Navegando todos os artigos com a tag Política
jul
15

Negociação entre PSB e PDT inclui apoio a Ciro e futura fusão

As articulações entre o PSB de Paulo Câmara e o PDT de Ciro Gomes para uma aliança na disputa presidencial deste ano incluem a discussão sobre uma eventual fusão entre as duas siglas em 2019.

“Tem conversas sobre isso com o PSB. Muitos têm esse desejo”, disse ao jornal O Estado de S. Paulo o presidente do PDT, Carlos Lupi.

A ideia surgiu como uma forma de fortalecer a base parlamentar de Ciro Gomes em caso de vitória, mas também pode ser aplicada em caso de derrota.

Fonte: LeiaJá

jul
12

Vereadores aprovam reajuste de 6,81% para servidores de Camaragibe

Ontem (11), a Câmara de Vereadores de Camaragibe aprovou um reajuste de 6,81% para os servidores públicos municipais, proposto pelo prefeito Demóstenes Meira(PTB).

Do reajuste dos servidores, 2,95% incidirá sobre os vencimentos básicos de dezembro de 2017, retroagindo os seus efeitos ao dia 1º de março deste ano. Já 3,26% serão incluídos no contracheque a partir de setembro.

Os vereadores também aprovaram o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos para a Guarda Municipal. Os dois projetos seguem hoje (12) para sanção do prefeito.

jul
6

A partir deste sábado políticos não poderão mais ir a inaugurações

A três meses do primeiro turno das eleições, agentes públicos terão de cumprir a partir deste sábado (07) uma série de restrições até o fim da eleição, conforme cronograma da Justiça Eleitoral.

Segundo a legislação, os candidatos ficam proibidos, por exemplo, de comparecer a inaugurações de obras públicas, bem como contratar para esses eventos artistas pagos com recursos públicos. Também fica proibida a propaganda institucional de atos ou serviços dos órgãos públicos.

Além disso, eles não poderão, por exemplo, nomear, contratar ou demitir servidores sem justa causa. Até a posse dos eleitos, também não poderão transferi-los ou exonerá-los, salvo em determinadas situações, como em relação a comissionados.

Pronunciamentos na TV fora do horário eleitoral ficam proibidos. A União só poderá transferir recursos com cronograma prefixado ou por emergência.

Fonte: Folhapress

jul
4

Armando articula manifesto por renovação dos incentivos às montadoras do Nordeste

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Economia     Tags ,

O senador Armando Monteiro (PTB-PE) foi um dos coordenadores do manifesto das bancadas federais do Nordeste a ser encaminhado ao presidente da República reivindicando a prorrogação, até 2025, dos incentivos fiscais à indústria automobilística instalada na região, que vencem em 2020. A medida beneficiará diretamente a Fiat Chrysler em Goiana e a Baterias Moura, em Belo Jardim.

Os deputados federais e senadores nordestinos destacam, no manifesto, que “a prorrogação viabilizará um novo ciclo de investimentos que irá consolidar a cadeia produtiva na região, gerando mais empregos, ampliando o número de fornecedores e a capacidade produtiva do setor”.

Segundo o manifesto, “tal política foi fundamental para descentralizar os investimentos da produção automotiva, sendo capaz de gerar profundas mudanças na realidade socioeconômica da região e dos municípios, que eram anteriormente vítimas da estagnação econômica e da ausência de oportunidades para a população”.

Em visita às instalações da Fiat em Goiana, em março último, o presidente Michel Temer anunciou a medida, mas a oposição do ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, e do secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, vem impedindo que ela se concretize.

Mobilização– Armando Monteiro, os senadores Fernando Bezerra Coelho (PMDB-PE) e Tasso Jereissati (PSDB-CE) e os deputados Mendonça Filho (DEM-PE), Fernando Filho (DEM-PE) e José Carlos Aleluia (DEM-BA), reunidos ontem (03), decidiram mobilizar as bancadas do Nordeste no Senado e na Câmara dos Deputados contra a resistência de Guardia e Rachid.  Já iniciaram a coleta das assinaturas do manifesto ao presidente da República, que até o meio-dia de hoje (04) tinha 72 parlamentares.

jun
25

Irmãos Ferreira anunciam apoio à pré-candidatura de Armando Monteiro

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eleições 2018     Tags , ,

O anúncio oficial do grupo político da família Ferreira, de apoio à pré-candidatura do senador Armando Monteiro Neto (PTB) ao Governo de Pernambuco, será feito na manhã desta terça-feira (26).

Os Ferreira (Anderson, prefeito de Jaboatão dos Guararapes; André, deputado estadual e presidente estadual do PSC; e o patriarca, ex-deputado estadual Manoel Ferreira) deixaram, na semana passada, de compor o grupo de apoio à reeleição do governador Paulo Câmara (PSB).

O ato político para formalizar a chegada ao palanque da Oposição acontecerá às 9h de amanhã (26), no The Garden Open Mall, em Piedade (Jaboatão dos Guararapes). Mas os Ferreira chegam com uma demanda: a indicação do deputado estadual André Ferreira para uma das vagas ao Senado, da coligação Pernambuco Quer Mudar. A outra vaga já está ocupada por Mendonça Filho (DEM).

jun
22

Candidatura de Armando Monteiro ganha apoio da família Ferreira

Chegou ao fim a aliança da família Ferreira (deputado estadual André Ferreira, o prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira e o ex-deputado Manoel Ferreira) com o governo Paulo Câmara (PSB).

O rompimento ocorreu nessa quinta-feira (21), com uma nota divulgada à imprensa pelos Ferreira, informando que eles não concordam com a prática do poder pelo poder e nem aceitam “um governo que seja refém da barganha“.

Na nota, nada amistosa, eles dizem que “falta diálogo, capacidade administrativa e, principalmente, liderança” ao Governo Paulo Câmara. Em outro trecho afirmam: “Não concordamos com a prática do poder pelo poder” e com um governo que “se submete a trocar cargos por apoio eleitoral e ainda interfere na vida orgânica de alguns partidos”. 

Agora, o caminho natural dos Ferreira deve ser em direção ao palanque da Oposição, comandado por Armando Monteiro (PTB) e que já tem como aliados o DEM, PSDB, PPS e Podemos. A coligação “Pernambuco Quer Mudar” já definiu Armando Monteiro como pré-candidato ao Governo do Estado e o deputado federal Mendonça Filho (DEM), pré-candidato a uma das vagas ao Senado.

Há, ainda, uma vaga ao Senado “disponível” e o deputado André Ferreira pode se credenciar como pré-candidato. A intenção do parlamentar e dirigente estadual do PSC é concorrer a uma vaga à Câmara Alta e já vem anunciando esse interesse desde o final do ano passado. A negativa do PSB a essa pretensão pode ter sido o motivo que levou a debandada dos Ferreira do palanque do governador. Confira a nota na íntegra:

“Há alguns meses o nosso grupo vem dialogando com vários segmentos da sociedade sobre a necessidade do Estado de Pernambuco iniciar um novo ciclo de mudança. A este Governo falta diálogo, capacidade administrativa e, principalmente, liderança.

Hoje a sociedade cobra coragem nas oposições políticas. Nós temos essa coragem e fazemos política por convicção. Não concordamos com a prática do poder pelo poder e nem aceitamos um governo de que seja refém da barganha. Que se submete a trocar cargos por apoio eleitoral e ainda interfere na vida orgânica de alguns partidos. 

O nosso grupo faz parte de uma geração de políticos que tem compromisso com a verdadeira mudança. Sabemos o exato tamanho que temos e como podemos contribuir para um novo Pernambuco. 

Queremos um Estado em que as pessoas se sintam protegidas e amparadas. Por vezes fomos a público alertar sobre os problemas que vêm se acumulando e que este governo não demonstra mais qualquer capacidade para resolvê-los.

Nos últimos três anos e meio procuramos colaborar da melhor forma possível com o Governador do Estado, mas, diante do que foi exposto, o nosso grupo político optou por tomar um novo caminho nas eleições deste ano em Pernambuco.

 André Ferreira Deputado estadual e presidente regional PSC

Anderson Ferreira Prefeito de Jaboatão dos Guararapes

jun
17

Maior sindicato rural do Brasil declara apoio a Armando Monteiro

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eleições 2018     Tags , ,

O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Petrolina, o maior do Brasil com mais de 30 mil filiados, declarou apoio na última sexta-feira (15) aos pré-candidatos da Oposição a governador e ao Senado, Armando Monteiro (PTB) e Mendonça Filho (DEM), respectivamente.

O apoio foi formalizado no auditório do próprio Sindicato. “É com muita satisfação que recebemos o apoio dessas lideranças. É uma demonstração de que o nosso projeto mobiliza os diversos segmentos da sociedade pernambucana, sem preconceitos; para que nós possamos nos juntar e construir um novo caminho para o Estado”, declarou Armando Monteiro.

Ainda, segundo Armando, este “é um Sindicato expressivo não só por ter uma base associativa muito grande, mas também porque é atuante e cumpre o seu papel como instrumento de reivindicação de toda a classe trabalhadora assalariada de Petrolina e do Sertão do São Francisco”.

Para a presidente Lucilene Lira, “as lideranças do Sindicato tomaram a decisão de apoiar o senador Armando Monteiro porque a gente entende que, pela seriedade dele, possa dar de fato uma melhor assistência ao trabalhador assalariado rural”.

jun
14

Nem PP, nem PSC. Vagas para o Senado na chapa de Paulo Câmara serão do MDB e do PT

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eleições 2018     Tags , ,

O segmento evangélico é bem cobiçado em Pernambuco – representa uma fatia de 30% do eleitorado – mas por ser um segmento representado por diversos grupos políticos, as articulações em períodos eleitorais se transformam num verdadeiro quebra-cabeça. Beneficiar um grupo, deixando outros longe dos holofotes, é o mesmo que mexer em um vespeiro. E esse é um dos problemas que trava as negociações com postulantes do setor evangélico a uma das vagas para o Senado na chapa do governador Paulo Câmara (PSB).

Nem André Ferreira (PSC) nem qualquer representante do PP, os dois grupos que estão no jogo, representam os evangélicos na sua totalidade. Vista assim, a questão está quase resolvida. Até porque, acima do poder eleitoral dos evangélicos, paira a possível aliança entre o PSB e o PT. Fechado esse acordo, o senador Humberto Costa (PT) disputará uma das vagas do Senado na chapa de Paulo, enquanto a outra será do deputado federal Jarbas Vasconcelos (MDB).

Bem, o PSC e o PP podem até ir para a Oposição, mas levarão igualmente a divisão do segmento. Agora, como os evangélicos pernambucanos estão decididos a terem um representante no Senado, alguém terá que ceder. Assim, o segmento poderá concentrar suas orações em um só candidato.

Fonte: Marisa Gibson, na coluna Diário Político – DP

jun
8

Jaques Wagner deve ser o “plano B” do PT para disputar a Presidência

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eleições 2018     Tags , ,

Preso na superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem citado, em conversas, dois nomes do Sudeste que gostaria de ver na vaga de vice de uma eventual chapa do PT à Presidência. As opções são indicativos de que o ex-ministro Jaques Wagner (BA) é o preferido de Lula para substituí-lo caso seja mesmo impedido de concorrer.

Como Wagner (foto: A Tarde) tem musculatura no Nordeste, um vice da região Sudeste buscaria expandir esse eleitorado. Os nomes citados são os do ex-prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSB); e o do empresário Josué Gomes (PR). 

Josué é filho do (ex)vice-presidente no governo de Lula, José de Alencar, morto em 2011. Por isso, sua indicação teria forte simbolismo. A escolha de Lacerda poderia atrair o PSB para uma aliança com o PT. Essa configuração depende, no entanto, de uma articulação com o PSB e o PR. Além desses dois partidos, o PT inicia negociações com o PROS.

Se essa costura não prosperar, o PT poderá convidar Manuela D’Avila (PCdoB) para compor a chapa, também na vice de Jaques Wagner. Sonhando com uma aliança com o PSB para a corrida presidencial, o PT chegou a cogitar o nome de Renata Campos, viúva do ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, para a vice.

Nesse caso, o titular da chapa seria o ex-prefeito Fernando Haddad. O PT deverá reafirmar, neste sábado (09), durante reunião do Diretório Nacional, a intenção de se aliar ao PSB, nem que seja necessário abrir mão de candidaturas aos governos estaduais.

Em Pernambuco, a ideia é convencer Marília Arraes a desistir da candidatura em favor da reeleição do governador Paulo Câmara (PSB). Embora essa aliança seja considerada remota, petistas mais otimistas acreditam que o bom desempenho do PT nas pesquisas possa atrair o PSB, cuja direção está dividida. E pode até liberar seus candidatos nos Estados.

Fonte: Folhapress

jun
4

PPS vai mudar de nome

Assim como o DEM, que virou Democratas; o PTN, que agora é Podemos; o PTdoB, que passou a ser Avante; e o PEN, que virou Patriotas, o Partido Popular Socialista (PPS) também vai mudar de nome. Será “rebatizado” como “Convergência” ou “Em Movimento”. Mas isso só ocorrerá depois das eleições de outubro.

O novo nome do PPS (que já foi uma legenda de centro-esquerda, mas hoje está aliado à direita e às práticas fisiológicas) só será definido em agosto. Os dirigentes só irão solicitar o registro junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em outubro, depois de passadas as eleições.

De acordo com informações no blog do Lauro Jardim, o partido decidiu participar dessas eleições com o antigo nome por achar que os eleitores não terão tempo de assimilar a mudança.

O presidente do partido, Roberto Freire, disse que o novo nome ainda não está fechado e que a executiva nacional do PPS ainda aguarda outras sugestões de nomes para serem analisados e discutidos.

jun
3

Campanha defende voto para as mulheres na eleição deste ano

O grupo PartidA criou uma campanha em Pernambuco para defender e incentivar o voto nas mulheres, nas eleições deste ano.

A campanha prega a necessidade de ampliação da participação das mulheres na política, como candidatas aos cargos públicos, e incentiva que no pleito de outubro de 2018 o voto tenha o foco feminista

Com a hashtag #MeuVotoSeráFeminista, a iniciativa vem ganhando as redes sociais e as ruas, com a colagem de lambe-lambe em cidades como Olinda e Recife.

Nas plataformas digitais, a adesão a campanha tem sido caracterizada por fotos – a partir de um modelo em que mulheres, lado a lado, são fotografadas de mãos dadas. 

jun
1

Cristovam defende apoio ao “Centro”

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eleições 2018     Tags , ,

Preocupado com o permanente clima de instabilidade, o senador Cristovam Buarque (PPS) acredita que o próximo presidente eleito terá dificuldades para garantir a governabilidade. Para ele, a sociedade passou a reivindicar o protagonismo nas decisões sobre os rumos do País, mas não se dá conta dos limites financeiros que comprometem os investimentos governamentais. Neste sentido, ele alerta para a necessidade de união entre os partidos de “centro”, para que o governo não caia nas mãos de “extremistas” e agrave ainda mais esta situação.

Em entrevista ao Blog da Folha, nesta sexta-feira (01), Buarque destacou que, em breve, alguns pré-candidatos terão que abrir mão da postulação, para favorecer a eleição de alguém do centro.

“Gostaria de estar nesse debate, pois hoje teria o que dizer. Mas o PPS não quis, especialmente meu amigo Roberto Freire. Acho que ele achou que mais um candidato era dividir e fortaleceria os extremos. No fim não adiantou nada porque os que eles chamam de centro está dividido. Não sei quem vai tirar sua candidatura para apoiar o outro. Espero que alguns, como Marina Silva, Álvaro Dias ou Alckmin digam, daqui a alguns dias, que estão se suicidando e estamos levando o segundo turno para Bolsonaro e mais algum dos extremistas”, afirmou.

Questionado sobre a figura de Ciro Gomes (PDT) que se apresenta como representante do centro-esquerda, o senador disse que ele “não concorda com nada que defendo”. “Acho que Ciro só concorda com ele próprio e somente às vezes”, frisou. 

Fonte: Blog da Folha

maio
29

Armando culpa governo pela greve e diz que “crise estava contratada”

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Denuncias     Tags , ,

O senador Armando Monteiro (PTB-PE) culpou, nesta terça-feira (29), o governo pela alta de preços do óleo diesel que provocou a crise da greve dos caminhoneiros. Em debate com o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, durante audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), o petebista disse que o governo adotou uma política de choque de preços dos combustíveis num momento absolutamente inoportuno, de desaceleração da economia.

“Esta crise já estava contratada. Para resolver o problema do endividamento da Petrobras, que era dramático, o governo endereçou à sociedade uma política de preços maluca do reajuste dos combustíveis, absolutamente imprevisível, numa conjuntura econômica de baixa demanda. Houve imprudência e insensibilidade, que desaguaram na crise aguda pela qual está passando o país inteiro”, declarou.

Segundo Armando, colaborou para a prática de reajustes constantes dos combustíveis num cenário de baixa atividade econômica o fato de o Governo Federal e dos governos estaduais serem “sócios” dessas altas de preços, pela elevada tributação dos combustíveis.

O petebista informou que, no primeiro quadrimestre do ano, a receita da União com os impostos sobre derivados de petróleo cresceu 57,8% em relação a igual período de 2017, atingindo cerca de R$ 22 bilhões. “O governo federal e os governos estaduais estavam numa situação confortável e espetaram a conta na sociedade”, assinalou.

maio
29

Ministro da Fazenda recua e diz que governo não criará impostos

AuthorPostado por: Jornalismo Redação    CategoryEm: Brasil     Tags , ,

Após duras palavras do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, contra o aumento de impostos, o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, recuou e anunciou que não aumentará impostos para compensar a redução no óleo diesel.

“Repito que ninguém está propondo alta de tributos, mas redução de benefício fiscal”, afirmou o ministro Fazenda.  

Ontem (28), em coletiva de imprensa, Eduardo Guardia havia falado que o governo teria que elevar tributos. Hoje pela manhã, após Rodrigo Maia chamá-lo de irresponsável, o ministro mudou o discurso.

maio
29

Rodrigo Maia chama ministro da Fazenda de irresponsável

AuthorPostado por: Jornalismo Redação    CategoryEm: Denuncias     Tags , ,

O clima esquentou entre o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM), e o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia. Ao chegar pela manhã à Câmara, Maia disparou contra o ministro, que defendeu, ontem (28), o aumento de impostos para compensar a redução do óleo diesel.

“Não vai ter [aumento de imposto], porque isso é uma democracia e ele [ministro da Fazenda] não manda no Congresso Nacional. Aliás, o que ele fez ontem (28) foi muito irresponsável. No momento de crise, ele vem falar em aumento de imposto. Ele sabe muito bem que dentro do Congresso não haverá aumento de imposto. Ele está colocando “gasolina”, que o governo tem, na sociedade brasileira. Ele deveria ter proposto algumas saídas”, disparou Maia.

maio
26

Fernando Collor promove a sua candidatura à Presidência da República

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eleições 2018     Tags , ,

O ex-presidente Fernando Collor de Melo (PTC) está usando a TV Senado para promover a sua nova candidatura ao Palácio do Planalto.

Numa entrevista com perguntas amenas, ele fez propaganda do próprio governo e disse ter o “desejo de voltar”.

“Posso dizer, sem falsa modéstia, que o Brasil mudou radicalmente desde o momento em que eu assumi”, elogiou-se.

À vontade, Collor aproveitou o palanque para reclamar do processo de impeachment que o afastou do poder, em 1992.

“O governo que eu iniciei, para cumprir cinco anos de mandato, me foi tomado”, protestou.

O ex-presidente ficou tão satisfeito com a entrevista que decidiu divulgá-la na íntegra nas redes sociais.

Fonte: Bernardo Mello Franco – O Globo

maio
22

Governo Paulo Câmara gastou R$ 66 milhões com publicidade em 2017

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Denuncias     Tags , ,

Na tentativa de mostrar à população uma realidade que não condiz com a situação em que vive Pernambuco, o Governo Paulo Câmara aumentou em três anos o valor destinado à publicidade. Os gastos saíram de R$ 49 milhões em 2015, para R$ 66 milhões em 2017, o que representa um aumento de 35,80%.

Segundo o líder da Oposição, Silvio Costa Filho (PRB), os gastos excessivos com publicidade por parte do Governo do Estado, só comprovam a falta de compromisso com os pernambucanos e uma realidade diferente da que vivem os pernambucanos. “Enquanto faltam insumos básicos nos hospitais, dinheiro para os programas e investimentos em áreas sociais, o governo prefere gastar milhões em publicidade para vender uma imagem de que está tudo bem”, criticou.

Outro dado que chama atenção é que existe um elevado valor pago até o fim do mês de abril deste ano (R$ 18.594.144,55), sendo a maioria (R$ 16.533.726,49), referentes a restos a pagar do exercício de 2017. Além disso, na peça orçamentária anual de 2018, o governo deve destinar mais R$ 65.934.000,00 ou seja, deixa de destinar recursos para áreas importantes, como a educação, saúde e segurança pública e utiliza em publicidade.

“Na peça publicitária, o governo afirma que contratou novos policiais e reforçou o número de viaturas, mas esconde a quantidade de profissionais que saíram da corporação. Além disso, afirma ter o maior parque eólico do Brasil, quando na verdade é o Estado do Rio Grande do Norte o maior produtor de energia eólica do País, sendo Pernambuco o sexto lugar. A população não pode ser mais enganada com tantas inverdades”, pontua Silvio.

maio
19

Paulo Câmara gasta quase R$180 mil com salmão, sirigado e camarão

Em tempos que as obras em Pernambuco estão sendo repactuadas por falta ou contenção de verbas, o gabinete do governador Paulo Câmara (PSB) publicou no Diário Oficial, da última terça-feira (15), o pagamento de uma licitação para a compra de peixes e crustáceos no valor de R$ 179.628,59. A empresa que venceu a licitação é a Maxmillian Simões Comércio e Serviços Ltda., localizada no bairro do Janga, em Paulista.

De acordo com os dados disponibilizados no Portal de Transparência, o recebimento das propostas para a licitação aconteceu a partir do dia 04 de abril e a homologação e conclusão do processo, um mês depois.  O valor inicial fixado na proposta, como previsão de pagamento, era ainda maior: R$ 194,8 mil. 

No contrato, a Maxmillian Simões vai fornecer peixes do tipo salmão, beijupirá e agulha, além de crustáceos como camarão, siri e polvo. Na planilha de distribuição de gastos, apenas para o camarão foram direcionados mais de R$ 19 mil, o salmão custou R$ 14,8 mil; o sirigado R$ 57,2 mil e o beijupirá R$ 5,3 mil. 

A Maxmillian, de acordo com dados cadastrais, é uma empresa de apenas quatro anos, foi criada em junho de 2014, e, apesar da pouca idade, já firmou contratos com o Governo Federal para o fornecimento, por exemplo, de produtos para o Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), no Recife. 

Arranjos de flores – Esta não é a primeira vez que os gastos do gabinete de Paulo chamam a atenção. Na semana passada, foi anunciada uma licitação para o fornecimento de coroas de flores e arranjos no valor de R$ 78.145,00

Fonte: Leiajá

maio
18

PSB: um “monstrengo” de três cabeças

Depois que o ex-ministro Joaquim Barbosa recusou o convite do PSB para ser candidato a presidente da República, não há mais perspectiva de o partido marchar unido na próxima eleição presidencial. O próprio presidente Carlos Siqueira declarou que sem o ex-ministro do STF na disputa resta ao PSB duas alternativas: celebrar uma aliança com outro partido de centro-esquerda que tenha candidato ao Planalto, ou liberar seus diretórios nos Estados para apoiar quem bem entender.

Ele descarta por completo o lançamento de outro candidato como gostariam o deputado pernambucano Felipe Carreras e o ex-deputado gaúcho Beto Albuquerque, até por falta de alternativas. Sua inclinação é por uma aliança com o PDT do ex-ministro Ciro Gomes, que já pertenceu ao partido, posição que também é defendida pelos deputados Danilo Cabral e Tadeu Alencar, os dois principais órfãos do fracassado projeto “joaquinzista”.

Siqueira estreitou suas relações nos últimos dois anos com o novo governador de São Paulo, Márcio França, filiado ao PSB mas muito próximo dos tucanos, porém descarta apoio ao pré-candidato Geraldo Alckmin (PSDB), que não consegue empolgar os brasileiros nem crescer nas pesquisas de opinião. Por isso haverá vários “Pê-ésse-bês” nas próximas eleições: um pedaço com Alckmin (PSDB), um pedaço com Ciro (PDT) e um terceiro com o candidato que o PT indicar.

Fonte: Inaldo Sampaio

maio
17

PSB e setores do PT trabalham para derrubar candidatura de Marília Arraes

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eleições 2018     Tags , ,

Roberto Almeida

Humberto Costa (PT), senador eleito graças ao prestígio do ex-governador Eduardo Campos, em 2010, gosta de criticar os que ele chama de golpistas, por terem afastado Dilma Rousseff (PT) da presidência, em 2016.

Mas o próprio Humberto está sendo acusado por amplos setores do PT, principalmente na base, de trabalhar para dar um golpe na vereadora Marília Arraes, não permitir a sua candidatura ao Governo do Estado e fazer uma aliança com o PSB de Paulo Câmara.

Dirigentes da cúpula do PT, da qual o senador faz parte, chegam ao ponto de plantar notícias negativas nos blogs e jornais da capital em relação ao projeto da candidatura de Marília.

Ontem mesmo, jornalistas do Recife chegaram a noticiar que a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffman, teve um encontro com o dirigente Carlos Siqueira, do PSB, para fechar o acordo com os socialistas e “rifar” a candidatura da neta de Arraes.

A senadora negou as especulações da imprensa e outro dirigente petista, Ruy Falcão, que já foi presidente do PT nacional, demonstrou total apoio a pré-candidatura da vereadora recifense. “No que depender de mim junto à direção nacional, ela será candidata e a futura governadora de Pernambuco”, disse Ruy num comunicado aos jornalistas.

O governador Paulo Câmara conta com o apoio de Humberto para tirar Marília da disputa, o que facilitaria muito a sua reeleição. Neste caso seu principal adversário seria o senador Armando Monteiro (PTB), que está junto dos deputados Mendonça Filho (DEM) e Bruno Araújo (PSDB), que foram ministros de Temer.

Quando começou a desavença no PT, sobre candidatura própria ou aliança com o PSB, Humberto Costa agia silenciosamente, mas depois assumiu publicamente sua posição, chegando a discursar na tribuna do Senado para defender a aliança com os socialistas de Pernambuco.

Em 2016, quando João Paulo foi derrotado por Geraldo Júlio (PSB) na disputa pela Prefeitura do Recife, os petistas usaram a propaganda eleitoral para acusar os socialistas de golpistas, por terem votado pelo impedimento de Dilma.

Hoje, alguns desses petistas claramente querem passar uma rasteira ou dar um golpe em Marília Arraes, que mesmo sem nenhuma máquina ou forte estrutura financeira, está empatada nas pesquisas com Paulo Câmara e Armando Monteiro.

O sentimento de quem acompanha a política de Pernambuco é que se os três forem candidatos – Paulo, Armando e Marília – a eleição irá para o segundo turno e a situação do governador ficará bem complicada.

Por isso que Paulo e Humberto, antes adversários e agora amigos, jogam tudo para implodir a candidatura da neta de Miguel Arraes.

O senador quer usar a estrutura do Governo do Estado para garantir mais um mandato, nem que seja de deputado federal, e Paulo tenta garantir mais quatro anos no Palácio das Princesas apesar de ser avaliado como um péssimo gestor.

Câmara tem uma rejeição alta, de acordo com as pesquisas, superior a 60%, o que torna difícil sua vitória em outubro, a não ser que pegue carona em Lula e no PT, a quem atacou tanto num passado recente.

O governador de Pernambuco apoiou a candidatura de Aécio Neves à presidência, em 2014 e o impeachment de Dilma, dois anos depois.

Carnaval 2019

Está chegando o Sábado de Carnaval2 de março de 2019
226 dias restantes.

Olinda Hoje no Facebook:

Previsão do Tempo:

Favoritos

Categorias do Blog:

Mapa do Site:

Arquivos do Blog:

Olinda Hoje