Navegando todos os artigos com a tag PSB
maio
8

Joaquim Barbosa joga a toalha

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eleições 2018     Tags , ,

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa afirmou, hoje pela manhã (08), que não será candidato à Presidência. Ele está filiado ao PSB e era o principal nome do partido para disputar as eleições 2018.

“Após várias semanas de muita reflexão, finalmente cheguei a uma conclusão. Não pretendo ser candidato a Presidente da República. Decisão estritamente pessoal”, afirmou Joaquim Barbosa através das redes sociais.

O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, por sua vez, afirmou que a decisão de Joaquim Barbosa é “compreensível”. Siqueira informou que a cúpula do partido irá se reunir nas próximas semanas para discutir a possibilidade de outro nome para a presidência.

“Ele [Joaquim Barbosa] avisou hoje cedo. Ligou agradecendo muito ao partido, disse que refletiu muito e que tinha decidido não ser candidato. Disse a ele que era compreensível, porque é uma decisão de foro muito íntimo ser ou não candidato numa eleição”, afirmou em entrevista ao Broadcast Político do Estadão.

Na última pesquisa Datafolha, a intenção de voto para Joaquim Barbosa variava entre 8% e 10%, dependendo do cenário. Sem Lula, o ex-ministro ficava atrás apenas do deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) e de Marina Silva (Rede).

Fonte: Opinião&Notícia

maio
7

Marília Arraes ameaça Paulo Câmara na disputa pelo governo do Estado

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Eleições 2018     Tags , ,

Inaldo Sampaio

Pesquisas mostram que o maior adversário do governador Paulo Câmara (PSB) nas próximas eleições não é o senador Armando Monteiro (PTB), nem o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB), nem o deputado Mendonça Filho (DEM), e sim a vereadora Marília Arraes (PT). Ela aparece nas prévias eleitorais com elevado percentual de intenções de votos e isso preocupa o PSB que fará tudo o que estiver ao seu alcance para não permitir que ela seja candidata.

Como se lembra, o governador Paulo Câmara agendou uma viagem a Curitiba, recentemente, junto com outros governadores do Nordeste, para levar sua solidariedade ao ex-presidente Lula, que está preso na capital paranaense, apesar de o PSB ter rompido com o PT em 2012 e apoiado o impeachment da (ex)presidente Dilma Rousseff.

Interessa-lhe agora, todavia, celebrar uma aliança com o PT para surfar na popularidade do ex-presidente, que continua sendo no Nordeste um fenômeno eleitoral de fazer inveja aos adversários, com cerca de 50% de intenções de voto. Então, para afastar Marília do seu caminho, o PSB parece disposto a pagar qualquer preço, inclusive colocar o senador Humberto Costa na chapa da Frente Popular como candidato à reeleição, mesmo sabendo que a presença dele nesta chapa, ao lado do deputado Jarbas Vasconcelos, um antipetista histórico, representa um risco para todos devido às explicações que terão que dar aos pernambucanos.

A cúpula do PT também está trabalhando contra Marília, tanto que adiou para o mês de junho sua definição sobre o que fará nas próximas eleições: candidato próprio ou aliança com a Frente Popular. Significa que a vereadora terá que passar mais um mês imobilizada, sem saber se o partido a ungirá ou não como candidata a governadora.

abr
13

Superfaturamento e propina: Oposição quer respostas do PSB

AuthorPostado por: Jornalismo Redação    CategoryEm: Denuncias     Tags , ,

O povo de Pernambuco, mais uma vez, foi surpreendido pela veiculação na imprensa de novas denúncias de corrupção e desvio de recursos públicos envolvendo os governos do PSB.

Desta vez, o depoimento do empresário João Carlos Lyra, apontando como operador de esquema de corrupção que beneficiava o PSB, faz referência ao superfaturamento de 20% nas obras em que sua empresa atuou, entre elas a construção Arena Pernambuco, PE- 060, o Pier Petroleiro, a Orla de Jaboatão dos Guararapes, o Canal do Sertão, a BR-101 e a Transposição do São Francisco. Fala ainda que esses recursos seriam repassados ao partido do governador para o financiamento de campanhas eleitorais, incluindo a compra do avião que caiu, vitimando o ex-governador Eduardo Campos e integrantes do seu staff.

Mais uma vez, o Governo de Pernambuco e a direção estadual do PSB se calam diante das denúncias, como já o fizeram em relação às delações anteriores de executivos da Camargo Corrêa, Odebrecht e JBS, assim como em relação a operações da Polícia Federal como Lava-Jato, Turbulência, Vórtex, Torrentes, Fair Play, entre outras.

A sociedade pernambucana não merece receber, mais uma vez, o silêncio como resposta. O povo de Pernambuco exige que o governador do Estado e o PSB, seu partido, que está há 11 anos no comando do Executivo, apresentem à população explicações sobre estas graves denúncias envolvendo figuras importantes do PSB. Os pernambucanos aguardam respostas.

Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco

abr
6

Delegada Gleide Ângelo filia-se ao PSB e pode ser candidata a deputada

A delegada Gleide Ângelo se filiou ontem (05) ao PSB. Ela teve a ficha de filiação abonada por João Campos, vice-presidente nacional de Relações Federativas da legenda. Ela levará as bandeiras de apoio a mulheres vítimas de violência e do combate ao feminicídio. Não há perspectiva de ela disputar um mandato nas eleições. No entanto, o release do PSB afirma que Gleide Ângelo “deve andar junto” da principal aposta da sigla pelo Estado, João Campos.

“O PSB é um partido que contempla os mais diversos segmentos da sociedade e que tem um foco de atuação na mulher. Além da repressão, quero agora trabalhar pela prevenção. Quero contribuir com projetos que possam fortalecer a rede de enfrentamento à violência contra a mulher. Precisamos lutar por políticas públicas capazes de encorajar e dar segurança às vítimas. Só assim elas poderão denunciar possíveis abusos”, ressaltou a delegada.

João Campos elogiou a nova correligionária. “Gleide Ângelo é uma mulher preparada e respeitada, comprometida com o trabalho, é um exemplo e uma referência para todos nós. Será uma honra contar com a sua contribuição no partido”, destacou João, salientando a importância da conscientização sobre os direitos das mulheres.

Fonte/Foto: Folhape

abr
2

Yves nega versão de eleitora

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Denuncias     Tags , ,

Sebastião da Paz

Fiz comentário a uma nota publicada no blog de Inaldo Sampaio a respeito do ex-prefeito de Paulista, Yves Ribeiro (PSB), e agora reproduzo a resposta que o mesmo enviou ao jornalista, sobre caso de um eleitora de Paulista que o procurou no seu sítio Pedrinhas, em busca de um ajuda para comprar um caixa de isopor para vender picolé na feira. Segundo a eleitora, a ajuda foi negada. O ex-prefeito afirmou que não tinha dinheiro e estava fora da política.

Ao blog de Inaldo Sampaio, Yves enviou a seguinte resposta:

1 – causou-me espécie a nota publicada na sua coluna “Fogo Cruzado” nesta quinta-feira(29) sob o título “Pobreza dupla”. O seu conteúdo não tem aderência com os fatos e representa um descompasso com a minha biografia e trajetória política. Nela, se faz referência a uma suposta eleitora do PSB de Paulista que me teria pedido uma ajuda financeira, mas negada por mim sob o argumento de não ter dinheiro para atender o pedido.

2- Como sabe, fui prefeito por duas vezes de três cidades diferentes da Região Metropolitana do Recife(Itapissuma, Igarassu e Paulista). Minhas gestões à frente dessas prefeituras foram marcadas, entre outras coisas, pela forte participação do povo no planejamento das ações administrativas e pelos programas e projetos de inclusão social. Ao longo de quase 40 anos de vida pública, e mesmo fora dela, mantive uma relação solidária, fraterna e cordial com munícipes e eleitores. Num país tão pobre e desigual como o nosso, é comum eleitores recorrerem aos políticos para resolverem demandas pessoais. Negá-las, às vezes, é algo desumano e inaceitável; mas a minha prática política sempre se pautou pelo incentivo ao empoderamento financeiro das pessoas.

Obs: É importante observar que, em nenhum momento, Yves Ribeiro desmente a informação da eleitora. Em nenhum momento ele diz que a ela mentiu. No final da sua resposta ele diz, apenas vagamente: “a minha prática política sempre se pautou pelo incentivo ao empoderamento financeiro das pessoas”.

Sim! Então isso quer dizer que negou o pedido da eleitora – ou é o contrário? 

mar
30

Yves Ribeiro: mentiroso ou cara de pau?

AuthorPostado por: Jornalismo Redação    CategoryEm: Denuncias     Tags , ,

Sebastião da Paz

Nota publicada ontem (29), na sua coluna Fogo Cruzado, o jornalista Inaldo Sampaio, traz a informação de que o ex-prefeito itinerante de Paulista, Igarassu e Itapissuma, Yves Ribeiro, gosta de contar umas “histórias prá boi dormir”.

Segundo o jornalista, uma eleitora do PSB de Paulista procurou Yves Ribeiro a fim de pedir-lhe ajuda para comprar um isopor, para colocar picolés e vender na feira. O ex-prefeito negou-lhe.

“Yves, assessor do Governo do Estado, alegou que está fora da política e que não tinha dinheiro para ajudá-la. Tanto é verdade, disse ele, que só vai poder pagar a sua conta de luz quando receber o dinheiro do Estado”, no próximo dia 08 de abril.

Eita político mentiroso, cara de pau! Que nas próximas eleições os eleitores possam dar para Yves Ribeiro vidrinhos com óleo de peroba, e não mais votos.

ago
25

Com Paulo Câmara, Lula visita Renata Campos e família

Em meio a especulações de uma reaproximação entre o PT e o PSB, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) esteve na casa da viúva do ex-governador Eduardo Campos, Renata Campos, no bairro de Dois Irmãos, na Zona Norte do Recife, na noite dessa quinta-feira (24). O encontro durou cerca de duas horas e Lula chegou ao local sem nenhuma das lideranças petistas que o acompanha na caravana que faz por Pernambuco. Apenas a vice-prefeita de Aracaju, Eliane Aquino (PT) – viúva do ex-governador Marcelo Déda (PT), estava com ele.

lulaerenata

Na casa de Renata, além dos filhos que comemoravam o aniversário de Maria Eduarda, também estavam a mãe de Campos e ministra do Tribunal de Contas da União (TCU), Ana Arraes, o governador Paulo Câmara e o prefeito do Recife, Geraldo Julio, todos do PSB. 

De acordo com informações oficiais, o encontro foi de caráter pessoal. Segundo lideranças próximos a Lula, o ex-presidente ficou “extremamente tocado” com a visita feita por Renata a ele quando sua esposa, Marisa Letícia, estava internada em São Paulo. Ela morreu vítima de um AVC. Quando Campos faleceu, em 2014, apesar de já estarem politicamente distantes, Lula também fez questão de participar do velório do ex-governador e prestar solidariedade. Eduardo foi ministro de Ciência e Tecnologia na gestão do petista e foi um dos governadores mais próximos ao ex-presidente na época. 

Mesmo que simbolicamente, a visita de Lula a Renata é dotada de um teor político, já que nos últimos dias iniciou-se uma série de rumores de reaproximação do PT com o PSB, que romperam a aliança em 2013, quando Campos decidiu disputar a presidência da República. 

Ao comentar sobre o encontro, o presidente do PT em Pernambuco, Bruno Ribeiro, chegou a criticar a aspereza impregnada atualmente entre os políticos e disse que apesar das divergências as relações pessoais entre as forças devem ser mantidas. Ribeiro já descartou uma reaproximação com o PSB. Apesar disso, outros petistas, como o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, também vem pregando um realinhamento. De passagem pelo Recife, no último dia 11, ele se reuniu com Paulo Câmara para conversarem sobre 2018.

Fonte: Leia Já

ago
13

Doze anos sem Miguel Arraes

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

arraes

Neste domingo, dia 13 de agosto, comemora-se o Dia dos Pais. Mas também é uma data política: 12 anos atrás, morria o ex-governador de Pernambuco e ex-presidente nacional do PSB, Miguel Arraes de Alencar, após passar quase um mês hospitalizado. O político foi internado no dia 17 de julho de 2005, com suspeita de dengue. Depois o quadro clínico do político se complicou, apresentando problemas cardíaco e renal.

Faleceu no dia 13 de agosto de 2005, após vários tratamentos, inclusive a realização de duas cirurgias para conter hemorragias no duodeno e no pulmão esquerdo. Cearense, Miguel Arraes de Alencar governou Pernambuco por três vezes: 1962-1964, quando foi deposto pelo golpe militar; 1986-1990 e 1994-1998.

Arraes também foi secretário da Fazenda de Pernambuco, em 1948, na gestão do governador Barbosa Lima Sobrinho; prefeito do Recife (1950), deputado estadual e federal.

Também hoje (13), completam três anos da morte do ex-governador Eduardo Campos – neto de Miguel Arraes. Campo faleceu no dia 13 de agosto de 2014, num acidente aéreo em Santos (SP).

ago
13

Três anos após sua morte, parentes de Eduardo disputam legado na política

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

Este domingo, 13 de agosto, traz para o pernambucano uma triste lembrança: há três anos morria Eduardo Campos, líder do Partido Socialista Brasileiro (PSB), em um acidente aéreo durante a sua campanha à presidência do Brasil. Herdeiro da política hábil de Miguel Arraes, seu avô, ele tinha chances de obter vitória nas eleições de 2014, porém precisava viajar, ser mais conhecido no resto do país. Morreu cumprindo uma agenda estratégica, mas cheia de riscos.

eduardo-campos-abre1

Aquele que unia várias forças antagônicas não só em Pernambuco, mas no Brasil, deixou um vazio no seio de uma família acostumada com a política. Ninguém esperava ter que substituir tão cedo Eduardo Campos.

Por coincidência, o 13 de agosto também traz a amarga lembrança da morte de Miguel Arraes. Há 12 anos o “Pai Arraia” deixava este plano. Todavia, neste caso havia ficado Eduardo Campos lhe substituindo. Reportagem da BBC Brasil da última sexta-feira (11) faz uma análise da atual situação dos herdeiros desse legado político.

Segundo o jornalista Leandro Machado, três anos após a morte de Eduardo Campos, a família do ex-governador de Pernambuco está rachada. Hoje, ela se divide em três correntes políticas: uma do irmão, Antônio; outra do filho e da mulher, João e Renata; e uma terceira via, com a prima Marília.

Eduardo morreu no dia 13 de agosto, quando o avião em que fazia campanha para presidente da República caiu em Santos, no litoral paulista. Outras seis pessoas também morreram. O pernambucano, então com 49 anos, ocupava a terceira posição nas pesquisas, com 9% das intenções de voto.

Na família, o cenário atual é de troca de críticas e de disputa por um poder que surgiu há décadas: a “dinastia” começou com o avô, Miguel Arraes (1916-2005), ex-prefeito de Recife e ex-governador de Pernambuco por três vezes.

De um lado está o advogado Antônio Campos, único irmão de Eduardo. Neste ano, ele saiu do PSB – partido do clã desde 1990 e que completa 70 anos neste mês – e se filiou ao Podemos (ex-PTN). Nas eleições de 2018, Antônio vai concorrer a deputado federal.

Na disputa, ele enfrentará o próprio sobrinho, João Henrique Campos, um dos cinco filhos de Eduardo. O jovem é visto como o sucessor político de Eduardo Campos. Recém-formado em engenharia civil pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), ele tem 23 anos e assumiu, em fevereiro, o cargo de chefe de gabinete do atual governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB).

Nesse aspecto, o jovem repetiu a história do pai, que, também aos 22 anos, virou chefe de gabinete do então governador Miguel Arraes, em 1987. No dia da sua posse no governo, João afirmou que “ninguém deve ser pré-julgado por ser filho de A ou de B; deve ser julgado pelo serviço prestado.”

A terceira corrente é encabeçada por Marília Arraes, prima do ex-governador e, como ele, neta de Miguel Arraes. Vereadora do Recife, Marília rompeu politicamente com a família ainda quando Eduardo concorria à Presidência, em 2014. Deixou o PSB, filiou-se ao PT e deverá ser a candidata do partido de Lula ao governo de Pernambuco.

Ana Arraes, mãe de Eduardo, também tem sido cortejada como parceira de chapa de pelo menos dois presidenciáveis. A BBC Brasil apurou que, dentro do PSB, o nome da matriarca é cogitado para dividir uma possível chapa com Geraldo Alckmin (PSDB), governador de São Paulo e pré-candidato à Presidência. Para isso, no entanto, ela teria de deixar o cargo de ministra do Tribunal de Contas da União (TCU), cadeira que assumiu durante o governo de Dilma Rousseff.

Uma briga ocorrida no fim do ano passado selou de vez a divisão na família Campos/Arraes. Nas últimas eleições municipais, Antônio se candidatou a prefeito de Olinda. Perdeu no segundo turno, com 43% dos votos – pouco mais de 90 mil. Era sua primeira eleição, ainda pelo PSB.

Paulo Câmara, sucessor de Eduardo no Governo do Estado, participou apenas de um ato de campanha de Antônio. Isso porque o governador não quis jogar contra os candidatos concorrentes, que eram de partidos da sua base.

Renata Campos e seu filho João também não subiram no palanque de Antônio. Ao final da eleição, o derrotado fez reclamações públicas contra a cunhada, pois se sentiu “traído” pela falta de apoio no próprio partido e na família. Antônio acusou Renata de temer que ele, como um candidato da família Campos, fizesse “sombra” para seu filho João Henrique.

“Renata não foi grata comigo. Eduardo teve minha solidariedade em vários momentos da vida dele”, disse Antônio, em entrevista coletiva logo após a derrota em Olinda. “Ela acha que qualquer candidatura, mesmo que não seja antagônica, pode fazer sombra a João. Renata finge não mandar (no PSB), numa pretensa imagem de frágil, enquanto manda nos bastidores o tempo todo.”

A reportagem contatou Renata, João e Antônio Campos, mas eles não quiseram dar entrevistas. Depois da briga, o advogado deixou o PSB e entrou no Podemos, partido mais à direita do espectro político, pelo qual deve se candidatar a deputado federal.

Para Carlos Siqueira, presidente nacional do PSB, a saída de Antonio não aponta divergências na família. “Lamentamos a decisão dele, que estava há muito tempo no partido. Quem disse que necessariamente todos da família devem estar no mesmo partido? Cada um toma seu rumo”, diz.

A mudança de Antônio para o Podemos criou a expectativa de que sua mãe, Ana Arraes, também pudesse deixar a legenda liderada por anos por Miguel e Eduardo. No mês passado, o senador Álvaro Dias, que deve ser candidato à presidência pelo Podemos, encontrou-se com a ministra do TCU em Pernambuco. Depois da reunião, circulou entre os pessebistas a possibilidade de Ana ser candidata em uma chapa com o parlamentar. O senador confirmou o encontro, mas disse que eleições não foram o assunto. “Nós conversamos sobre a filiação de Antônio. Até pelo cargo que ela ocupa no TCU, não poderíamos tratar de candidatura”, afirmou Dias, em entrevista à BBC Brasil.

O nome da matriarca é cotado ainda como vice de Alckmin em uma eventual candidatura do tucano à Presidência. Quem articula essa aliança é o vice-governador de São Paulo, Marcio França (PSB), aliado de Alckmin e próximo à família Arraes. Em 2018, França vai assumir o governo depois que Alckmin deixar o cargo de governador para concorrer à Presidência. Com Ana Arraes na chapa, o tucano teria um nome forte no Nordeste, região que historicamente dá vitórias ao PT. Já França, caso consiga conjurar a manobra, ganharia força para um eventual apoio do PSDB a sua candidatura ao governo de São Paulo, segundo a BBC Brasil apurou.

O problema é que Ana, que tem 70 anos, não estaria disposta a deixar seu cargo no TCU. E, em dois anos, ela deve virar presidente do tribunal. Um deputado ligado à família, que preferiu não se identificar, resumiu a situação: “Acho muito difícil dona Ana se candidatar a algum cargo. Se for pelo PSB, ela estaria numa corrente contrária a de seu único filho vivo, Antônio. Se for pelo Podemos, estaria contra a história de seu outro filho, Eduardo.”

Outra dissidente da família Campos é Marília Arraes (PT), de 33 anos, vereadora do Recife eleita com 11.800 votos. Prima de Eduardo, ela deixou o PSB por divergências com o partido. Em entrevista à BBC Brasil, disse que a sigla não é mais a mesma da época em que era comandada por seu avô Miguel. “Ideologicamente o partido estava em outro campo, o da esquerda. Hoje, é um serviçal do PSDB “, afirma. No segundo turno das eleições de 2014, o PSB apoiou o tucano Aécio Neves – historicamente, a legenda apoiava candidatos petistas. O próprio Eduardo foi ministro de Lula.

Por outro lado, pessoas próximas à família disseram à reportagem que, em 2014, Marília quis se candidatar a deputada federal, mas teve a legenda negada pelo primo, então presidente do PSB. No próximo ano, Marília deve ser a candidata do PT ao governo de Pernambuco. Nas redes sociais, ela aparece em fotos ao lado do ex-presidente Lula, também pernambucano e considerado um bom cabo eleitoral no Estado. Hoje, Marília é oposição a Geraldo Júlio (PSB), prefeito do Recife, e a Paulo Câmara – os dois foram indicados por Eduardo. Um ano antes da eleição, Câmara enfrenta dificuldades: o Estado vive uma escalada da violência e ele é rejeitado por 74% dos eleitores, segundo uma pesquisa de abril.

Câmara e Geraldo Júlio são investigados por suspeita de participação no superfaturamento da Arena Pernambuco, construída pela Odebrecht. Eduardo também foi citado na Operação Lava Jato por irregularidades.

Para parlamentares ouvidos pela reportagem, Marília é a que mais se aproxima ideologicamente do avô Miguel Arraes, um político de esquerda com forte atuação na área social. “Não tenho pretensão de dizer em qual lado Miguel Arraes estaria, mas posso dizer em qual ele não estaria, que é esse projeto liberal e entreguista do PSB hoje”, afirma ela.

No entanto, a vereadora não deve ter apoio de toda a família nas eleições, pois a tendência é de que Renata e João permaneçam ao lado de Paulo Câmara. A crítica de Marília sobre as condições ideológicas do partido é repetida por filiados mais antigos do PSB. A sigla está dividida entre redirecionar sua trajetória mais à esquerda ou se projetar à centro-direita de vez.

Na votação da Câmara que rejeitou a denúncia de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer (PMDB), essa divisão ficou latente: 22 deputados votaram pelo prosseguimento das investigações e 11 votaram pelo arquivamento. A executiva da legenda havia decidido ficar contra Temer, mas a líder da agremiação, Tereza Cristina, votou a favor do presidente.

Na votação da reforma trabalhista, em abril, 14 parlamentares votaram favor da medida e 16, contra. Eduardo Campos afirmou em 2014 que era contra mudanças na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT).

Para Carlos Siqueira, a “divisão do partido” ocorre apenas na bancada da Câmara. “A bancada é uma instância do partido, não ele inteiro. Pessoas que divergem devem arrumar seu rumo, ou se adaptar às posições históricas do partido. Mas a decisão de entrar ou ficar é pessoal”, disse.

Segundo Adriano Oliveira, cientista político e professor da UFPE, a imagem de Eduardo Campos ainda influencia a escolha do eleitor pernambucano. Por isso, a briga por seu legado. O pesquisador explica o “eduardismo”, conceito que ele associa ao lulismo: “Eduardo conseguiu ser uma quase unanimidade: tinha eleitores em todas as faixas sociais, dos mais ricos aos mais pobres. Ele era carismático, tinha capacidade de aglutinar pessoas de várias vertentes e passava a imagem de trabalhador”, explica ele.

“Com apoio de Lula, conseguiu alavancar Pernambuco. Claro que, com o tempo, houve um declínio, até por causa de sua morte. Mas seus sucessores, Câmara e Geraldo Júlio, ainda estão aí”, diz.

Próximo a Arraes e Eduardo, Carlos Siqueira conta uma história de tom premonitório sobre o destino da família: Miguel não queria que nenhum de seus dez filhos seguissem carreira política. “Eu perguntava a ele: e seu neto Eduardo? Miguel respondia: ele faz o caminho dele, tem o jeito dele”, conta o presidente do PSB. “Arraes tinha receio de ser visto como um coronel do Nordeste, daqueles que têm a família inteira na política.”

jun
30

PSB rachado. Uma ala apoia Temer

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

O Partido Socialista Brasileiro (PSB), presidido pelo pernambucano Carlos Siqueira, continua dividido em relação ao governo Temer (PMDB). Enquanto uma ala rompeu com o presidente da República e passou a defender “diretas já”, outra continua muito ligada ao Palácio do Planalto.

FBC-e-Fernando-Filho apoiam TemerEsta última tem como um dos seus líderes o senador pernambucano Fernando Bezerra Coelho, pai do ministro de Minas e Energia, Fernando Bezerra Filho (foto). Ambos defendem o apoio do partido ao atual governo.

Desta ala também faz parte o deputado federal Heráclito Fortes (PI), que ontem (29) ofereceu um almoço ao presidente da República na sua mansão, em Brasília (DF).

Heráclito, que já pertenceu ao DEM e é genro do empresário pernambucano Cornélio Brennand, está insatisfeito com o comando do PSB por ter fechado questão contra as reformas trabalhista e previdenciária.

“Esse Michel Temer pode ter muitos defeitos, mas é a maior vaselina que eu já vi na vida. Tem capacidade de amolecer as pessoas e tem tido uma paciência fantástica”, disse o deputado piauiense durante uma palestra do professor José Pastore, na Associação Comercial de São Paulo.

Fonte: Inaldo Sampaio

jun
22

PSB desembarca de vez do governo Temer e defende “Diretas Já”

AuthorPostado por: Jornalismo Redação    CategoryEm: Política     Tags , ,

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) deixará claro nesta quinta-feira (22) que Michel Temer não tem mais condições de governar o país. Em seu programa partidário de 10 minutos que será exibido nesta noite em cadeia nacional de rádio e televisão, o partido reforçará sua posição contra as reformas trabalhista e da previdência e pede a renúncia imediata de Temer com a escolha de seu substituto por eleições diretas.

33419553274_7c856dbd8c_o

“Fomos a favor das eleições diretas em 1984 para acabar com a ditadura. Agora somos a favor das “Diretas Já” para impedir que as interferências do poder econômico continuem valendo mais do que a vontade da população e ditando os rumos do país”, afirma partido no programa.

Na propaganda partidária, o PSB também homenageia o escritor Ariano Suassuna, que foi presidente de honra do partido e completaria 90 anos no dia 16 de junho.

jun
17

Socialistas podem migrar para o DEM

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

No mesmo dia do almoço oferecido por presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM), a socialistas, na última terça-feira (13), alguns deputados do PSB foram notificados, numa nova etapa dos processos aos quais respondem no Conselho de Ética da sigla.

fbc

Para uns, soou como nova provocação. Outros socialistas ainda estudam com mais calma a possibilidade de deixar mesmo a sigla. No DEM, a migração de, ao menos, 10 deputados socialistas, já vem sendo dada como certa. 

No PSB pernambucano, há quem veja como impensável a possibilidade de o senador Fernando Bezerra Coelho (foto) migrar para o DEM. “Dá para imaginar ele no DEM?”, indaga um. Mas há correligionários de Fernando, no entanto, lembrando que o senador iniciou a sua trajetória no PDS, que deu origem ao PFL. Em outras palavras, isso não seria empecilho.

A despeito da tese de que o DEM não seria atrativo suficiente para socialistas, há quem defenda, em meio a essa articulação, que, diante da situação do PMDB, do PT, do PSDB, do PP, entre outros, “o DEM, hoje, ainda é o mais limpo”.

O DEM já havia feito convite a João Fernando Coutinho em 2015, uma vez que o PSB não deu legenda a ele para que concorresse à Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes.

Ministro de Minas e Energia, Fernando Bezerra Coelho Filho, a interlocutores, já grifou que vários partidos estão procurando os deputados, oferecendo legenda, não só o DEM.

Fonte: Coluna Folha Política

jun
5

Executiva do PSB de Olinda toma posse nesta segunda

AuthorPostado por: Jornalismo Redação    CategoryEm: Olinda     Tags , ,

Após a saída do advogado Antônio Campos (sem partido) dos quadros da sigla, o PSB em Olinda vai empossar, nesta segunda-feira (5), a nova comissão provisória da legenda. A cerimônia acontece na Câmara Municipal às 19h. Ex-secretário do Movimento Sindical na cidade, Estevão Brito assume a presidência do partido, e Pedro Melo ficará com a vice-presidência.

Futuro presidente, Estevão Brito é filiado ao partido há mais de 20 anos. Para ele, o principal desafio do PSB é manter o fortalecimento e a organicidade da legenda em Olinda. “O partido sempre foi muito bem estruturado na cidade e sempre participou ativamente do processo político. Queremos que o partido continue vivo e para isto vamos fazer uma campanha maciça para o recadastramento de filiados e novas filiações”, afirmou.

A composição do PSB de Olinda ainda contará com João Figueiredo (secretário-geral), João Domingos (secretário de Finanças), Pedro Moura (secretário da Juventude), Indra Leal (segmento das Mulheres), Gilson Braga (Movimento Popular), Tânia Holanda (Negritude), Alexsandro Marques (Movimento Sindical) e Alberto Muniz (segmento LGBT). Ainda compõem a executiva, como membros, Igor Belchior, Sivaldo Leal e Socorro Malta.

Fonte: Folha PE

maio
23

Governador Paulo Câmara rebate acusações de delator da J&F

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Denuncias     Tags , , ,

pc

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), rompeu o silêncio nessa segunda-feira (22), para explicar as denúncias feitas pelo diretor da J&F (holding do grupo JBS), Ricardo Saud. Disse estar “indignado” e garantiu que a sua campanha de 2014 não recebeu recursos da JBS. Segundo ele, nem a campanha nem o partido “recebeu nenhum centavo da JBS“. Paulo Câmara afirmou que a doação foi feita ao diretório nacional do PSB e que a transação está registrada.

“Essa pessoa foi textual ao dizer que a doação foi sem contrapartida ou benefício. E, na análise dos documentos pelo Ministério Público e Supremo, não há menção ao meu nome, Paulo Câmara, Geraldo Julio e Eduardo Campos”, disse.

O socialista afirmou que é servidor público e que vive do seu salário. “Só tenho dois patrimônios: minha família e meu nome”, declarou. 

Antes do pronunciamento do governador,  o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), também citado por Ricardo Saud, fez um discurso em defesa do governo Paulo Câmara. Ele afirmou que a acusação feita pelo dirigente da J&F é “absurda, inaceitável”. “O próprio acusador diz que não tem nenhuma troca de favores. E se não houve troca de favores, não há o que se falar em propina”, conclui.

Foto: Folhape

maio
22

Dirigente petebista ataca PSB e pede explicações sobre denúncias da JBS

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Denuncias     Tags , , ,

“É muito difícil a situação dos socialistas que, por dever de ofício, são obrigados a defender Paulo Câmara, o pior governador da história de Pernambuco, segundo pesquisa recente de opinião. É o caso de Sileno Guedes, um político sem voto e sem expressão. Na falta de respostas consistentes às graves denúncias que envolvem integrantes do PSB estadual, Sileno reduz o debate político ao seu tamanho e faz ataques pessoais ao senador Armando Monteiro (PTB), maior líder da oposição no Estado.”

O revide é do presidente estadual do PTB, deputado estadual José Humberto Cavalcanti, em nota distribuída no final desta tarde. “As denúncias envolvendo lideranças do PSB de Pernambuco, amplamente divulgadas pela imprensa, precisam de explicações convincentes. É papel da oposição fazer essa cobrança, em nome de toda a sociedade”, defendeu.

José Humberto lembrou que o governador Paulo Câmara e o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, estão no centro do noticiário. “Infelizmente, o principal assunto que hoje se associa a eles é a corrupção. Antes das recentes denúncias envolvendo propina da JBS, a dupla já era investigada até pelo Supremo Tribunal Federal (STF), dentro da Operação Fair Play, braço local da Lava Jato, que apura irregularidades na construção da Arena Pernambuco”, disse.

“É urgente que o PSB explique com seriedade aos pernambucanos o porquê de seus integrantes estarem sendo investigados e denunciados em tantas operações da Polícia Federal”, cobrou o dirigente petebista.

maio
20

Paulo Câmara nega ter recebido “propina” ou “pagamento” da JBS

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Denuncias     Tags , , ,

Paulo-CamaraEm nota, ontem (19), à Imprensa, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), afirmoa que não recebeu um tostão da JBS para a sua campanha ao Governo do Estado em 2014.

“Nunca solicitei e nem recebi recursos de qualquer empresa em troca de favores. Tenho uma vida dedicada ao serviço público. Sou um homem de classe média, que vivo do meu salário”, disse.

O governador fez referência ao documento que sintetiza a delação, na qual o delator Ricardo Saud, da JBS, afirma que não houve negociação nem promessa de ato de ofício, “o que significa que jamais houve qualquer compromisso de troca de favores ou benefícios”.

A nota conclui com a ressalva de ser descabido o uso de expressões como “propina” ou “pagamento”.

Foto: Blog do Banana

maio
20

Paulo Câmara, Geraldo Júlio, Fernando Bezerra Coelho e Eduardo Campos são citados na delação da JBS

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Denuncias     Tags , , ,

pc-gj

Na sua delação premiada que fez na sede da Procuradoria-Geral da República (PGR), no último dia 05 de maio, o diretor de Relações Institucionais da holding J&F, Ricardo Saud, relatou, no anexo 36, a relação da JBS com o então candidato à Presidência pelo PSB Eduardo Campos.

No depoimento, Saud cita que o grupo tratou de uma “propina” de R$ 15 milhões para a campanha do socialista. Também citou o governador Paulo Câmara, o prefeito do Recife, Geraldo Julio, e o senador Fernando Bezerra Coelho, todos do PSB pernambucano.

Saud afirmou que a JBS decidiu investir em Eduardo por ser “um cara novo, de futuro”. “Nós ficamos muito empolgados com a candidatura de Eduardo Campos. Estivemos com ele em alguns jantares, algumas conversas; com o Paulo Câmara, Geraldo Júlio”, afirmou o delator.

O executivo relatou que, com a morte de Eduardo, foi procurado pelo prefeito do Recife, Geraldo Júlio, para tratar da campanha de Paulo Câmara.

“Fui fazendo os pagamentos oficiais, notas fiscais, essas coisas. Com a morte de Eduardo Campos, o Paulo Câmara, Geraldo Júlio me procurou (sic). Procurou e disse: “olha cara, temos que honrar aí, temos que organizar isso porque precisamos ganhar a eleição aqui agora, em Pernambuco, em homenagem a Eduardo Campos. O Paulo Câmara está aí para ganhar”, relembra o delator.

Ele acrescentou que iria pagar o que havia se comprometido. “O que nos comprometemos, que é os 14 (sic), nós vamos pagar. O resto a gente não paga mais nada”, disse o delator.

Depois, Saud disse que se chegou a um “meio termo”. “Íamos pagar para não atrapalhar a campanha do Paulo Câmara. E ainda darmos uma propina para o Paulo Câmara em dinheiro vivo lá em Pernambuco”, disse, na delação.

Ainda de acordo com o executivo da JBS, o senador Fernando Bezerra Coelho foi beneficiado com as negociações. “O Fernando Bezerra foi beneficiado. Essa nota fiscal aqui de R$ 1 milhão foi para ele”, explicou o delator.

Fonte/Foto: Folhape

maio
17

Renildo Calheiros ‘ganha’ cargo comissionado na Alepe

AuthorPostado por: Jornalismo Redação    CategoryEm: Olinda     Tags , , ,

O ex-prefeito de Olinda, Renildo Calheiros (PCdoB), foi nomeado para um cargo comissionado na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), no gabinete do deputado Waldemar Borges (PSB), esposo da deputada federal Luciana Santosrenildo (PCdoB), aliada de Renildo. 

Nomeado com gratificação de representação de 120% sobre o salário de assessor especial, Renildo Calheiros irá receber R$ 11.327,45 por mês. Ele foi prefeito de Olinda de 2009 a 2016.

Processado pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE) por não prestar contas da aplicação de recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Renildo é alvo de processo nas esferas cível e penal.

De acordo com o processo, Olinda recebeu R$ 1,437 milhões em 2011 para aplicação no Programa Nacional de Inclusão de Jovem, o Projovem Urbano.

abr
25

PSB decide “apoiar” os dois lados

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

Em reunião da executiva nacional, encerrada por volta das 20h de ontem (24), o PSB do governador Paulo Câmara e do prefeito do Recife, Geraldo Júlio, fechou questão contra as reformas Trabalhista e Previdenciária. Mas, contraditoriamente, os socialistas continuarão apoiando o governo do presidente Michel Temer (PMDB).

Durante o encontro, em nenhum momento chegou a ser discutida ou comentada a possibilidade de rompimento ou de entrega dos cargos que o PSB ocupa no governo Temer. Os socialistas mostram, assim, o desejo de ficar bem na fita com os eleitores, mas também deixa claro o seu apego e o interesse de manter os empregos no governo. 

O PSB comanda o Ministério de Minas e Energia, que tem como titular o deputado federal (licenciado) Fernando Bezerra Coelho Filho. Hoje (25), o governador Paulo Câmara almoça em Brasília (DF) com o presidente Temer.

Na votação inicial das reformas Trabalhista e Previdenciária, os dois líderes do PSB, na Câmara dos Deputados, Tereza Cristina (MG), e no Senado, Fernando Bezerra Coelho (PE), votaram a favor das reformas.

abr
4

PSB está rachado em Pernambuco

AuthorPostado por: Acioli Alexandre    CategoryEm: Política     Tags , ,

PSB rachadoSe o presidente estadual do PSB-PE, Sileno Guedes, pensa que vai ser reconduzido facilmente na eleição de renovação do diretório, prevista para o segundo semestre deste ano, já pode tirar o cavalinho da chuva.

Um grupo de históricos da legenda, que enxerga na sua passagem pela presidência o declínio do partido, está costurando uma candidatura para bater chapa.

Sileno Guedes, estranhamente, não participa dos seminários “Pernambuco em ação” e nem foi à festa dos 50 anos da Amupe, no mesmo dia da posse de José Patriota, mesmo a diretoria estando formada por maioria de prefeitos do PSB.

Fonte: Blog do Magno Martins

Carnaval 2019

Está chegando o Sábado de Carnaval2 de março de 2019
226 dias restantes.

Olinda Hoje no Facebook:

Previsão do Tempo:

Favoritos

Categorias do Blog:

Mapa do Site:

Arquivos do Blog:

Olinda Hoje