTOU A SER “LIXÃO”

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags ,

lixãoO Aterro Sanitário de Aguazinha, em Olinda, que desde 2011 vinha funcionando como estação de transbordo (o lixo da cidade chegava ao local e, em seguida, era transportado para o Centro de Tratamento de Resíduos de Igarassu – CTR), mudou a rotina.

Desde o final do ano passado, o lixo que chega ao Aterro fica no local. Diariamente, são cerca de 400 toneladas de lixo despejado ali.

O volume aumenta a cada dia e não há previsão de quando voltará a ser feito o transbordo para a CTR – empresa responsável pelo tratamento dos resíduos, em Igarassu.

O certo, de acordo com informações de funcionários municipais que trabalham em Aguazinha, é que a Prefeitura não está mais conseguindo manter o controle e acúmulo de tanto lixo. 

Dizem, também, que o Centro de Tratamento de Resíduos de Igarassu suspendeu o recebimento do lixo de Olinda por falta de pagamento.

Se a atual gestão está negociando uma saída para o problema, não se sabe. A única certeza, nesse momento, é que Aguazinha deixou de ser Aterro Sanitário e voltou a ser “lixão”.

jan
23

LIXÃO NO BAIRRO DOS PEIXINHOS

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags , ,

lix

Sem coleta regular na cidade, são muitos os lixões espalhados na periferia de Olinda. Um deles – e bastante conhecido, pelo tempo de existência – é o existente no final da Rua Caetés, no muro do Colégio Cândido Pessoa, no bairro dos Peixinhos.

Muito lixo e uma carcaça de um Fusca fazem parte do cenário. A Prefeitura de Olinda pensa em acabar com o lixão sem recorrer os detritos e entulhos. Instalou uma câmera no local para identificar aqueles que jogam lixo no local.

Fonte/Foto: JSC

jan
11

ÁGUAS COMPRIDAS ESTÁ SEM COLETA DE LIXO HÁ TRÊS MESES

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags , ,

ratis5

Edvan Ratis – Amigos do Bairro

Infelizmente é assim que se encontra a Rua Severina Acácia, no bairro de Águas Compridas, em Olinda. Há três meses, a população da área está sofrendo com essa situação por parte do surgimento desse lixão a céu aberto, por conta da falta de coleta de lixo pela Secretaria Municipal de Serviços Públicos.

Ninguém resiste ao mau cheiro e quem mais sofre são os moradores das proximidades, que têm as suas casas invadidas ratos, moscas, baratas e outros insetos, causando danos à saúde de todos.

A população pede à Prefeitura de Olinda que encaminhe, com urgência, um caminhão e equipe de garis para fazer a remoção do lixo e entulhos.

Choveu durante esses últimos dias e o logradouro ficou um caso sério, com o líquido fétido produzido pelo monte de lixo descendo rua abaixo, podendo contaminar as crianças que brincam descalças próximo ao local. Isso é caso de denúncia à Vigilância Sanitária.

dez
7

INCÊNDIO NO LIXÃO DE AGUAZINHA

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags ,

As chamas tomaram conta do lixão de Aguazinha, em Olinda, desde o final da tarde de domingo (06). Assustados, moradores deixaram as suas casas. O Corpo de Bombeiros esteve no local e acionou a empresa responsável que coloca barro no local utilizando uma retroescavadeira. É estimado que o fogo seja controlado em cerca de dois dias. Não há registro de vítimas.

O Aterro de Aguazinha, que desde 2011 funciona como estação de transbordo, ou seja, o lixo da cidade chega ao local e, em seguida é transportado para o Centro de Tratamento de Resíduos de Igarassu (CTR) – empresa privada que é responsável pelo tratamento dos resíduos. Moradores do entorno informam que esta é a terceira vez que o fato acontece este ano. “Minha família precisou sair de casa; estão todos na casa da minha mãe. Fica impossível até respirar”, afirmou o carroceiro Eliel da Silva, 54 anos.

As ruas estão tomadas por fumaça, impossibilitando até a visão de quem precisa sair na rua. A orientação da Prefeitura de Olinda é que, se possível, os moradores da região afastem-se do local até que a situação seja resolvida. Foi o caso também do profissional autônomo Lucimário dos Santos, 40 anos, que tem uma filha de 19 meses em casa e que sofre com asma. “Vizinhos meus chegaram a ser socorridos, para não chegar a acontecer isso com minha filha, já tirei todos de casa”, afirmou.

Fonte: FolhaPE

dez
1

DEPUTADO VISITA NESTA TERÇA-FEIRA O LIXÃO DE AGUAZINHA

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags ,

Sebastião da Paz – Jornalista

Com a proximidade do período eleitoral de 2016, os políticos começam a se movimentar para colocar os seus nomes em evidência e aparecer para o eleitorado. O deputado estadual Lupércio Carlos (Solidariedade), por exemplo, resolveu “vistoriar”, nesta terça-feira (1º) o aterro sanitário de Aguazinha, em Olinda.

Aliado de primeira hora do  prefeito Renildo Calheiros e do PCdoB (foi eleito vereador numa grande coligação que apoiou a reeleição do gestor e fez dobradinha na eleição estadual com a ex-prefeita Luciana Santos, candidata à Câmara Federal)), Lupércio Carlos pousa para as câmeras fotográficas e de TV a partir das às 11h.

Diz o parlamentar, que a visita é motivada pela suspensão da licença do aterro de Aguazinha pela CPRH e por denúncias de que o local voltou a ser utilizado como lixão. 

Segundo denúncias, o lixo de Olinda não está sendo tratado e ainda é despejado de forma indiscriminada sem respeitar as normas ambientais. A Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) autorizou a prefeitura a despejar lixo no aterro, com a condição de que os resíduos sejam transportados para o aterro licenciado de Igarassu em, no máximo, 24h. Mas o acordo não tem sido cumprido pela administração municipal. Desde o mês de junho deste ano, a área passou por duas vistorias do órgão ambiental, que constatou a situação irregular do local. Devido às irregularidades, a cidade já foi multada em R$ 150 mil.

nov
24

OLINDA ADERE À POLÍTICA DE RESÍDUOS SÓLIDOS

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags , ,

TAC_-_OLINDAMesmo mantendo em plena atividade o Lixão de Aguazinha, sem realizar com regularidade a coleta de lixo na cidade e sem promover a limpeza das praias, córregos e canais que cortam a cidade, o prefeito de Olinda, Renildo Calheiros (PCdoB), assinou, na última sexta-feira (20), na sede da prefeitura, o Termo de Compromisso Ambiental (TCA) perante o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), no qual se comprometeu a dar início à aplicação e indução, contínuas e ininterruptas, das políticas nacional e estadual de resíduos sólidos, inclusive pondo fim aos lixões e implantando aterros sanitários licenciados no município.

O objetivo do TCA – criado com base no projeto institucional Lixo, quem se lixa? – é, não apenas encerrar as atividades de lixões (como o de Aguazinha), mas também sensibilizar o cidadão e educá-lo para dar um tratamento adequado aos dejetos que produz e conscientizá-lo para lidar com mais eficiência e sustentabilidade à questão ambiental.

A Prefeitura de Olinda precisará adotar as medidas legais necessárias e de forma ininterrupta, para que a coleta e o destino dos seus rejeitos sigam normas e cronograma de acordo com as orientações das legislações. A gestão municipal deve ainda apostar em ações educativas na área ambiental, promovendo a capacitação de servidores públicos quanto a práticas ligadas aos resíduos sólidos, para que as medidas que sejam adotadas, efetivamente, levem as compras e contratação de serviços sustentáveis, assim como à minimização do uso de embalagens, sacolas plásticas e descartáveis.

É previsto também o fortalecimento e o estímulo a organizações de catadores, além de remediar passivos socioambientais relacionados ao tema. A implantação do Conselho Municipal de Meio Ambiente, a criação da Comissão Interna Permanente de Gestão Ambiental e a adesão ao programa governamental Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P) também fazem parte do compromisso.

Também firmaram o documento o procurador-geral de Justiça, Carlos Guerra de Holanda; o coordenador do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Defesa do Meio Ambiente, André Felipe de Menezes; a promotora de Justiça Belize Câmara; o secretário municipal de Serviços Públicos, Manoel Sátiro; e o procurador-geral do município, César Pereira. 

Fonte: MPPE

nov
19

OPOSIÇÃO VAI À JUSTIÇA CONTRA SITUAÇÃO DO LIXÃO DE AGUAZINHA

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags , ,

O bloco da Oposição na Câmara de Vereadores de Olinda protocolaram na tarde de ontem (18), no Ministério Público de Pernambuco (MPPE), uma ação contra a utilização do antigo aterro sanitário de Aguazinha como lixão, pela Prefeitura de Olinda.

lixDe acordo com a lei 12.305/2010, todos os municípios brasileiros teriam que encerrar as atividades dos lixões até o dia 02 de agosto de 2014, criando planos estabelecidos pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) e destinar o lixo para os aterros sanitários, áreas com tratamento adequado para o lixo, sem riscos de contaminação do meio ambiente.

Anteriormente, o vereador Arlindo Siqueira (PSL) já havia feito uma denúncia ao MPPE, em 2013, quando foi feita uma vistoria pelos técnicos do órgão e constatada a veracidade da denúncia em toda sua extensão. Também foi ouvido a termo, sobre as referidas denúncias, o promotor do Meio Ambiente, André Felipe. Na época, as denúncias também foram feitas ao procurador geral de Justiça de Pernambuco, Aguinaldo Fenelon.

Neste ano, duas reportagens foram transmitidas na Rede Globo ( NETV 1ª edição). A mais recente, foi veiculada na terça-feira (17), e a anterior, no dia 09 de outubro, que evidenciaram os seguintes problemas:

1 – Acumulo de lixo, com cerca de 10 mil toneladas represadas;
2 – Presença de catadores, incluindo crianças;
3 – Presença de animais comendo lixo;
4 – Utilização da área para depósito do lixo sem ter os devidos cuidados com o meio ambiente. Falta manta protetora de solo, tanque de recepção do chorume e isolamento da área;
5 – Não utilização de equipamentos de proteção individual (EPI’s) pelos funcionários que trabalham no local;
6 – Recepção de lixo hospitalar, como foi mostrado na reportagem do dia 17;
7 – Presença de moradias no entorno do lixão.

Todos esses problemas vêm perdurando há mais de dois anos, mostrando que a Prefeitura de Olinda não tem tido o cuidado que o caso requer, e nem apresenta aos órgãos de fiscalização propostas para corrigir tais problemas. “A administração municipal cobra dos seus munícipes a taxa de coleta de lixo, dinheiro este que deveria estar sendo utilizado para custear a correta coleta e destinação do lixo”, queixa-se o vereador Arlindo Siqueira.

ICMS Verde – Olinda recebe, mensalmente, do Governo Estadual, o repasse de aproximadamente R$ 400 mil do ICMS Verde, recursos destinados aos municípios que não possuem lixão em áreas urbanas e que destinam os seus resíduos sólidos para aterros sanitários devidamente autorizados pelos órgãos de controle ambientais.

Segundo a bancada de Oposição, a única resposta que o poder executivo de Olinda vem dando para justificar o ‘renascimento’ do lixão de Aguazinha, é que está em falta com o pagamento por vários meses à Central de Tratamento de Resíduos (CRT), localizada no município de Igarassu, local onde deveria ser depositado todo lixo do antigo aterro sanitário de Aguazinha.

Justificar que coloca o lixo em local não adequado e prejudicando o meio ambiente de forma irreversível por falta de pagamento de parcelas a CTR, não é aceitável, uma vez que a Prefeitura vem veiculando publicidade em rádios, televisão e veículos impressos, com pagamento feito a partir dos recurso municipal. De acordo com informações colhidas do Portal da Transparência do Município, no ano passado foi gasto cerca de R$ 3 milhões com propaganda, feita pela empresa 3 Pontos Produções.

 

nov
18

OLINDA PODE PERDER R$ 400 MIL DO ICMS AMBIENTAL

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags ,

LIX

As condições do Aterro Sanitário de Aguazinha, antigo lixão de Olinda, levaram a Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) a cancelar a licença sanitária do aterro e multar a prefeitura em R$ 150 mil.

A autorização para o aterro funcionar havia sido dada pela CPRH em março deste ano, porque o município se comprometeu a não permitir que os catadores entrassem na área e que o lixo só ficaria no aterro por até 24h. Depois disso, seria colocado em caminhões maiores e levado para um aterro sanitário particular, em Igarassu, onde o material seria tratado como manda a lei.

O diretor de Fontes Poluidoras da CPRH, Eduardo Elvino, afirma que a situação é irregular. “Ao suspendermos a entrada de resíduos lá, esses resíduos vão para outro local, criando outro lixão. A gente precisa construir uma solução para poder emitir novamente a licença”, pondera o diretor.

Elvino explicou que, por conta dessa situação, Olinda pode também ter perdas de receitas por isso, como o ICMS Ambiental, que gira em torno de R$ 400 mil por mês.

out
14

LIXO TOMA CONTA DE RUA NO BAIRRO DE ÁGUAS COMPRIDAS

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags ,

gf2

Apelo publicado no perfil de Edvan Ratis, no Facebook, e compartilhado pela vereadora olindense Graça Fonseca (PR), registra o “lixão” em que se transformou um terreno na Rua Severina Acácia, no bairro de Águas Compridas – Olinda. O internauta pede à Secretaria de Serviços Públicos de Olinda o envio de uma equipe de garis, máquina retroescavadeira e caminhão para fazer a remoção da montanha de entulhos.

Segundo Edvan, a sujeira é responsável pela proliferação de ratos, escorpiões, baratas e moscas na área. Os moradores também reclamam da fedentina. A vereadora Graça Fonseca informou já ter feito diversos requerimentos à Secretaria de Serviços Públicos solicitando a remoção do lixo, mas até agora o órgão não tomou as providências necessárias.

out
11

A VOLTA DO LIXÃO DE AGUAZINHA

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags ,

lixEnquanto outros municípios brasileiros tentam acabar com os seus lixões a fim de se adequar Lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), o município de Olinda vem a contramão, voltando a despejar todo o seu lixo a céu aberto. A Folha de Pernambuco esteve no Aterro de Aguazinha e constatou que o espaço, que dispõe de uma meta total de 17 hectares, tem retornado cada vez mais à condição de lixão.

Enquanto isso, assinatura de um Termo de Compromisso Ambiental (TCA) está em fase de negociação com o Ministério Público de Pernambuco (MPPE). No documento consta o cronograma das medidas a serem adotadas pela prefeitura para adequação a lei, o qual ainda não foi assinado após as secretarias de Serviços Públicos e Assuntos Jurídicos da prefeitura solicitarem alterações no termo, entre elas, a ampliação do prazo da assinatura. A contraproposta está sob análise do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça (Caop) do Ministério.

“A situação é alarmante, preocupante. O aterro deveria funcionar como unidade de transbordo, onde todo o lixo coletado deveria ser redirecionado por carretas ao Centro de Tratamento de Resíduos de Igarassu. Pelo visto, não está correndo. Diante desse quadro, vou ao Caop cobrar agilidade na vistoria da contraproposta da prefeitura. De novembro não passa”, afirmou a promotora de Olinda, Belize Câmara.

Os registros feitos pela Folha foram enviados à promotora para análise. A situação por lá se torna ainda pior por não existir controle da entrada das pessoas, mesmo contendo placas e proibição. A Folha, inclusive, registrou a presença de crianças empinando pipa no local. Os muros de concreto que separavam a comunidade do lixão foram derrubados, deixando o tráfego livre para quem quiser entrar. Sem nenhuma proteção, o lixo é jogado no limite entre o terreno do aterro e a rua.

Por lá, muitos catadores de lixo trabalham. Seu Valdemir Santos, de 59 anos, é um deles. Ele contou que três vezes por semana adentra o aterro para coletar entulhos e, assegurou, não há nenhuma restrição por parte de nenhum vigilante responsável por fiscalizar a área. “Dependo do lixo para ter uma renda. Se na Associação de Catadores não há espaço para todo mundo, o jeito é a gente se virar como pode. Às vezes faço alguns bicos, mas não são suficientes para me sustentar”, justificou.

O autônomo Sandorval da Silva, 43 anos, foi um dos catadores que integrou a associação. “Mas, não compensa. O trabalho não é valorizado. Muitos catadores deixaram a associação e voltaram ao lixão porque o dinheiro é uma mixaria”, denunciou. Segundo ele, um catador na associação chega a tirar até R$ 300 por mês, enquanto que, no lixão, é possível tirar R$ 150 por dia. “Além disso, não se assina carteira e nem dão roupas de proteção”, acrescentou Silva.

Fonte: Folhape

out
11

PREFEITURA NÃO PAGA EMPRESA E DIZ QUE CULPA É DA CRISE

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Olinda     Tags ,

A Prefeitura de Olinda justificou a crise financeira como um dos motivos para suspender temporariamente o transporte dos entulhos do aterro sanitário de Aguazinha para Igarassu.

“Olinda também tem enfrentado dificuldades de ordem financeira provenientes da queda de receitas em virtude da crise econômica que assola o país. Isso tem dificultado o pagamento da empresa responsável pela recepção do lixo recolhido ao Centro de Tratamento de Resíduos Sólidos de Igarassu. Devemos regularizar esse pagamento até o início da próxima semana”, assegurou a Prefeitura, através de nota.

Sobre a invasão do espaço do Aterro Sanitário de Aguazinha, a Secretaria de Serviços Públicos de Olinda informou que já “pediu reforço à Guarda Municipal de Olinda e vai apurar as possíveis irregularidades que estão ocorrendo no local”.

Fonte: Folhape

Carnaval 2020

Está chegando o Sábado de Carnaval22 de fevereiro de 2020
O grande dia está aqui.

Olinda Hoje no Facebook:

Previsão do Tempo:

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 613 outros assinantes

Categorias do Blog:

Mapa do Site:

Arquivos do Blog:

Olinda Hoje

%d blogueiros gostam disto: